Página Inicial » Praticando o Islam » Eid al Adha: O que é a Festa do Sacrifício comemorada por Muçulmanos

Eid al Adha: O que é a Festa do Sacrifício comemorada por Muçulmanos

Deus ordenou ao Profeta Abraão que imolasse seu filho Ismael e ele concordou. Por causa desta demonstração de fé, Deus o recompensou, salvando Ismael.
  • O Eid al Adha é a festa que relembra o milagre ocorrido no sacrifício do Profeta Ismael, realizado pelo Profeta Abraão.
  • A festa acontece no mês do Zul Hijjah, durante a celebração da peregrinação do Hajj.
  • Este dia é marcado por muita festa e reflexão sobre a fé.

Durante o décimo dia do mês de Zul Hijjah, o décimo segundo mês do calendário islâmico, os muçulmanos realizam a festa do sacrifício que, em árabe, é chamada de Eid al Adha. Trata-se de uma celebração com alguns rituais específicos e com significados bem especiais para os adeptos do Islam, na qual tradicionalmente se realizam grandes confraternizações e reflexões sobre este período sagrado.

A festa coincide com o Hajj, a peregrinação obrigatória que os muçulmanos devem realizar à Meca pelo menos uma vez na vida. O Eid é celebrado tanto por aqueles que estão fazendo o ritual obrigatório na Cidade Sagrada do Islam, quanto pelos fiéis que não estão.

Esta data é uma das mais importantes do Islam e é considerada feriado em vários países onde há predominância de muçulmanos.

Significado

A Festa do Sacrifício possui este nome em referência a um grande ato de fé realizado pelo Profeta Abraão. Ele começou a ter sonhos em que sacrificava o seu filho, o Profeta Ismael, e sabia que se tratava de um sinal divino. Por isto, falou com Ismael qual era a vontade de Deus e ambos aceitaram que isso deveria ser feito.

Enquanto se preparava para abater seu filho, o Profeta Abraão escutou Satanás lhe atentando, na tentativa de convencê-lo a desistir de cumprir a vontade divina. O Profeta afastou a criatura amaldiçoada, atirando-lhe pedras. Quando se preparava para abater o seu filho, Deus interveio e disse a Abraão: 

“Ó Abraão, Já realizaste a visão! Em verdade, assim recompensamos os benfeitores.” (Alcorão 37:104-105)

Foi então que o anjo Gabriel trouxe um carneiro dos céus e o ofereceu ao Profeta Abraão para que sacrificasse o animal no lugar de seu filho. 

Para celebrar a fé do Profeta Abraão e a sobrevivência do Profeta Ismael, muçulmanos de todo o mundo celebram uma festa na qual tradicionalmente um animal é abatido e sua carne é servida como alimento.

A oração da festa

No dia da festa, os muçulmanos devem fazer a oração da alvorada (Fajr), seguida de um banho ritual (ghusl). Devem sair de casa em jejum e, a caminho do local onde será feita a oração, devem repetir “Allahu Akbar” (Deus é Maior), até que o imam que conduzirá a oração da festa (Salat al Eid) chegue para realizar o ritual. 

Durante a Festa do Sacrifício e durante os próximos três dias, o muçulmano deverá, após o final de cada oração, repetir a sentença: Allahu Akbar. Este ritual deve se encerrar ao final do quarto dia, após a oração da alvorada.

A reza deve ser feita em comunidade e é realizada em um período após o nascer do sol e anterior à prece do meio-dia (Dhur). Ela não possui um chamado para oração (azan) e consiste em duas unidades de prostração (Rakat), seguidas de um sermão feito pelo imam.

O sacrifício

Normalmente, as pessoas mais abastadas abatem um animal para comer, como um boi, camelo, carneiro, etc. Esta carne é conhecida como “Qurbani” e é dividida com as pessoas mais pobres, pois, assim como em todas as celebrações islâmicas, a mensagem final é sempre a misericórdia e a caridade

As pessoas criam o animal com amor e costumam investir muito dinheiro para mantê-lo. O ato de sacrificá-lo serve como lembrança de que, para Deus, somente o esforço pela fé é o que, de fato, é importante.

“Nem suas carnes, nem o seu sangue chegam até Allah; outrossim, alcança-O a vossa piedade. Assim vo-los sujeitou, para que O glorifiqueis, por haver-vos encaminhado. Anuncia, pois, a bem-aventurança aos benfeitores. (Alcorão 22:37)

Os peregrinos que estão no Hajj também abatem animais em Meca. Esta carne também é doada aos pobres pelas entidades que organizam a peregrinação.

Outras tradições

Durante a festa do sacrifício, é comum que muçulmanos visitem os parentes e amigos, troquem presentes e vistam suas melhores roupas. Em alguns lugares ao redor do mundo, alguns pratos e sobremesas específicas são preparados especialmente para a ocasião.

Para aqueles que não estão em Meca, há também uma tradição em jejuar nos nove dias do mês anteriores à Festa do Sacrifício, em especial no nono dia, quando os peregrinos estão no Monte Arafah clamando pela misericórdia divina em um ritual que marca o dia mais importante da peregrinação.

Links para Leitura

Sobre a Redação

A Equipe de Redação do Iqara Islam é multidisciplinar e composta por profissionais da área de Marketing, Ilustração/Design, História, Administração, Gestão de Recursos Humanos, Tradutores Especializados (Árabe e Inglês) e especialistas na Religião Islâmica. Atualmente a equipe é composta por 10 profissionais.