Página Inicial » História Islâmica » Arquitetura » O maior Arquiteto de todos os tempos

O maior Arquiteto de todos os tempos

A história islâmica é preenchida com arquitetos geniais. Alguns dos maiores monumentos da terra são produto de muçulmanos que queriam construir belas estruturas que mostram a grandeza do Islam ao longo do tempo. O Domo da Rocha em Jerusalém, o Taj Mahal em Agra, na Índia, a Alhambra de Granada, Espanha, e da Mesquita Azul em Istambul, Turquia, são exemplos dessa tradição arquitetônica querida e bela.

Sem dúvidas o maior e mais influente arquiteto de todos os tempos, no entanto, foi o mestre da arquitetura otomana, Mimar Sinan, que viveu entre 1489 a 1588. Ele viveu durante o auge do Império Otomano, durante os reinados dos sultões Selim I, Suleyman, Selim II, III e Murad. Durante este tempo, o horizonte icônico de Istambul foi mudado para sempre, com as belas adições de grandes sultões por Mimar Sinan.

Vida Pregressa

Mimar era o filho de um convertido grego ou armênio ao Islam, Abd al-Mannan. Ele se juntou ao corpo de elite do exército otomano, os janízaros quando era um homem jovem, como seu pai fez antes dele. Nos janízaros, Sinan mostrou talento precoce como engenheiro. Ele levantou-se através das fileiras, tornando-se um oficial do exército que participou de várias campanhas militares sob sultões Selim e Suleyman. À medida que os exércitos otomanos marcharam para novas extensões da Europa, África, e da Pérsia, Sinan foi com eles, organizando o corpo de engenharia para as forças armadas, bem como construção de mesquitas e outros edifícios públicos em cidades recém-otomanos. Em 1538, seu talento não podia mais ser ignorado e foi-lhe dada uma posição como o arquiteto chefe de governo do sultão em Istambul.

Primeiros Trabalhos

A jóia da arquitectura intemporal de Istambul sempre tem sido a Hagia Sophia. Ela foi construída como uma igreja cristã em 537 pelos bizantinos e foi convertida em uma mesquita para servir à nova população muçulmana após a conquista de Mehmed II da cidade, em 1453.

A Hagia Sophia foi a inspiração para mesquitas otomanas

A Hagia Sophia foi a inspiração para mesquitas otomanas

Desde então, arquitetos otomanos usaram a cúpula gigante da Hagia Sophia como um modelo para projetarem mesquitas muçulmanas. As mesquitas otomanas foram, assim, baseadas em uma premissa de ter uma cúpula central gigante sobre o salão principal da oração, que era acompanhada por numerosas semi-cúpulas em seus lados. Isso aumenta muito o tamanho e a capacidade da mesquita. Apesar das inúmeras tentativas, através das décadas para superar a Hagia Sophia em tamanho e beleza, nenhum arquiteto foi capaz de realizar tal façanha. Mimar Sinan fez seu objetivo de construir um monumento para o Islam que fosse mais importante que a épica Hagia Sophia.

Recomendado para você:  5 invenções Islâmicas que mudaram o mundo

Sinan certamente tinha muita prática na concepção de edifícios. Quando começou sua carreira, ele construiu mesquitas menores em todo o império. Ele construiu a Mesquita Khusruwiyah em Aleppo, na Síria, em 1547, que permanece até hoje como um marco na cidade. Ele também renovou a mesquita do Imã Abu Hanifa, em Bagdá, e a mesquita de Jalal al-Din al-Rumi em Konya. Esses projetos todos deram Sinan uma boa formação em arquitetura e engenharia, e eles também forneceram-lhe as habilidades que ele precisava, uma vez que ele começou a construir monumentos maiores para a glória do Islam.

Mesquitas Şehzade e Suleymaniye

Em 1543, um dos filhos do Sultão Suleyman, príncipe Mehmed, morreu de varíola na idade de 21 anos. Suleyman insistiu na construção de uma grande mesquita em sua honra que serviria a comunidade local em Istambul. Esta foi a primeira oportunidade que Sinan teve para construir uma grande mesquita monumental. Ao longo dos próximos quatro anos, Sinan trabalhou no que seria chamado de a Şehzade Jami’ (Mesquita do Príncipe), no centro de Istambul. Quando ficou pronta, ela se tornou um importante marco histórico da cidade, bem como uma de suas principais mesquitas. Além de ser apenas uma mesquita, ele também incluiu um complexo (kulliye) que tinha uma escola, cozinha de sopas para os pobres, um lugar para dormir para os viajantes e um túmulo para o Príncipe Mehmed. O Sultão Suleyman ficou muito satisfeito com ele, mas Sinan não considerou o trabalho uma obra-prima. Ele insistiu que ele poderia fazer melhor.

O interior da mesquita Suleymaniye em Istambul

O interior da mesquita Suleymaniye em Istambul

A segunda maior mesquita em que Sinan estava no comando era uma para o próprio sultão Suleyman. Suleyman queria outra mesquita gigante em Istambul, esta em homenagem à ele, assim ele poderia acumular as boas ações de muçulmanos que rezam nela por muito tempo depois que ele morresse. Ele queria que fosse uma parte central do horizonte de Istambul, mostrando a supremacia e glória do Islam. Eles escolheram um lugar no topo de uma colina perto do Corno de Ouro. Pode ser vista a quilômetros de distância neste local. A mesquita levou sete anos para ser construída. Diz a lenda que depois que foram lançadas as bases e antes do edifício começar a ser erguido, Sinan desapareceu por cinco anos. Furioso, Suleyman exigiu saber o que aconteceu com seu arquiteto favorito. Após cinco anos, Sinan retornou a Istambul e explicou que o prédio seria tão grande que a base necessária no solo deveria ser trabalhada por cinco anos antes para que o edifício acima pudesse começar a ser construído.

