Página Inicial » Mundo Islâmico » Sevilha poderá ter a primeira mesquita em mais de 700 anos

Sevilha poderá ter a primeira mesquita em mais de 700 anos

A Fundação da Mesquita de Sevilha lançou uma campanha de levantamento de fundos para a construção de um novo espaço de oração e convivência.
  • A Fundação da Mesquita de Sevilha pretende arrecadar US$13,1 milhões para construção de um templo na cidade espanhola. 
  • A instituição conta com o apoio de ídolos do esporte local para alavancar as contribuições.
  • A mesquita pretende ser um espaço de oração e convivência que normalize a presença dos muçulmanos em Sevilha.

Estima-se que a cidade de Sevilha, na Espanha, tenha mais de 30 mil muçulmanos. Entre eles, estão pessoas vindas de países como Marrocos, Argélia e Senegal. No entanto, também há muitos espanhóis muçulmanos que frequentam as pequenas comunidades islâmicas que se mobilizam em encontros na cidade.

Mesmo com tantas pessoas, a cidade não possui uma mesquita há quase 800 anos. Durante algum tempo, havia uma mussala em Sevilha, um pequeno espaço de oração temporário para que os muçulmanos pudessem cumprir suas obrigações de orar em comunidade.

Parcerias na concretização

O local foi oferecido pelo ex-jogador de futebol da equipe do Sevilla, Fred Oumar Kanoute. Recentemente, o futebolista firmou parceria com a Fundação da Mesquita de Sevilha e, juntos, conseguiram levantar US$ 1 milhão em uma campanha de arrecadação de fundos pela internet através da plataforma LaunchGood.

A fundação conta com o apoio de Kanoute para dar maior projeção à campanha: “Quando você tem alguém como Oumar ao seu lado, as pessoas querem ouvir suas histórias, elas querem saber sobre você, o que você está fazendo”, disse o diretor, Ibrahim Hernandez, em entrevista à Al Jazeera.

Na terça-feira (19/05/20), o atleta fez uma postagem em sua rede social agradecendo a adesão à campanha: “Obrigado, e que Allah recompense a todos que participaram da campanha”, disse Kanoute.

O projeto da mesquita

Embora boa parte tenha sido arrecadada, a construção do templo custará cerca de US$ 13,1 milhões. O local pretende ser não apenas um espaço de oração, mas de convivência, com oficinas sobre temas como parto, artes andaluzas e culinária. Também estão planejadas uma clínica de saúde para atender a população local e aulas de árabe e Alcorão para crianças. 

Além da comunidade islâmica de Sevilha, a nova mesquita irá beneficiar os turistas que visitarem o local. Atualmente, os espaços de orações na cidade espanhola são ocultos e pessoas vindas de outros locais dificilmente conseguem ter contato com os muçulmanos locais.

Os visitantes encontram opções de turismo islâmico devido ao legado deixado pelos muçulmanos da antiga Andaluzia, mas ainda há falta de um espaço adequado para fazer oração.

“É importante que eles (turistas) conheçam os muçulmanos desta cidade e tenham um espaço para fazer isso. Allah não nos criou em tribos para que possamos nos conhecer?”, disse Abdiya Meddings, empresária e ex-professora de Alcorão.

Combate ao preconceito

A presença de uma mesquita em uma grande cidade como Sevilha fortalece a unidade muçulmana no local. Na Espanha, o partido Vox, ligado à extrema-direita e ao populismo, tem defendido pautas como o fechamento daquilo que eles alegam ser “mesquitas fundamentalistas” e a prisão de “imames extremistas”.

Abdiya Meddings acredita que a nova mesquita ajudará a normalizar a presença de muçulmanos no país e, além de tudo, será importante para divulgar informações sobre o Islam no local, o que é algo importante para combater a ignorância a respeito do assunto.

“Podemos dizer, olhe… Não estamos tentando convertê-lo, venha nos encontrar, conhecer nossos filhos, eles são exatamente como você, vamos comemorar o Eid juntos”, afirmou. 

Com informações de AlJazeera

Links para Leitura

Sobre a Redação

A Equipe de Redação do Iqara Islam é multidisciplinar e composta por profissionais da área de Marketing, Ilustração/Design, História, Administração, Gestão de Recursos Humanos, Tradutores Especializados (Árabe e Inglês) e especialistas na Religião Islâmica. Atualmente a equipe é composta por 10 profissionais.