Página Inicial » Arte e Cultura Islâmica » 14 Cantores de Músicas Islâmicas que você precisa conhecer
Cantores de Músicas Islâmicas que você precisa conhecer
Yusuf Islam (Cat Stevens)

14 Cantores de Músicas Islâmicas que você precisa conhecer

  • A música no Islam pode ser um instrumento para aproximar os fiéis do caminho da fé
  • A cultura muçulmana é rica em todos os aspectos, inclusive na arte
  • Há muitos muçulmanos que exaltam o ensinamentos de Allah através das canções 
  • Muitos músicos não têm seu valor reconhecido por estarem em países onde a indústria musical não é muito forte

A música é um tema bastante abordado dentro do Islam e, mesmo que existam diversas opiniões em torno do assunto, muitos muçulmanos concordam que ela pode ser uma forma de estabelecer uma conexão espiritual com Allah, ou até mesmo uma maneira de se entreter, quando a canção exalta aquilo que é louvável ou condena o que é errado.

No Islam, sempre houveram músicos que fizeram letras e melodias que ajudassem os fiéis a se manter no caminho da religião e, atualmente, muitos artistas continuam conquistando o público através de canções que louvam o Criador e seus ensinamentos. Confira alguns nomes:

1. Al Firdaus Ensemble

O conjunto musical Al Firdaus Ensemble se define como um grupo sufi multicultural. A sonoridade de suas canções explora muitos instrumentos folclóricos, regionais e eruditos, como o violão flamenco, violino e percussão. 

Apesar de contar com membros de diversas nacionalidades, o conjunto reside na cidade de Granada, no sul da Espanha.

Além de composições que enviam bênçãos ao Profeta Muhammad ﷺ e exaltam os seus feitos, há também uma série de poemas escritos pelos antigos mouriscos que foram transformados em canções pelo Al Firdaus Ensemble. Elas são acompanhadas por um belo coral e também por um conjunto instrumental que cria uma atmosfera sonora que transporta o ouvinte para a Europa islâmica da idade média, Andaluzia.

A canção mais famosa é “Celtic Salawat”. O grupo possui dois álbuns lançados: Nur e Safa. Além dos dois, há um EP, com a canção “Habbu Nabi”.

2. Hassan El-Shafei

Com um estilo moderno, próximo da música pop ocidental, o cantor egípcio Hassal El-Shafei carrega em sua sonoridade algumas influências da música regional de sua terra. Embora suas canções abordem diferentes temas, a fé islâmica é influência para algumas de suas letras.

Uma música em que a espiritualidade fica nítida é a faixa “Allah”, gravada em 2011, junto com o músico Wael Mansour. 

Em 2009, seu trabalho foi reconhecido ao conquistar o prêmio de melhor produtor musical no Middle East Music Awards.

Recomendado para você:  Como o Islam Influenciou a Gastronomia Indiana

3. Sami Yusuf

Com uma sonoridade bastante atual, o cantor iraniano Sami Yusuf foca bastante suas composições na doutrina islâmica. Ele é conhecido especialmente na Grã-Bretanha, local onde vive. Seus álbuns são sucesso absoluto e ele já chegou a vender 34 milhões de cópias.

Para as pessoas que entendem a língua inglesa, o artista possui algumas canções neste idioma. Além de tudo, muitas canções de Sami têm um tipo de melodia que é bastante comum aos ouvidos ocidentais, o que pode agradar especialmente àqueles que desejam escutar músicas islâmicas, mas não estão acostumados com os ritmos de outras culturas.

As músicas mais conhecidas de Sami Yusuf são: Hasbi Rabbi, Al Muallim, Asma Allah, Nasimi e You Came To Me.

4. Mohamed Tarek

O cantor egípcio Mohamed Tarek aborda bastante a doutrina islâmica em suas canções. A melodia de suas músicas possui uma sonoridade moderna, ritmos mais calmos e algumas referências musicais da cultura local. 