Recomendado para você:  6 importantes conversões ao Islam

Quando a mesquita foi concluída em 1557, foi considerada uma verdadeira obra-prima. Nenhuma outra mesquita em Istambul teve o espaço interior, a altura, ou o detalhe intricado da Mesquita Suleymaniye. Com seus quatro minaretes finos e altos e sua cúpula de mais de 50 metros, ela foi verdadeiramente um novo patamar em arquitetura e engenharia. A kulliye que cercava a mesquita incluia um hospital, banhos públicos, uma biblioteca (ainda em uso hoje), uma cozinha de sopa, inúmeras escolas de ensino de Alcorão, uma escola para hadith e uma escola primária para as crianças. Também faz parte do complexo um cemitério onde está enterrado o Sultão Suleyman.

No interior, arcos com a alternância de cores vermelhas e brancas foram remanescente da arquitetura da Espanha muçulmana, que neste momento era apenas uma memória. Um candelabro gigante pendurado no centro da mesquita, logo acima das cabeças dos fiéis. Em um exemplo de ambientalismo e conservação, Sinan instalou janelas especiais na mesquita. Elas tinham uma tela sobre elas que continham a fuligem que escapava das velas que iluminavam a mesquita. A fuligem era assim impedida de sujar o ar exterior e podia até mesmo ser convertida em tinta para ser usada por escritores. O interior está livre dos intrincados desenhos de algumas outras mesquitas de Istambul, e é bonito por sua simplicidade, enquanto continua sendo elegante. O pátio da mesquita tem azulejos de Iznik que envolvem o seu entorno, exibindo Ayat al-Kursi, um dos versículos do Alcorão.

Por incrível que pareça, apesar da beleza e magnificência desta mesquita, Sinan ainda acreditava que poderia fazer melhor.

Obra-Prima

Quando Suleyman morreu em 1566, seu filho e sucessor, Selim II, também queria uma mesquita construída em seu nome. A localização não seria em Istambul, mas em vez dela seria na cidade de Edirne, a cerca de 200 quilômetros de distância. Apesar de estar na casa dos 70 anos, quando a construção começou, Sinan estava determinado a finalmente superar a Hagia Sophia. Quando a mesquita foi concluída em 1574, ele finalmente alcançou seu objetivo.

Recomendado para você:  Jerusalém e Umar Ibn Al-Khatab

De acordo com sua autobiografia, Sinan considera a Mesquita Selimiye a sua obra-prima. Ela tinha os minaretes mais altos do mundo naquele

A mesquita Selimiye em Edirne, obra-prima de Mimar Sinan

A mesquita Selimiye em Edirne, obra-prima de Mimar Sinan

momento, cada um com 80 metros. A cúpula foi construída sobre uma base octogonal, o que lhe permitia chegar a novas alturas que finalmente superavam em altura a cúpula da Hagia Sophia. Enquanto alguns aspectos da Selimiye são semelhantes ao Suleymaniye, é o primeiro trabalho mais alto de Sinan com uma cúpula mais alta que parece subir por conta própria, sem qualquer apoio dos pilares mais baixos ou semi-cúpulas. Até hoje permanece como o principal marco de Edirne, na Turquia, e uma obra-prima da obra arquitetônica que nunca foi superada.

Mimar Sinan morreu em 1588 aos 98 anos de idade. Ele foi enterrado no cemitério da Mesquita Suleymaniye, perto de seu maior patrono, Sultão Suleyman. Durante sua vida, ele construiu alguns dos maiores monumentos do Império Otomano. O impacto que teve sobre o mundo muçulmano não foi apenas limitado às mesquitas gigantescas que ele construiu. Ele construiu mais de 90 grandes mesquitas em todo o império, 50 mesquitas menores, 57 faculdades, oito pontes e inúmeros outros edifícios públicos em todo o reino Otomano. Seus aprendizes a construíram outros marcos importantes em todo o mundo, incluindo a Mesquita Sultanahmet (Mesquita Azul) em Istambul e o Taj Mahal em Agra, na Índia. Ele é considerado o maior arquiteto muçulmano de todos os tempos, e seus trabalhos são alguns dos maiores símbolos do Islam, hoje, mais de 400 anos após sua morte.

Galeria dos maiores trabalhos de Mimar Sinan

Para ver a descrição de cada uma clique no link do Flickr na parte inferior direita da foto.

Bibliografia

Hodgson, M. G. S. The Venture of Islam, Conscience and History in a World Civilization. 3. Chicago, IL: University of Chicago Press, 1974.

Khan, Muhammad. The Muslim 100. Leicestershire, United Kingdom: Kube Publishing Ltd, 2008. Print.

Fonte: http://lostislamichistory.com/the-greatest-architect-of-all-time/

Sobre Iqara Islam

O Iqara Islam é uma página dedicada a apresentação do Islam Tradicional para muçulmanos e não-muçulmanos que buscam informação e conhecimento de qualidade sobre vários aspectos da religião islâmica, tais como: espiritualidade, jurisprudência, história e cultura. Sendo uma iniciativa independente, não visamos fins lucrativos. Somos totalmente contra a violência injustificada, terrorismo e ditaduras de qualquer natureza.