Página Inicial » Calendário Islâmico » Rabi al Awal: Guia para o 3º mês do calendário islâmico

Rabi al Awal: Guia para o 3º mês do calendário islâmico

No Rabi al Awal, ocorrem os aniversários de nascimento e falecimento do Profeta Muhammad e os muçulmanos são convidados a refletir sobre sua vida.
  • O mês do Rabi al Awal é um mês em que não há nenhum ritual especialmente obrigatório para a ocasião.
  • Mesmo assim, é um mês marcado pelo nascimento do Profeta, a hégira e a morte do Mensageiro de Allah.
  • O aniversário do Profeta, conhecido com Mawlid, é um evento celebrado por muçulmanos em diversas partes do mundo.
  • O Rabi al Awal é um mês em que os muçulmanos refletem sobre a vida do Profeta e renovam o seu amor pelo Mensageiro de Allah.

O Rabi al Awal é um mês em que há muitos eventos importantes para os muçulmanos. O mais importante deles é a celebração do Mawlid, data em que se comemora o nascimento do Profeta Muhammad. Embora esta seja uma data controversa, que alguns religiosos afirmam que não deve ser comemorada, muitas pessoas a recebem com alegria.

Além disso, neste mês, ocorreram alguns dos principais eventos da história islâmica, que marcaram o curso da revelação e contribuíram para a expansão da religião para além das fronteiras da cidade de Meca.

Embora não haja nenhum ritual obrigatório para este mês, como o jejum de Ramadan ou a peregrinação do Zul Hijjah, o Rabi al Awal é um período que envolve profunda reflexão acerca dos acontecimentos ocorridos neste mês durante a vida do Profeta Muhammad. 

Celebração

Mawlid

O Mawlid é uma celebração que comemora um fato de extrema importância na história islâmica: o nascimento do Profeta Muhammad. Não se sabe ao certo qual foi o dia exato de seu nascimento e, embora as fontes mencionem diversas datas entre os dias 8 e 17 deste mês, a maioria dos estudiosos sunitas considera o dia 12 como o aniversário do Mensageiro de Allah.

Esta data é considerada feriado em muitos países de maioria islâmica, havendo algumas exceções em locais onde predomina o wahabismo, como na Arábia Saudita e no Catar, que consideram o Mawlid uma inovação ruim. No entanto, este grupo pode ser considerado minoritário em face de tantos outros lugares onde a celebração é realizada.

O aniversário do Profeta não deve ser entendido como uma comemoração no sentido ocidental desta palavra. Neste dia, os muçulmanos agradecem a Deus por enviar um Mensageiro como sinal de Sua misericórdia aos homens e, embora haja festa em alguns lugares, o sentido é puramente religioso.

Cada país de maioria islâmica tem uma forma especial de comemorar a data. Em boa parte deles, existe um costume de recitar poemas em homenagem ao Profeta (um dos mais famosos é chamado de Qasida al Burda Sharif), fazer cortejos pela rua, orações noturnas especiais nas mesquitas e há também a tradição de fazer e distribuir doces.

Eventos históricos

Nascimento do Profeta

A vinda de Muhammad foi prevista por outros profetas, como Jesus, que disse aos Filhos de Israel:

E de quando Jesus, filho de Maria, disse: Ó israelitas, em verdade, sou o mensageiro de Allah, enviado a vós, corroborante de tudo quanto a Torá antecipou no tocante às predições, e alvissareiro de um Mensageiro que virá depois de mim, cujo nome será Ahmad! Entretanto, quando lhes foram apresentadas as evidências, disseram: Isto é pura magia!” (Alcorão 61:6)

Quando estavam construindo a Caaba, os profetas Abraão e Ismael oraram, pedindo a Deus pelo nascimento de um Mensageiro.

“Ó Senhor nosso, faze surgir, dentre eles, um Mensageiro, que lhes transmita as Tuas leis e lhes ensine o Livro e a sabedoria, e os purifique, pois Tu és o Poderoso, o Prudentíssimo.” (Alcorão 2:129)

No momento de seu nascimento, vários milagres se sucederam. A mãe do Profeta, Amina, percebeu que havia uma luz dentro de si e, certo dia, ela brilhou tão forte que foi capaz de ver os castelos e palácios da Síria.

A mãe de leite de Muhammad, Halima, também testemunhou diversos milagres após o nascimento, desde um evento em que os anjos abriram o peito de Muhammad, lavaram o seu coração com água celestial e o colocaram de volta no lugar, até uma grande fartura de leite oferecido pelos animais de Halima, que antes sofriam com forte escassez.

Eventos como esses transformam o mês de Rabi al Awal em um grande convite para que os muçulmanos reflitam e renovem o amor pelo Profeta Muhammad e busquem a se aprofundar em questões sobre o caráter e a vida do Mensageiro de Allah.

Hégira

A imigração dos muçulmanos de Meca para Medina é um dos maiores marcos da história islâmica e da revelação do Alcorão. Este evento foi fundamental para os muçulmanos se organizarem socialmente, constituírem uma sociedade justa regida pelas Leis Sagradas e também para que eles pudessem se estruturar militarmente para reagirem à opressão dos pagãos coraixitas que os perseguiam. Não é à toa que este é o marco que inicia o calendário islâmico.

“Omar disse, ‘A Hégira separou a verdade da falsidade, então calcule as datas a partir dela.’” (Ibn Hajar al Asqalani)

Antes mesmo de chegar em Medina, o Profeta e seus companheiros construíram a primeira mesquita da história do Islam próximo à cidade: a Mesquita de Quba. O aniversário deste evento é marcado pelas belas lições que o Profeta deixou aos muçulmanos, em que ele disse:

“Deixe-me como eu os deixo, pois as pessoas antes de vocês estavam arruinadas por causa de suas dúvidas e diferenças com seus profetas. Então, se eu proíbo você de fazer algo, fique longe disso. E se eu ordeno que você faça algo, então faça o máximo que puder.” (Bukhari)

A morte do Profeta

O mês em que o Profeta nasceu e concluiu a imigração foi o mesmo em que Deus levou Seu amado Profeta de volta para Ele. Este evento, que chocou os companheiros do Mensageiro de Allah, ocorreu no dia 12 de Rabi al Awwal, depois que ele passou alguns dias doente.

Alguns companheiros, como Omar Ibn al Khattab, pensaram que a morte do Profeta deveria ser mentira. Outros, como no caso de Umm Ayman, lamentaram, pois não iriam mais escutar as boas novas que viriam do Céu. Foi neste momento de profunda tristeza que Abu Bakr lembrou aos muçulmanos de uma importante lição deixada por Deus e Seu Mensageiro:

“Ó povo! Se era Muhammad a quem você adorava, saiba que ele está morto. Mas se é Allah a quem você adora, saiba que Ele não morre.”

O lamento pela morte do Profeta é um sentimento comum para o muçulmano. É parte do amor que o crentes possuem por ele, e essa é uma importante lição sobre a qual o mês de Rabi al Awal nos convida a refletir.

Links para Leitura

Sobre a Redação

A Equipe de Redação do Iqara Islam é multidisciplinar e composta por profissionais da área de Marketing, Ilustração/Design, História, Administração, Gestão de Recursos Humanos, Tradutores Especializados (Árabe e Inglês) e especialistas na Religião Islâmica. Atualmente a equipe é composta por 10 profissionais.