Página Inicial » Novidades » Qual a visão do Islam sobre Deficiência física e intelectual?

Qual a visão do Islam sobre Deficiência física e intelectual?

O Islam possui visões acerca das deficiências físicas e intelectuais e dos direitos das pessoas com deficiência. Saiba mais sobre este assunto.
  • Ter deficiência física ou intelectual é visto como uma característica pelo Islam que, a princípio, não é boa e nem má.
  • Ter alguma condição desse tipo não é uma maldição, mas um teste, assim como todas as outras coisas que Allah envia aos humanos.
  • O muçulmano não deve tratar mal pessoas com deficiência, ao contrário, deve se empenhar para aliviar algum fardo, caso ela tenha.
  • Pessoas com necessidades especiais podem adaptar suas práticas religiosas e até ser dispensada delas caso seja necessário.

Vivemos em um período histórico em que há um grande esforço para retirar o estigma negativo de pessoas com deficiência, e buscar alternativas para que elas tenham mais inclusão e qualidade de vida.

Ainda assim, essas pessoas continuam, em muitos casos, sofrendo com baixa autoestima, preconceitos e exclusão social.

Infelizmente, mesmo na religião, muitas pessoas interpretam a deficiência e as necessidades especiais como uma espécie de castigo, ou fruto de maldição, magia negra, ou coisas do tipo.

Esta é uma visão equivocada, e que não condiz com que Allah revelou no Alcorão, e nem no exemplo deixado pelo Profeta Muhammad.

Neste texto, faremos uma análise das fontes sagradas para tentar compreender melhor a forma como o Islam percebe as diferenças, as limitações humanas, e as provações que as pessoas devem enfrentar nesta vida.

Deficiência Não é Maldição

A deficiência é uma mera característica, não é boa e nem má. Allah não definiu em momento algum no Alcorão um padrão físico ou intelectual que diferencia pessoas boas e ruins; amaldiçoadas ou abençoadas.

A bênção é medida apenas pela crença e boas obras, portanto ninguém é melhor por ser homem, mulher, jovem, velho, branco, negro, pessoa sem deficiência, com deficiência, etc.

O Alcorão afirma: "Ó humanidade, de fato, Nós os criamos a partir de um macho e uma fêmea e fizemos de vocês povos e tribos para que se conheçam. Certamente, o mais nobre de vocês perante Allah é o mais justo entre vocês" (Surah Al-Hujurat, 49:13). 

Aquele que possui uma deficiência, mas ainda assim crê em Allah e na mensagem revelada através do Profeta Muhammad é muito mais abençoado do que o indivíduo que não é deficiente, possui riqueza e muitos prazeres mundanos, mas não tem fé.

O Profeta Muhammad disse: "Em verdade, Allah não olha para seus corpos nem para suas formas, mas olha para seus corações" (Sahih Muslim).

Allah pode nos abençoar tirando coisas de nós, mas também pode nos amaldiçoar dando tudo aquilo que nós queremos e gostamos, pois podemos gostar de coisas que nos fazem mal e detestar coisas que nos fazem bem. 

"É possível que você deteste uma coisa que seja boa para você e ame uma coisa que seja ruim para você. Allah sabe e vocês não sabem" (Surah Al-Baqarah, 2:216). 

Aquele que possui todas as características físicas e intelectuais padrões, mas as usa para o mal, não é alguém abençoado, mas alguém que terá que acertar as suas contas com Allah pelo que fez, e isso sim pode ser considerado um castigo divino.

Todas as pessoas são iguais perante Allah e não se destacam por qualquer coisa a não ser pelas boas obras.

A Beleza da Diferença

A diferença que há entre nós, humanos, é um desafio que Allah impôs a todos para que pudéssemos exercer boas qualidades como a compaixão, diligência e a caridade. 

"E foi Ele quem os fez sucessores na terra e elevou alguns de vocês acima dos outros em graus, para testá-los no que lhes deu" (Surah Al-Anam, 6:165). 

É nas diferenças que residem os testes de Allah. Algumas pessoas serão desafiadas pela riqueza que possuem, outras pela cor da pele, pelas habilidades que carrega, ou pelas deficiências físicas e necessidades especiais. As possibilidades são inúmeras.

