Página Inicial » Desvendando Mitos » Símbolos do Islamismo: O Que São e O Que Significam

Símbolos do Islamismo: O Que São e O Que Significam

Você sabe quais são os símbolos culturais do Islamismo? Entenda a origem, significado e motivo da existência de cada um deles.
  • Embora o Islam não tenha um símbolo oficial, muitas representações são associadas à religião e à fé dos muçulmanos por razões culturais.
  • Algumas coisas tidas como símbolos islâmicos traduzem bem a crença islâmica e são usados nas diversas formas de representação e arte islâmica.
  • A simbologia religiosa é fortemente representada na arquitetura islâmica em todo mundo.

O Islam é uma religião que não possui imagens de Deus, e para além disso, a própria representação de figuras humanas e angélicas possui muitas limitações, de acordo com o entendimento de boa parte dos sábios da religião.

Não existem figuras sacras dentro dos templos e não há nenhuma representação oficial da religião difundida como obrigatória em suas fontes primárias.

Isto pode parecer estranho para muitas pessoas, porque alguns signos que estão presentes nas bandeiras, de determinados países de maioria muçulmana, costumam ser confundidos com símbolos sagrados islâmicos, ou de veneração.

A falta de uma imagem visual para associar à crença dos muçulmanos deixa muitas pessoas inquietas e, por isso, elas acabam buscando suas próprias definições.

De fato, algumas pessoas definem como símbolos da religião algumas coisas que são importantes para a fé islâmica, mas não quer dizer que elas tenham o mesmo significado, por exemplo, da cruz para os cristãos. Veja alguns signos que costumam ser relacionados à crença dos muçulmanos e suas respectivas explicações.

1. Lua Crescente e Estrela

Bandeira da Turquia
Bandeira da Turquia

O símbolo mais comumente associado ao Islam é a lua crescente e a estrela, que se trata, na verdade, de uma representação utilizada por diversos estados muçulmanos ao longo da história, sem um consenso de suas origens.

Depois do surgimento e expansão do Califado Otomano, a imagem foi difundida para lugares onde o império dominava, porém entidades políticas islâmicas anteriores já a utilizavam. 

A lua e a estrela não têm nenhum significado venerável para a fé islâmica. Embora o fato de que os muçulmanos seguem o calendário lunar, ou mesmo de a lua crescente marcar o início do Ramadan possa sugerir alguma relação destes símbolos com o Islam, causando confusão em pessoas leigas. 

Hoje, o signo com a lua e a estrela aparece em algumas bandeiras nacionais e até mesquitas, mas a maioria dos locais onde ele está presente teve alguma influência otomana.

Este império durou mais de 600 anos e teve diversos domínios na Ásia, Oriente Médio, África e Europa. A forma como os turcos marcaram grande parte da história islâmica fez com que muitas pessoas associassem seus símbolos nacionais à religião da qual eram adeptos.

2. Shahada

Shahada

A shahada não é exatamente um símbolo, e sim uma frase que deve ser recitada quando o muçulmano faz a profissão de fé. Atualmente, ela é mais conhecida por estampar a bandeira da Arábia Saudita, mas também está presente na bandeira do Afeganistão. 

A shahada transliterada diz  “la ilaha illa Allah Muhammadun rasulu llah”, que significa, em português, “Não há divindade além de Allah, Muhammad é o mensageiro de Allah”. Esta frase é própria do Islam e está presente nas mesquitas, nos chamados para as orações e também nas preces islâmicas

Devido à sua importância, muitas pessoas acreditam que a shahada é um símbolo islâmico. Mas seu uso em mastros e nas artes é algo tardio, apesar de fazer parte do Islam. Mesmo assim, a presença da frase sagrada nas mesquitas e bandeiras não costuma ser questionada por muçulmanos.

3. Estrela de Oito Pontas

Estrela de Oito Pontas

A estrela de oito pontas também é conhecida como Rub el Hizb e é muito frequente nos padrões artísticos das mesquitas. Na ausência de imagens, a geometria é algo muito utilizado pelo Islam para embelezar os templos, uma vez que, muitas vezes, essas figuras trazem consigo alguns significados. 

No caso, esta estrela é formada por dois quadrados sobrepostos, e cada ponta representa um Hizb, que são 60 grupos de suratas do Alcorão de comprimento parecido. O símbolo determina cada quarto do Hizb, o que, na prática, é útil para facilitar a recitação do Alcorão.

Este símbolo, que também possui relevância na cultura islâmica, está presente em emblemas de alguns países, como por exemplo, do Turquemenistão e também do Uzbequistão.

4. Espada

Espada de Ali

Muitas pessoas associam o Islam a alguns tipos de espada com pontas curvas, ou até mesmo com duas pontas, em um formato parecido com uma tesoura.

