Página Inicial » Novidades » Rir com Moderação: Um ensinamento Profético

Rir com Moderação: Um ensinamento Profético

Rir e fazer brincadeiras é algo bem-vindo, mas em excesso, pode ser prejudicial para a prática religiosa. Conheça os limites de acordo com a sunnah.
  • O riso muitas vezes acaba distraindo as pessoas de preocupações e coisas que são importantes para a vida religiosa.
  • A pessoa que não possui bons critérios para o seu senso de humor e para obter prazer, eventualmente irá começar amar coisas mundanas.
  • No entanto, não significa que é proibido rir, ou que o Islam é contra o senso de humor, pois até mesmo o Profeta Muhammad brincava e fazia piadas.
  • Porém, o caráter moderado é importante para toda pessoa adulta, isso inclui o senso de humor.

 

Pergunta

Ouvi essa narração de alguém em que o Profeta disse que, se uma pessoa ri excessivamente, isso endurece o coração da pessoa. 

Não tenho certeza se é autêntico ou não. Gostaria de saber, isso realmente endurece o coração fisicamente ou está se referindo à condição espiritual do coração? 

Também ouvi nos tempos contemporâneos que o riso excessivo também traz benefícios. Você pode esclarecer?

Resposta

Assalamu alaikum wa rahmatullah,

Espero que esta mensagem o encontre em boa saúde e fé.

O Hadith em Questão

É narrado com uma cadeia de transmissão sólida que nosso Amado Mensageiro (paz e bênçãos estejam sobre ele) disse: “Não riam muito, pois o riso excessivo mata o coração.” [Bukhari, Adab al-Mufrad; Sunan Tirmidhi; Sunan Ibn Maja; Musnad Ahmad]

E em algumas narrações, há uma adição: “Pois o riso excessivo mata o coração e remove a luz do rosto,” ou em outra versão, “Pois o riso excessivo corrompe o coração.” [Bayhaqi, Shuab]

Comentário dos Eruditos

Essa última versão ajuda a explicar o que se entende por "matar o coração", ou seja, que a morte do coração se refere à sua corrupção espiritual. 

Como explica o Imam Mubarakpuri em seu comentário sobre Sunan Tirmidhi: “Pois o riso excessivo mata o coração, ou seja, envolve-o em camadas de escuridão, semelhante a uma pessoa morta que não pode beneficiar-se de nada útil nem afastar qualquer dano. Isto é, de fato, uma fala profética vasta e concisa [jawami al-kalim].” [Tuhfat al-Ahwadhi]

Imam Munawi dá uma explicação mais detalhada da morte espiritual do coração ao afirmar, citando vários Imams: “O riso excessivo leva ao endurecimento do coração, o que por sua vez leva à negligência [do Divino], e a morte do coração ocorre apenas pela negligência.”

Ele comenta ainda: “Acostumar-se a rir distrai a pessoa de refletir sobre questões importantes... quem ri excessivamente não tem um comportamento respeitável [hayba]; ele não impõe respeito de forma alguma. Quem é caracterizado por isso não tem pensamentos significativos nem valor.”

Ele acrescenta: “O riso excessivo e a excitação em relação aos assuntos mundanos são um veneno letal que flui nas veias da pessoa e remove do coração o medo [do castigo divino], a tristeza [pelos próprios pecados] e a lembrança da morte e dos terrores do Dia da Ressurreição; isso, então, é a morte do coração. 'E eles se alegram com a vida deste mundo, embora a vida deste mundo, em relação à vida futura, não seja mais do que um breve, efêmero prazer' (Alcorão 13:26).”

Em outro trecho de seu comentário magistral, Imam Munawi afirma: “O riso que mata o coração é aquele que ocorre devido à alegria por esta vida e ao orgulho na própria alegria dela. O coração tem [vida espiritual] e morte — sua vida é pela obediência contínua, enquanto sua morte é por responder ao chamado de outro que não seja Allah, como o próprio ego, caprichos teimosos ou Satanás.”

Finalmente, Imam Munawi afirma que a razão pela qual o riso excessivo mata o coração é porque a raiz do riso excessivo é o amor por este mundo, que é a causa de todo pecado; e uma vez que o coração está morto, ele não responde a Allah quando Ele o chama [à obediência].