Como já vimos anteriormente, todas essas coisas são apenas características, e se elas são benéficas ou maléficas, tudo depende da forma como lidamos com elas. 

O Profeta Muhammad disse: "O exemplo dos crentes em sua gentileza mútua, misericórdia e compaixão é como um corpo: se um membro se queixa, o resto do corpo compartilha sua insônia e febre" (Sahih Bukhari). 

A maneira como lidamos com nossas diferenças e ajudamos uns aos outros é um reflexo de nossa fé e obediência a Allah.

Todas as Pessoas Enfrentarão as Provações

Allah, o Altíssimo, é o criador de todas as coisas. No Alcorão, encontramos: "Allah é o Criador de todas as coisas, e Ele é, sobre todas as coisas, Dispositor" (Surah Az-Zumar, 39:62). 

Tudo o que existe foi criado por Ele, e nada ocorre sem Sua permissão. Isso inclui tanto as coisas que os humanos apreciam quanto aquelas que podem ser vistas de maneira negativa, como deficiências ou necessidades especiais.

Se alguém sofre por causa de uma deficiência, mas mantém a sua crença em Allah e no Profeta Muhammad, esta pessoa será recompensada por toda dificuldade que enfrentou.

O Profeta Muhammad disse: "Nenhuma fadiga, doença, aflição, tristeza, dor ou angústia aflige um muçulmano, mesmo que seja a picada de um espinho, sem que Allah expie alguns de seus pecados por isso" (Sahih Bukhari).

Todas as criaturas de Allah são abençoadas de algum modo, mesmo que não percebam isso. O Alcorão nos lembra: "Certamente, Allah não se afasta dos crentes, nem os negligencia" (Surah At-Tawbah, 9:51). 

Cada criação possui limitações diferentes, pois é parte da condição de ser criatura. Todos nós somos finitos e débeis, sujeitos às circunstâncias impostas a nós, algumas severas e outras brandas, mas tudo é uma grande misericórdia de Allah.

As limitações são parte do Decreto Divino (Qadr) e elas existem como forma de testar as criaturas. "E, de fato, Nós os provaremos com algo do medo, fome, perda de riqueza, vidas e frutos, mas dá boas novas aos pacientes" (Surah Al-Baqarah, 2:155). 

Quando as criaturas reconhecem as bênçãos de Allah e se esforçam para ser pacientes com o que foi decretado, isso demonstra obediência e faz parte da orientação do Islam.

O Profeta Muhammad também disse: "Maravilhoso é o caso do crente, pois há bem para ele em tudo e isso se aplica apenas ao crente. Se algo de bom lhe acontece, ele é grato e isso é bom para ele. Se algo de ruim lhe acontece, ele é paciente e isso é bom para ele" (Sahih Muslim).

Aquele que entende e aceita de bom grado as provas impostas por Allah encontrou o favor de seu Senhor. 

O verdadeiro infortúnio é afastar-se de Allah. "Mas quem desviar-se da Minha lembrança, certamente terá uma vida difícil" (Surah Ta-Ha, 20:124). 

Estar próximo de Allah, aceitar Seus decretos e ser paciente é encontrar bênçãos em todas as circunstâncias.

Pessoas com Deficiência Devem ter sua Dignidade Assegurada

É parte da etiqueta do muçulmano não menosprezar ou ridicularizar os outros, pois eles podem ser melhores aos olhos de Allah do que nós mesmos. 

O Alcorão nos orienta: "Ó vós que credes, não ridicularizeis os outros, pois eles podem ser melhores do que vocês..." (Surah Al-Hujurat, 49:11). 

Pessoas que possuem alguma condição das quais dependem de assistência e acessibilidade devem ser ajudadas, pois aliviar o fardo dos outros também é considerado caridade. 

O Profeta Muhammad disse: "Aquele que alivia a dificuldade de um crente em dificuldade, Allah aliviará sua dificuldade no Dia da Ressurreição..." (Sahih Muslim).

Se a alguém tiver condições severas que impedem ou dificultam muito sua capacidade de trabalhar, ela se torna eletiva a receber a caridade do Zakat

Se uma pessoa com deficiência tiver muita dificuldade em realizar um ato religioso obrigatório, como oração e jejum, ela pode adaptar o ritual para que seja mais fácil para ela conseguir. 

