Página Inicial » Perguntas e Respostas » Qual o status de Ibn Kathîr dentre os sábios sunitas, levando em conta que ele foi aluno de Ibn Taimiyya?

Qual o status de Ibn Kathîr dentre os sábios sunitas, levando em conta que ele foi aluno de Ibn Taimiyya?

Pergunta: Ibn Kathîr foi considerado como parte do Ahl al-Sunna pela comunidade ortodoxa mesmo que ele tenha sido aluno de Ibn Taimiyya? A fé islâmica (‘aqîda) de Ibn Kathîr era realmente diferente da de Ibn Taimiyya? Se sim, em que pontos? (Precisarei de referências.) Sei que ele diferia em muitas questões de fiqh, mas isso era porque Ibn Kathîr era um sábio shâfi’i, uma de tais diferenças sendo o Maulid. O tafsîr (exegese alcorânica) de Ibn Kathîr é amplamente visto como uma das obras mais grandiosas de tafsîr, mas não contém declarações antropomórficas sobre os atributos de Allah o Altíssimo? Se sim, como poderíamos reconciliar isso com as posições ash‘aris e mâturîdis?

Resposta
Ibn Kathîr (morto em 774 h./1373 d.C.) foi um sábio do Ahl al-Sunna que era da Escola Shâfi’i (de acordo com o primeiro volume da sua obra principal, Tafsîr al-Qur’ân al-‘Adhîm, 1.2), enquanto Ibn Taimiyya (morto em 728 h./1328 d.C.) era um sábio cujo fiqh permaneceu no quadro geral da Escola Hanbali. As controvérsias de Ibn Taimiyya nos princípios da fé (‘aqîda) e interpretações literalistas dos atributos de Allah foram adotadas principalmente pela que historicamente tinha sido a ponta mais antropomórfica do espectro prévio da ‘aqîda hanbali — Hanbali naquilo que alguns dos seguidores dessa escola tinham essas crenças, não que Ahmad ibn Hanbal de nenhuma maneira os tenha apoiado ou que eles fossem parte de seu madhhab. Eles ressuscitaram em nossos tempos como o salafismo ou o “retorno ao Islã primitivo” por apoiadores endinheirados da seita wahhâbi, cujas diferenças com o Ahl al-Sunna consistem quase que integralmente das ideias de Ibn Taimiyya. Na erudição, Ibn Kathîr foi um mestre de hadîth (hâfidh, alguém com pelo menos 100000 ahâdîth memorizados), enquanto Ibn Taimiyya não; seu nome não aparece em nenhuma das obras do Tabaqat al-Huffâdh ou “Gerações Sucessivas de Mestres de Hadîth”, que compreensivelmente documenta tais sábios. Seja qual for o tempo que Ibn Kathîr tenha estudado com Ibn Taimiyya, estava com uns vinte anos quando o último morreu, e sua carreira longa e frutífera se estendeu pelos próximos quarenta e seis anos.

Recomendado para você:  Existe alguma súplica para me ajudar a encontrar emprego?

Embora eu não tenha lido toda a exegese alcorânica (tafsîr) de Ibn Kathîr, não encontrei ali quaisquer traços das posições mais não usuais de Ibn Taimiyya, a mais significativa delas, para ‘aqîda e exegese alcorânica, é a afirmação de que “não há expressão figurada (majaz) no Alcorão” (Ibn Taimiyya: al-Îmân, 83), mesmo no uso de tais palavras como “mão”, “rosto”, “olhos”, “canela” e coisas do tipo se referindo a Allah. Ele diz: “Toda palavra no Livro de Allah e Seu Mensageiro é condicionada pelo que esclarece seu significado, em nada do qual há qualquer expressão figurada (majaz); em vez disso, tudo dele é literal (haqîqa)” (ibid., 78). Compare isso com o que Ibn Kathîr diz sobre o versículo: “Então Ele ‘se estabeleceu’ (istawa) sobre o Trono” (Alcorão 7:54), (istawa aqui foi apresentada como “foi se estabeleceu” não para ser uma interpretação absoluta, mas antes por necessidade de responder a questão):

As pessoas tem muitas posições sobre esse assunto, e aqui não é o lugar para apresentá-las extensivamente. Nesse ponto, seguimos a posição dos primeiros muçulmanos (salaf) — Mâlik, al-Auzâ‘i, al-Thauri, Laith ibn Sa‘d, al-Shâfi‘i, Ahmad, Ishâq ibn Rahawaih, assim como outros entre os Imâms dos muçulmanos, antigos e modernos — isto é, deixar o versículo passar como ele veio, sem dizer como isso significa (bilâ takyif), sem qualquer semelhança às coisas criadas (wa lâ tashbih), e sem anulá-lo (wa lâ ta‘til): o significado externo literal (dhâhir) que vem às mentes dos antropomorfistas (al-mushabbihîn) é negado para Allah, pois nada criado tem qualquer semelhança com Ele: “Não há nada sequer semelhante a Ele, e Ele é o Oniouvinte, Onividente.” (Alcorão 42:11) (Ibn Kathîr: Tafsîr al-Qur’ân al-‘Adhîm, 2.220).

Recomendado para você:  Uma clarificação sobre o tema da música no Islam

Essa é precisamente à posição de tafwîd ou “confiar no conhecimento do que é realmente querido dizer por tais expressões escriturais por Allah” que os ash’aris como o Imâm al-Nawawi e muitos outros se ativeram concernente a esses versículos. Não se pode se enganar sobre o quão longe Ibn Kathîr estava do antropomorfismo, e não pude encontrar nada além no seu tafsîr que sugira que ele seguiu as ideias de Ibn Taimiyya ou do seu aluno Ibn Qayyim no literalismo, que dá a impressão de igualar Allah às coisas criadas. E Allah sabe melhor.

Fonte: http://masud.co.uk/ibn-taymiya-and-ibn-kathir/

Sobre Iqara Islam

O Iqara Islam é uma página dedicada a apresentação do Islam Tradicional para muçulmanos e não-muçulmanos que buscam informação e conhecimento de qualidade sobre vários aspectos da religião islâmica, tais como: espiritualidade, jurisprudência, história e cultura. Sendo uma iniciativa independente, não visamos fins lucrativos. Somos totalmente contra a violência injustificada, terrorismo e ditaduras de qualquer natureza.