[Fayd al-Qadir Sharh Jami al-Saghir]

Um Ponto de Reflexão

De um modo geral, com uma reflexão mínima, pode-se facilmente apreciar como a sociedade ocidental contemporânea gira quase inteiramente em torno do entretenimento excessivo, que, como notamos acima no comentário de Imam Munawi, “distrai a pessoa de questões significativas.” 

A infinidade de males e problemas graves que nos afligem hoje — incluindo guerras, doenças, fome, crimes, crises econômicas, o esgotamento dos recursos do planeta, a hegemonia corporativa, a degradação moral e a iminente catástrofe do aquecimento global e dos danos ambientais em geral — são todos ligeiramente afastados do discurso público e da mídia de massa para abrir espaço para reality shows, jogos de futebol e publicidade interminável.

Como o falecido crítico cultural Neil Postman intitulou de forma tão perspicaz seu livro, nós, como sociedade, estamos “Nos Divertindo Até a Morte”, ou seja, na medida em que falhamos em nos beneficiar do que é benéfico nem reconhecer e afastar os reais danos, como os que acabamos de listar. 

E como Chris Hedges intitulou seu próprio livro recente sobre o assunto, infelizmente nos tornamos um “Império da Ilusão”, muito distraídos para dar um pensamento sério aos problemas reais, quanto mais a qualquer coisa relacionada ao nosso Criador, à vida após a morte ou à morte de nossos corações espirituais.

Humor com Moderação: Uma Sunna Profética

Tendo dito isso, devemos ter em mente que o elemento corruptivo de tal entretenimento e riso é o fato de ser extremo e o fato de derivar do amor por este mundo. Pelo contrário, uma aparência alegre e o humor com moderação são uma sunna estabelecida de nosso Amado Mensageiro (paz e bênçãos estejam sobre ele).

Ele era conhecido por ter um maravilhoso senso de humor, conforme confirmado em muitos relatos proféticos, mas sem excessos nem mentiras. Os eruditos mencionam que sua intenção era sempre agradar a Allah Altíssimo, pois ele fazia isso para causar felicidade nos corações daqueles ao seu redor; nunca foi por causa desta vida passageira. [Muhammad ibn ‘Alawi al-Maliki, Muhammad al-Insan al-Kamil]

Quando nossa Mãe Aisha (que Allah esteja satisfeito com ela) foi questionada sobre como nosso Amado Mensageiro (paz e bênçãos estejam sobre ele) costumava ser quando estava sozinho com ela em casa, ela respondeu: “Ele era a pessoa mais doce; sempre sorrindo e alegre.” [Musnad Ibn Rahawayh] Sorrir e estar de bom humor são sunnas confirmadas que são muito agradáveis ao nosso Senhor, a ponto de serem consideradas caridade. Nosso Mensageiro (paz e bênçãos estejam sobre ele) disse: “Não considere qualquer boa ação insignificante, mesmo que seja apenas encontrar seu irmão com um rosto alegre.” [Sahih Muslim]

É narrado em uma das descrições do Profeta (paz e bênçãos estejam sobre ele) que ele estava “sempre de bom humor e muito acessível,” mas “não excessivo em brincadeiras.” [Bayhaqi, Dalail al-Nubuwwa] E às vezes os Companheiros mencionavam coisas que faziam antes de se tornarem muçulmanos e riam juntos, e o Mensageiro sorria. [Sahih Muslim]

Riso e Boa Saúde

O que você menciona em sua pergunta sobre alguns dos benefícios à saúde do humor e do riso, como a redução dos hormônios do estresse e o aumento das endorfinas e da força geral do sistema imunológico, é interpretado à luz do Alcorão e da Sunna como a personalidade alegre e o senso de humor equilibrado e moderado que nos foi ensinado pelo Mensageiro (paz e bênçãos estejam sobre ele).

Ou seja, pode-se obter tais benefícios positivos para a saúde praticando a Sunna Profética de uma intenção nobre e moderação, sem precisar recorrer ao excesso e à natureza trivial do entretenimento que leva aos vícios espirituais mencionados.