O Profeta Muhammad disse: "Quando eu vos ordeno algo, realizai-o na medida do possível" (Sahih Bukhari). 

Em casos severos, onde há riscos à saúde ou total incapacidade de realizá-lo, ela está automaticamente dispensada da obrigação. "Allah não impõe a uma alma uma carga maior do que ela pode suportar..." (Surah Al-Baqarah, 2:286).

Como o Profeta Lidava com Pessoas com Deficiência

Julaybib foi um dos companheiros do Profeta Muhammad cuja história ilustra a humildade, a nobreza e a importância de todos os crentes, independentemente de suas aparências ou condições sociais.

Julaybib não era uma pessoa de aparência atraente e era considerado um dos menos favorecidos entre os companheiros. 

Sua baixa estatura e deformidades físicas congênitas faziam dele um alvo de ridicularização por parte das pessoas. Ele também não tinha família nem riqueza, o que o colocava numa posição ainda mais desprivilegiada na sociedade árabe pré-islâmica.

Apesar de sua aparência e condição, Julaybeeb tinha um coração puro e uma fé inabalável em Allah e no Profeta Muhammad. Ele era conhecido por sua devoção e sinceridade, mas devido às suas características, ele nunca havia se casado.

Um dia, o Profeta Muhammad perguntou a um de seus companheiros sobre a possibilidade de casar sua filha com Julaybib. 

Inicialmente, os pais da moça ficaram chocados com a proposta, pois eles esperavam um pretendente mais "adequado" para sua filha. 

No entanto, ao saber que a proposta veio diretamente do Profeta Muhammad, a filha aceitou imediatamente, demonstrando sua fé e obediência.

Ela disse: "Se o Profeta de Allah está satisfeito com Julaybib, então eu também estou satisfeita." Esta resposta não só mostrou sua submissão à vontade do Profeta, mas também sua compreensão da verdadeira natureza da fé e da bondade.

Em uma das batalhas, Julaybib participou ativamente e lutou bravamente ao lado dos muçulmanos. 

Após a batalha, o Profeta Muhammad perguntou aos seus companheiros: "Vocês estão sentindo falta de alguém?" Eles começaram a mencionar os nomes dos mortos e feridos, mas ninguém mencionou Julaybib.

Então o Profeta Muhammad disse: "Mas eu sinto falta de Julaybib." Eles encontraram seu corpo no campo de batalha ao lado de sete inimigos que ele havia matado antes de ser martirizado. 

O Profeta Muhammad olhou para Julaybib e disse: "Ele é de mim e eu sou dele."

O Profeta Muhammad pessoalmente cavou a cova para Julaybib e, com suas próprias mãos, colocou-o nela. 

A sua história resume como o Islam percebe as deficiências físicas. Julaybib foi um dos melhores homens que já existiu, e sua condição nunca foi empecilho para ele fazer grandes obras e ser um bom muçulmano, muito menos para ser amado por Allah e Seu Profeta.

Conclusão

O Islam vê qualquer tipo de deficiência como uma mera característica, nem boa nem má. 

Tudo que Allah envia para a humanidade é um teste, e no caso de uma deficiência não é diferente. O importante neste e em qualquer outro caso, é que a pessoa busque amparo em Allah e se esforce para seguir a religião.

Quem buscar na religião as respostas para uma adversidade por causa do preconceito, exclusão e falta de acessibilidade, seja para enfrentar as dificuldades de uma deficiência, ou para lidar com alguma pessoa que a possui, será alguém abençoado.

Ter a bênção de Allah é mais importante do que a aparência, as características físicas e qualquer outra coisa.

O Islam garante a dignidade da pessoa com deficiência, preza pela inclusão desses indivíduos, e tem no exemplo profético um modelo de como bem tratá-los e de esforço para garantir que eles sejam incluídos socialmente.

Pessoas que possuem dificuldade de cumprir alguma obrigação religiosa por causa de uma deficiência, podem adaptar suas práticas e até mesmo serem dispensados de terem que cuprí-las.

Links Para Leitura

Sobre a Redação

A Equipe de Redação do Iqara Islam é multidisciplinar e composta por especialistas na Religião Islâmica, profissionais da área de Marketing, Ilustração/Design, História, Administração, Tradutores Especializados (Árabe e Inglês). Acesse nosso Quem Somos.