Página Inicial » Notícias » Google remove aplicativo Iraniano que combate Coronavírus

Google remove aplicativo Iraniano que combate Coronavírus

Governo iraniano pediu aos seus cidadãos que baixassem o aplicativo que ajuda a diagnosticar o coronavírus, mas o Google o removeu da loja de aplicativos.
  • O Governo do Irã desenvolveu um aplicativo para ajudar a população a obter o diagnóstico de infecção pelo coronavírus (COVID-19).
  • O aplicativo questiona o usuário sobre os sintomas que possui e lhe oferece o diagnóstico. Desta forma, não seria necessário que ele fosse a um hospital.
  • O aplicativo chegou a ficar disponível na loja do Google, mas foi retirado pela própria empresa americana, que não justificou o motivo.
  • Apesar disso, o aplicativo ainda continua disponível em um site e já foi baixado por mais de 4 milhões de pessoas.

O Irã é um dos países mais atingidos pelo coronavírus. Até o momento, mais de 10.000 casos já foram confirmados no país e o número de mortes chegou a 429. A vida cotidiana do país foi completamente alterada devido à ameaça de contaminação pela doença. Vários eventos públicos foram suspensos, as mesquitas estão fechadas e as aulas foram canceladas.

Até mesmo um aplicativo para celulares do tipo Android foi criado, com o objetivo de evitar que os pacientes precisem se deslocar até um hospital para obter um diagnóstico. O recurso surgiu no Irã e solicita aos usuários que respondam algumas perguntas que auxiliam a investigar se foram infectados pelo vírus. 

O governo do país chegou a disparar SMS em massa, pedindo que os cidadãos façam o download do aplicativo, que serviria principalmente para que os casos mais avançados da doença fossem identificados e tivessem o seu diagnóstico.

Decisão controversa

O Google decidiu retirar o aplicativo iraniano da Google Play, sua loja de aplicativos. A explicação mais provável é a de que esse tipo de diagnóstico não pode ser obtido através de um aplicativo, mas sim por uma consulta médica, na qual a análise microbiológica da garganta é realizada. Mas o assunto ainda gera discussões. 

Os usuários ficaram preocupados, com suspeitas de que o governo do Irã usaria o dispositivo como um pretexto para espionar as pessoas que o utilizassem. Isto se deve ao fato de que o desenvolvedor é a empresa Smart Land Strategy que, no passado, desenvolveu aplicativos para o governo iraniano que continham spyware.

Após o download, o aplicativo solicita acesso a detalhes de localização geográfica do usuário em tempo real. No entanto, uma análise feita pelo site ZDnet, que é especializado em tecnologia, constatou que o recurso iraniano não requisita acesso a nenhuma outra informação além do que já é exigido em outros programas semelhantes.

Porém, um fato que passou despercebido aos olhos de muitas pessoas é que a empresa americana não permite aplicativos criados por desenvolvedores do Irã em sua loja, o que provavelmente pode ser o motivo de o recurso não estar mais disponível para o download.

Iranianos aderem ao novo recurso

Embora o Google tenha suspendido o download do aplicativo na sua loja de apps, ele ainda continua disponível em um site e já foi baixado por mais de quatro milhões de iranianos. O ministro da tecnologia do Irã, MJ Mazari Jahromi, afirmou que, em todo o país, foram coletados dados importantes que estão sendo úteis para mapear a ação do vírus. 

Links para Leitura

Sobre a Redação

A Equipe de Redação do Iqara Islam é multidisciplinar e composta por profissionais da área de Marketing, Ilustração/Design, História, Administração, Gestão de Recursos Humanos, Tradutores Especializados (Árabe e Inglês) e especialistas na Religião Islâmica. Atualmente a equipe é composta por 10 profissionais.