Página Inicial » Novidades » Rajab: Guia para o 7º mês do calendário islâmico

Rajab: Guia para o 7º mês do calendário islâmico

Rajab inaugura um período abençoado do ano, em que os muçulmanos se preparam para o Ramadan. Neste mês é importante focar em praticar boas ações.
  • O Rajab é um dos meses em que os muçulmanos começam a se preparar para o Ramadan.
  • Neste período, é importante ter foco em praticar boas ações e evitar as más, pois a recompensa por isso será intensificada.
  • De acordo com os princípios da religião, é proibido guerrear neste período do ano.

O mês de Rajab é considerado um mês sagrado em que os muçulmanos começam os preparativos para a chegada do Ramadan. Por ser um dos dois meses que antecedem o período mais sagrado do calendário islâmico, é visto como uma oportunidade para se preparar para o grande jejum, pois as boas ações terão uma maior recompensa.

Neste mês abençoado, a guerra é considerada proibida e existem algumas práticas que podem ser feitas para colher os bons frutos que o mês proporciona. Além disso, vários fatos marcaram a história do Islam neste mês e alguns deles são de grande significado para os seguidores da religião.

Sunnahs do mês

Embora haja recomendação para fazer boas ações no mês de Rajab, não há algo específico a ser feito durante este mês. Então, as boas obras podem ser o jejum, zikr (recordação de Allah), leitura do Alcorão, caridade, ajuda aos necessitados ou mesmo reforçar o cuidado de se abster de pecados e focar em atos nobres.

Alguns sábios piedosos também recomendam a prática do jejum durante o dia 27 como chave para obter as bênçãos do mês. No entanto, o mais importante é focar a atenção nas boas obras, pois todos os atos bondosos terão sua recompensa multiplicada e os maus atos terão uma punição ainda maior.

É importante abster-se de pecados durante os períodos sagrados e ter atenção aos menores detalhes para não cometê-los, como: evitar palavras sujas e de baixo calão, bem como fofocas e assuntos fúteis ou que não são construtivos; cuidado para não perder orações e não cometer deslizes em sua oração, e se esforçar da melhor maneira possível para ficar longe de coisas que desagradem a Deus.

Fatos históricos

A segunda aliança de Aqabah

Um dos fatos que marcaram o mês de Rajab. Mais tarde, seria fundamental para um acontecimento que mudaria toda a história islâmica. A segunda aliança de Aqabah foi um pacto firmado entre o Profeta Muhammad e 75 peregrinos vindos de Medina.

A princípio, esses homens eram pagãos, mas foram até o Profeta Muhammad, converteram-se ao Islam e juraram-lhe lealdade. Neste encontro, eles concordaram que os muçulmanos de Meca deveriam ir para Medina para escapar da opressão dos coraixitas e, mais tarde, esta grande migração entraria para a história como a Hégira, que inaugura o início do estado islâmico.

A expedição de Tabuk

No mês de Rajab, o Profeta Muhammad ordenou a última expedição de sua vida para a região de Tabuk, no norte da Arábia. Ele foi acompanhado por seu exército, pois havia uma ameaça de que os bizantinos queriam conquistar a região para ter controle sobre a rota comercial de Meca.

Os muçulmanos passaram 20 dias na região, explorando a área, mas não encontraram ninguém e retornaram para Medina. Esta foi a maior expedição militar que o Profeta realizou em sua vida. Há estimativas de que ele tenha liderado 30 mil homens.

Nascimento de Ali Ibn Abu Talib

No dia 28 de Rajab, nasceu Ali ibn Abu Talib, primo e genro do Profeta Muhammad, quarto califa dos muçulmanos e um dos homens mais sábios do Islam. Ele é considerado como um dos principais herdeiros dos ensinamentos transmitidos pelo Mensageiro de Allah e é reconhecido na história da religião como um grande mestre espiritual.

O nascimento de Ali é descrito como um evento miraculoso. Ele foi o único homem a nascer dentro da Caaba, o templo mais sagrado do mundo para os muçulmanos. De acordo com relatos antigos, sua mãe não sentiu dores no momento em que o bebê nasceu.

Morte de Abu Talib

Entre as mortes que marcaram o mês de Rajab, está a do tio do Profeta Muhammad, Abu Talib, líder dos coraixitas. Embora não tenha se convertido ao Islam, ele foi uma das pessoas que mais apoiaram a missão profética do Mensageiro de Allah.

A morte de Abu Talib foi recebida com grande tristeza pelo Profeta e seus companheiros e, após este acontecimento, o Mensageiro de Allah perdeu a proteção de sua tribo que era concedida por seu tio. Depois disso, Muhammad correu o risco de ser assassinado pelos coraixitas e só conseguiu escapar definitivamente da opressão deles após a migração para Medina.

Morte de mestres sufis

Rajab é marcante para duas ordens sufis, que relembram o legado de seus mestres que partiram neste mês. Uma delas é a ordem Chisti, que tem como fundador o grande Muin al Din Chisti, que nasceu no Sistão, no subcontinente indiano no século XII. Os discípulos desta tariqa (caminho espiritual) se concentram principalmente no Afeganistão, Paquistão e Bangladesh.

Outro mestre falecido neste mês foi Sheikh Nazim al Haqqani, um dos grandes mestres recentes da ordem Naqshbandi. Ele nasceu no Chipre, durante o ano de 1922, e se tornou um dos grandes difusores do Islam no ocidente, sendo um dos santos sufis mais populares em países europeus e americanos.

Links para Leitura

Sobre a Redação

A Equipe de Redação do Iqara Islam é multidisciplinar e composta por especialistas na Religião Islâmica, profissionais da área de Marketing, Ilustração/Design, História, Administração, Tradutores Especializados (Árabe e Inglês). Acesse nosso Quem Somos.