Página Inicial » Perguntas e Respostas » O idioma do Sermão de Sexta-Feira na Escola Maliki – Sheykh Rami Nsour

O idioma do Sermão de Sexta-Feira na Escola Maliki – Sheykh Rami Nsour

Pergunta: É válido na escola de Maliki uma pessoa fazer a khutba na sexta-feira traduzindo passagens do sermão em árabe, para o idioma local da assembléia, ou é proibido ter qualquer palavra em outro idioma que não o árabe na khutba?

Resposta:

Árabe na Khutba

Segundo a escola de Maliki, a Khutba deve ser em árabe, para que seja válida. Se alguém falar português por uma pequena porção do sermão, isso não invalidaria a Khutba. Isto é, com a condição de que o discurso em uma língua que não o árabe não seja muito longo.

Quando alguém fala uma língua, que não o árabe na oração, é como se estivesse em silêncio. Isto é baseado no princípio de que “aquilo que não é reconhecido pela Sharia é tratado como se não existisse” (al ma’dumu shar’an kal ma’dumi hissan). Uma pausa no sermão em árabe, para tradução, é permissível se não for longa. Então, quando alguém fala uma língua que não árabe, ela não conta, e portanto, recebe a decisão do silêncio. Esta mesma regra se aplica à Khutba do Eid.

Alternativas

Se uma pessoa estiver em um país que não fala árabe, ela poderá dar um breve resumo em outro idioma que não o árabe e em seguida, dar o sermão todo em árabe. 

Os estudiosos mencionam que mesmo que as pessoas não entendam árabe, a porção Khutba ainda deveria estar em árabe. Eles dizem que há um segredo na língua árabe, pois ela pode alcançar os corações daqueles que não conseguem entendê-lo.

A sabedoria do árabe

Shaykh Muhammad Illish, em suas notas de rodapé sobre as notas marginais de Dusuqi no Sharh al Kabir em Khalil menciona isso. Ele diz sobre o sermão ser em árabe, “Ainda que a congregação não seja falante do árabe, (o sermão deve ser em árabe) porque as palavras da verdade alcançarão e afetarão o coração, mesmo que seu significado não seja compreendido. Isto é o mesmo com a recitação do Alcorão.”

Ele então continua dizendo: “A pessoa que faz o sermão deve entender as palavras, e por isso não é suficiente para um não falante do árabe, simplesmente dizer as palavras se ele não as entende.”

Conselho

Recomendado para você:  Um muçulmano pode trabalhar para um restaurante que serve carne de porco e álcool?

A plataforma da oração de sexta-feira é uma parte crucial da manutenção do Islam entre os membros da comunidade. Para aqueles que vivem em uma terra que não fala árabe, todo cuidado deve ser tomado em não cancelar ou evitar a oração da sexta-feira. Se a regra da escola Maliki não puder ser mantida, seguindo as diretrizes acima (incluindo o árabe e o português intercalado), então a comunidade deve considerar seriamente seguir a opinião válida de outra escola, que permita uma khutba em outra língua, que não o árabe. 

E Allah sabe melhor.

Fonte: https://malikifiqhqa.com/uncategorized/the-language-of-the-friday-sermon-khutba-in-the-maliki-school/

Sobre A Redação

A Equipe de Redação do Iqara Islam é multidisciplinar e composta por profissionais da área de Marketing, Ilustração/Design, História, Administração, Gestão de Recursos Humanos, Tradutores Especializados (Árabe e Inglês) e especialistas na Religião Islâmica. Atualmente a equipe é composta por 10 profissionais.