Exemplos de Seu Belo, Mas Moderado, Senso de Humor

(a) Um homem certa vez veio ao Profeta (paz e bênçãos estejam sobre ele) para pedir um animal de montaria, ao que o Profeta respondeu: “Vou lhe dar um filho de uma camela.” O homem disse: “Oh Mensageiro de Allah! O que vou fazer com um filho de uma camela? [ou seja, por ser pequeno demais para montar ou carregar coisas]” Ao que o Profeta respondeu: “Não é todo camelo filho de uma camela?” [Sunan Tirmidhi, Sunan Abu Dawud, Musnad Ahmad]

(b) Nosso Amado Mensageiro (paz e bênçãos estejam sobre ele) costumava chamar seu servo Anas de: “Oh Possuidor de dois ouvidos!” [Sunan Abu Dawud, Sunan Tirmidhi]

(c) Uma velha senhora certa vez veio ao Profeta (paz e bênçãos estejam sobre ele) e pediu-lhe para rezar a Allah para deixá-la entrar no Paraíso, ao que ele respondeu: “Oh Mãe de fulano, verdadeiramente mulheres idosas não entram no Paraíso.” Então ela saiu chorando, e ele disse aos seus Companheiros: “Digam a ela que ela não entrará no Paraíso como uma velha, pois Allah diz: ‘Então Nós as faremos [as habitantes femininas do Paraíso] virgens; amorosas; da mesma idade [ou seja, jovens!]’ (56:36-7)” [Shama’il Tirmidhi]

(d) Uma mulher chamada Umm Ayman certa vez veio ao Profeta (paz e bênçãos estejam sobre ele) e disse: “Meu marido quer convidá-lo,” ao que ele respondeu: “Quem é ele mesmo? Ele é aquele que tem um pouco de brancura nos olhos? [ou seja, como se tivesse um defeito ocular]” Ela respondeu: “O quê, oh Mensageiro de Allah? Por Allah, ele não tem brancura nos olhos!” Ele disse: “Não, ele tem brancura nos olhos.” Ela respondeu: “Não, por Allah!” Ele disse: “Todo mundo não tem um pouco de brancura nos olhos? [ou seja, a brancura normal ao redor das pupilas]” [Ibn Bakkar]

(e) O Profeta (paz e bênçãos estejam sobre ele) estava uma vez com suas duas esposas, Aisha e Sawda, sentado entre as duas. Aisha trouxe um prato de comida que havia preparado e disse a Sawda: “Coma um pouco.” Sawda recusou, ao que Aisha respondeu: “Juro que você vai comer ou vou esfregar sua cara com isso!” Ela ainda recusou, e então Aisha colocou a mão na comida e esfregou o rosto de Sawda com ela. O Profeta tocou Sawda com sua perna abençoada e disse: “Esfregue o rosto dela em troca.” Então Sawda fez o mesmo com Aisha, e o Profeta começou a rir. [Ibn ‘Asakir, Abu Yala]

Conclusão

Para resumir, não há nada de errado com um entretenimento leve e um senso de humor equilibrado, pois isso fazia parte do nobre caráter do nosso Profeta (paz e bênçãos estejam sobre ele).

Nossa intenção nisso deve ser encher os corações de nossos irmãos com felicidade, por amor a Allah.

Essa intenção nobre, aliada à moderação e ao equilíbrio, será certamente um meio de iluminação dos nossos corações, assim como qualquer coisa da Nobre Sunna. 

No entanto, devemos ter cuidado para não nos entregarmos demais ao entretenimento e às coisas triviais, e não rir excessivamente por causa de assuntos mundanos, pois isso leva à corrupção e negligência do coração, resultando eventualmente em sua morte espiritual.

Que Allah Altíssimo encha nossos corações com luz, alegria e felicidade por Sua causa, em emulação do nosso Mestre e Senhor Muhammad, paz e bênçãos estejam sobre ele.

E Allah é o único que concede o sucesso.

wassalam

Faraz A. Khan

Verificado e Aprovado por Faraz Rabbani

Links Para Leitura

Sobre a Redação

A Equipe de Redação do Iqara Islam é multidisciplinar e composta por especialistas na Religião Islâmica, profissionais da área de Marketing, Ilustração/Design, História, Administração, Tradutores Especializados (Árabe e Inglês). Acesse nosso Quem Somos.