Ao longo de vários séculos, esta arma já foi utilizada por alguns guerreiros muçulmanos. Atualmente, porém, o uso deste objeto geralmente remete a razões diferentes que, na maioria das vezes, não estão ligadas à religião.

Talvez o exemplo mais famoso seja a espada utilizada nos símbolos nacionais da Arábia Saudita, que remetem à força e ao sacrifício. Este símbolo também foi usado em algumas representações do rei Shah Jahan na época em que os muçulmanos dominavam a Índia, durante o Império Mogol.

Entre os xiitas, é comum haver representações de Ali Ibn Abu Talib junto a uma espada zulfilqar, que possui duas pontas. Esta arma foi utilizada por ele e simboliza as lutas e o sacrifício deste homem, que eles acreditam ser o único legítimo sucessor do Profeta Muhammad. 

Ao longo da história, as espadas também fizeram parte de algumas bandeiras, como a do Iêmen, do governo de Kara Mahmud na Albânia e do estandarte das embarcações do almirante otomano Hayreddin. No entanto, a arma quase nunca foi usada como uma expressão de fé e, na maioria das vezes, estava ligada a símbolos nacionais ou representações que buscassem demonstrar a força.

5. O nome de Allah

Nome de Allah em árabe

Na grafia árabe, o nome de Allah sintetiza toda a fé do muçulmano e não há nada de errado em associar a fé islâmica a ele. No entanto, é importante lembrar que não é um ídolo, e sim a forma pela qual se referir ao Altíssimo em caligrafia. 

Assim como a shahada, o sagrado nome de Allah também costuma ser usado para enfatizar a adoração e embelezar as mesquitas. Outras palavras em árabe também costumam ser usadas de forma artística, principalmente versos do Alcorão.

6. Caaba e Pedra Negra

Caaba e Pedra Negra

A Caaba é o templo mais importante do mundo para os muçulmanos. Ela é a referência para direção onde os fiéis devem orar e o principal destino da peregrinação em Meca, pois foi construída pelo Profeta Ibrahim (Abraão) em um local determinado por Deus.

Já o minério fixado na parede da Caaba é também um dos objetos mais importantes para o Islam, pois foi um objeto vindo do Paraíso, fixado pelo Profeta Ibrahim enquanto ele erguia a estrutura.

No entanto, vale lembrar que os muçulmanos não adoram a Caaba nem a Pedra Negra, já que elas não são divindades, nem dividem poder algum com Deus.

Não é à toa que, historicamente, mesmo tendo grande importância para a religião, elas nunca foram muito exploradas como símbolos islâmicos como outros elementos citados anteriormente.

7. A Lanterna do Ramadan

Lanterna do Ramadan

A lanterna, cujo nome original é fanus, é uma decoração especial de Ramadan que surgiu no Egito, na época do Califado Fatímida, e acabou se espalhando para o resto do mundo islâmico. 

Seu significado está mais associado a uma tradição cultural da iluminação decorativa das cidades do Oriente Médio medieval paras as orações noturnas, durante o mês sagrado.

8. Cores

Preto

Durante o período de vida do Profeta  Muhammad, a principal bandeira dos muçulmanos era a al-Uqab, uma bandeira de cor preta, sem nenhum símbolo ou frase escrita. Esta cor também foi adotada como a cor do Califado Abássida, que governou parte do mundo islâmico entre os anos de 750 e 1258.

Branco

Os muçulmanos são encorajados a usar a cor branca, especialmente durante as orações das sextas-feiras, pois remete à pureza. Esta cor também é usada pelos fiéis durante a peregrinação à Meca. E também era a cor utilizada pelo Califado Omíada em suas bandeiras.

Verde

O Alcorão diz que aqueles que habitarão o paraíso usarão roupas de seda verde (18:31). Essas menções fazem com que a cor verde seja muito difundida no Islam, estando presente nas mesquitas, em cópias do Alcorão e também nas bandeiras de alguns países. Era uma cor especialmente apreciada pelo Profeta.

Vermelho, Preto, Branco e Verde

Esta combinação de cores está presente na bandeira de vários países árabes, como Iraque, Kuwait, Síria, Palestina, Jordânia, Sudão, Emirados Árabes, etc. Isso é motivado pelo ideal político pan-árabe que ganhou força entre esses países no século XX. No entanto, este padrão não possui nenhuma ligação com a religião islâmica.

Links para Leitura

Sobre a Redação

A Equipe de Redação do Iqara Islam é multidisciplinar e composta por profissionais da área de Marketing, Ilustração/Design, História, Administração, Gestão de Recursos Humanos, Tradutores Especializados (Árabe e Inglês) e especialistas na Religião Islâmica. Atualmente a equipe é composta por 10 profissionais.