Ele possui um álbum disponível em plataformas de streaming, além de diversos EPs. Embora tenha começado sua carreira recentemente, no ano de 2018, ele tem se mostrado um artista promissor dentro do estilo que propõe. 

5. Boubacar Traoré 

Sempre acompanhado de sua taqiyah e de seu violão, o malinês Boubacar Traoré traz em suas canções ricas poesias e percepções dos dramas da humanidade e de sua própria comunidade. Embora ele escreva sobre diversos temas, em algumas canções fica nítida a fé que ele carrega. 

Na letra da música “Saya Temokoto”, por exemplo, ele diz: “Meus irmãos, meus irmãos malineses, nossos destinos estão nas mãos de Allah”.

Quem gosta de blues, ou do folk norte-americano, talvez note que as raízes desses gêneros estão muito presentes nas composições de Boubacar, que são legitimamente africanas.

Entre as canções mais famosas deste compositor, estão: Hona, Serrer la Main, M’Badehou e Minuit.

6. Native Deen

Native Deen é um conjunto de hip-hop dos EUA que possui algumas influências de R&B e suas letras são inspiradas nos ensinamentos da doutrina islâmica. O trio é formado por Joshua Salaam, Naeem Muhammad, e Abdul-Malik Ahmad.

Eles estrearam em 2005 e lançaram três discos em sua carreira: Deen You Know (2005),  Not Afraid to Stand Alone (2007) e The Remedy (2011).

O grupo é um dos mais populares entre os jovens muçulmanos dos Estados Unidos.

Por seguirem orientações de alguns estudiosos muçulmanos, os instrumentos de sopro, de corda e metais nunca foram usados nas canções do conjunto.

7. Dawud Wharnsby Ali

Dawud é um artista canadense que possui discos com temáticas islâmicas, além de outros que abordam temas diversos. Em álbuns que fala exclusivamente sobre a religião, ele evita o uso de instrumentos, para contemplar um público maior de muçulmanos.

Recomendado para você:  Como o Islam Influenciou a Gastronomia Indiana

Ele é multi-instrumentista e já trabalhou com diversos artistas famosos, incluindo Yusuf Islam (ex-Cat Stevens).

Um de seus discos mais conhecidos é o “Colours of Islam”, onde também está a canção mais ouvida pelo público, “Sing! Children of The World”.

Suas canções possuem belas melodias e costumam ser acompanhadas por um coral. Ele também compõe músicas com temática islâmica para o público infantil.

8. Zain Bhikha  

Quem também explora a temática islâmica de forma autêntica é o cantor sul-africano Zain Bhikha, que possui canções fortemente inspiradas pela sonoridade regional.

Quem escutar o som deste artista e perceber uma sonoridade que lembra vagamente as trilhas de um filme da Disney, não estará cometendo nenhum equívoco. Isto é porque ele já fez os backing vocals na trilha sonora do filme Rei Leão.

O álbum mais popular da carreira dele é o Songs Of a Soul (2014), que possui belas canções, como “Give Thanks to Allah” e “Zamilooni”.

9. Yusuf Islam (Cat Stevens)

Uma das figuras islâmicas mais famosas do universo da música. Nascido na Inglaterra, Yusuf começou sua carreira musical nos anos 1960, com o nome artístico de Cat Stevens. Durante sua juventude, ele gravou diversos discos que fizeram sucesso internacionalmente. 

Nesta época, ele ficou famoso com os hits “Father and Son” e “Wild World”, que viraram hinos de uma geração. Em 1978, ele decidiu se converter ao Islam e adotou seu nome atual. Chegou a se ausentar da música durante um tempo e focou bastante em ações humanitárias para ajudar vítimas de guerras e crises humanitárias.

Voltou a compor em 1995, lançou uma série de discos com temáticas exclusivamente islâmicas e, anos mais tarde, voltou a gravar músicas que abordavam diversos assuntos.

