Página Inicial » Praticando o Islam » Fundamentos do Jejum de acordo com a Escola Maliki

Fundamentos do Jejum de acordo com a Escola Maliki

Conheça, por meio de uma aula, os fundamentos do jejum de acordo com a escola de jurisprudência Maliki, com Marcelo Jafar.

O que será abordado e o que você aprenderá?

  • Quais as regras do jejum
  • Como realizar um jejum válido, segundo a Escola Maliki
  • Quais os benefícios do jejum
  • Quais as recompensas do jejum
  • Quando se deve jejuar

Aula por Marcelo Jafar

Texto base

  1. O jejum do mês de Ramaḍān é obrigatório / e em Rajab e Shaʿbān é recomendado,
  2. Assim como nos primeiros nove dias de Dhu ‘l-Ḥijja e sobretudo no último (desses dias), / bem como no mês de Muḥarram e sobretudo no dia dez (desse mês).
  3. O início do mês se confirma pela visão do crescente lunar / ou completando-se trinta dias do mês anterior.
  4. Os elementos obrigatórios do jejum são a intenção na noite anterior / e a abstenção de relações sexuais, bebida, comida,
  5. De vomitar e de fazer com que qualquer coisa chegue ao estômago / por meio dos ouvidos, dos olhos e do nariz – isto é o que foi narrado –
  6. No tempo que vai do despontar da aurora até o pôr do sol; / e a pessoa estar na posse da faculdade da razão no início (do jejum) é uma condição para sua obrigatoriedade.
  7. Quem não estiver de posse da faculdade da razão (nesse momento) deve repor (o jejum daquele dia). A menstruação impede / o jejum, e a mulher deve repor os dias de jejum obrigatório (perdidos por estar ela menstruada), inclusive o dia em que a menstruação terminou.
  8. É detestável tocar e pensar (numa pessoa que desperte desejo sexual) para quem está habitualmente / a salvo da emissão de madhy; se não estiver, é proibido.
  9. Considera-se (também) detestável provar (a comida) numa panela e falar em excesso. / Está desculpado aquele que vomita sem intenção, bem como (o que engole) um mosquito,
  10. E assim também o pó do trabalho e da estrada, o siwāk / seco e amanhecer em estado de janāba (impureza maior).
  11. Uma única intenção é suficiente para (o jejum de) dias sucessivos, / a menos que (tal sucessão) seja quebrada por algum impedimento.
  12. É recomendado apressar a quebra do jejum que remove (as restrições), / assim como, depois, atrasar o suḥūr (refeição da madrugada).
  13. Quem quebrar o jejum num dia de jejum obrigatório deve repor esse dia, e deve acrescentar / uma expiação (kaffāra) caso quebre propositalmente um jejum de Ramaḍān
  14. Comendo ou bebendo pela boca ou ejaculando, / ainda que seja em decorrência de um pensamento, ou também negando (a intenção) sobre a qual (o jejum) se apoia
  15. Sem que o faça em razão de uma suposição plausível; é permitido (quebrar o jejum) / em razão de dano ou de uma viagem lícita em que se possam encurtar as orações.
  16. A quebra proposital de um jejum voluntário sem necessidade / é proibida e o jejum deve ser reposto, mas não em outros casos.
  17. A expiação consiste num jejum de dois meses consecutivos / ou na libertação de um escravo que se adornou com o Islam,
  18. Mas o preferível é que se alimentem sessenta pobres / com um mudd (0,5 litro) cada um de um alimento básico abundante (na região).

Links citados

Links para Leitura

Sobre a Redação

A Equipe de Redação do Iqara Islam é multidisciplinar e composta por profissionais da área de Marketing, Ilustração/Design, História, Administração, Gestão de Recursos Humanos, Tradutores Especializados (Árabe e Inglês) e especialistas na Religião Islâmica. Atualmente a equipe é composta por 10 profissionais.