Apesar de ter retomado sua carreira musical, Yusuf Islam administra o seu legado com muita responsabilidade, já que muitas das canções que ele compôs antes de se tornar muçulmano tocam em temas que não fazem parte do Islam e o músico não quer mais ser associado a essas questões.

10. Junoon

Uma banda de rock formada nos 1990 por integrantes paquistaneses. Eles se destacaram no cenário musical por serem os primeiros rockstars muçulmanos. 

A sonoridade do grupo, apesar de ter diversas características do rock tradicional, também possui muitas influências da música regional paquistanesa. Além disso, as letras são inspiradas pelos ensinamentos de grandes mestres sufis, como o poeta Bulleh Shah.

Recomendado para você:  Como o Islam Influenciou a Gastronomia Indiana

Em 1997, a banda ganhou o disco de platina após o álbum Azadi ter atingido um recorde de vendas na Ásia, especialmente no Paquistão, Índia e Bangladesh. 

11. Nusrat Fateh Ali Khan

Considerado uma das maiores vozes já gravadas, o paquistanês Nusrat Fateh Ali Khan foi um dos cantores responsáveis por popularizar, no ocidente, um dos tipos de canção de adoração sufi, o qawwali.

Ficou bastante popular nos anos 1980 e até influenciou cantores da música pop ocidental, como o músico britânico Peter Gabriel.

Atualmente, na internet, ainda é possível encontrar inúmeros registros de Nusrat Fateh Ali Khan entoando alguns cantos clássicos da cultura muçulmana do sul da Ásia, como “Haq Ali Ali Haq”, e “Allah Hu Allah Hu”. 

12. Maher Zain

O cantor sueco de origem libanesa, Maher Zain, compõe canções no estilo R&B. Ele começou sua carreira em 2009 e, logo no álbum de estreia, já mostrou o quanto a religião islâmica sempre foi uma influência importante para o seu trabalho. O disco foi intitulado como “Thank You Allah”.

Desde então, Maher Zain lançou outros dois álbuns. O segundo se chama Forgive Me (2012) e o terceiro, One (2016). Seu trabalho ficou reconhecido especialmente na Malásia e na Indonésia, onde o cantor conquistou disco de platina pelos seus dois primeiros trabalhos.

Entre as músicas mais populares, podemos citar “Mawlaya”, “Baraka Allahu Lakuma”, “For The Rest Of My Life” e “In sha Allah”.

13. Sabyan 

A influência do Islam também é a marca registrada do trabalho do grupo Sabyan, da Indonésia, que possui em seu repertório melodias calmas e com muitas referências regionais.

O grupo começou em 2018 e é liderado pela cantora Nissa Sabyan. Eles já lançaram dois álbuns, Sabyan Gambus (2018) e Bismillah (2019). Este último trabalho impulsionou a popularização a banda e trouxe canções que estão repercutindo bastante na Ásia, como “Allahumma Labaik”, “El Oum” e “Syukran Lillah”.

14. Mesut Kurtis

Além de cantor, o turco-britânico Mesut Kurtis é um profundo conhecedor de leis islâmicas e jurisprudência. Ele vem de uma família tradicional de intelectuais muçulmanos da região da Macedônia. 

As origens de Mesut repercutem em seu trabalho artístico, que é influenciado pelos ensinamentos sufis e pela sonoridade turca, árabe e europeia. 

O trabalho dele começou em 2004. Desde então, o cantor lançou quatro álbuns: Salawat (2004), Beloved (2009), Tabassam (2014) e Balaghal Ula (2019). Entre as canções mais populares, está “Burdah” e “Tabassam”. 

Links para Leitura

Sobre A Redação

A Equipe de Redação do Iqara Islam é multidisciplinar e composta por profissionais da área de Marketing, Ilustração/Design, História, Administração, Gestão de Recursos Humanos, Tradutores Especializados (Árabe e Inglês) e especialistas na Religião Islâmica. Atualmente a equipe é composta por 10 profissionais.