Página Inicial » Novidades » Padre Católico se Converte ao Islam após Conhecer o Legado de Rumi

Padre Católico se Converte ao Islam após Conhecer o Legado de Rumi

  • Craig Victor Fenter nasceu nos Estados Unidos, foi criado em uma família católica e se tornou padre.
  • No entanto, com o passar dos anos, ele começou a enfrentar alguns dilemas que o fizeram sentir um vazio espiritual muito grande.
  • Ele conheceu Esin Celebi Bayru, neta de Rumi na 22ª geração, que lhe apresentou o Islam e o sufismo.
  • Fenter teve sua alma tocada, converteu-se ao Islam e mudou seu nome para Ismail.

Um padre católico dos Estados Unidos, que foi influenciado pelo erudito, poeta e místico sufi islâmico do século 13, Mevlana Jalaluddin al-Rumi, converteu-se ao islamismo e mudou seu nome para Ismail.

Nascido em 1955 no estado americano da Carolina do Norte e criado em Los Angeles, Craig Victor Fenter foi para uma escola católica a pedido de sua família e se tornou padre.

Antes de se converter ao islamismo, Fenter deu aulas de religião em universidades americanas por uma década.

Mas, com o tempo, começou a sentir um vazio espiritual. Em 2004, ele se cruzou com Esin Celebi Bayru, a neta da 22ª geração de Rumi, durante um programa nos Estados Unidos.

Depois de aprender sobre Rumi e o Islam, ele visitou Konya em 2005, a convite de Bayru, e assistiu a cerimônias de Seb-i Arus - a “noite de núpcias” quando Rumi alcança Deus.

Fenter, muito impressionado com as histórias, a dança sufi conhecida como cerimônia Sema e a atmosfera espiritual durante as cerimônias, se converteu ao islamismo em 2006.

Religião muito importante para minha família

Em declaração à Agência Anadolu sobre sua conversão ao Islam, Ismail Fenter disse que foi criado como cristão desde a infância.

"A religião era muito importante para minha família. Minha avó queria que eu fosse padre. Fui ao seminário para aprender o sacerdócio", disse ele, acrescentando que costumava ir à Igreja todos os domingos.

Ele disse que muitas coisas não faziam sentido para ele naquela época.

“Eu acreditava em Deus, mas algo não estava certo. As informações que eu estava tentando ensinar aos meus alunos não faziam nenhum sentido para mim. Então, passei a maior parte da minha vida procurando. Eu costumava dar aulas no seminário, mas eu não acreditava no que eu estava ensinando."

“Desisti e saí da igreja. Voltei para a Califórnia com minha família e me interessei por música. A música era algo muito bom, mas meu coração estava vazio. O aplauso das pessoas era ótimo, mas algo estava faltando”, observou Fenter.

Ele conta que, a conselho de um professor, conheceu Bayru, que estava em San Francisco para um programa.

“Eu disse a ela: 'Sinto-me no fundo do oceano. Não sei onde está o tesouro.' Ela me disse: 'Você já encontrou o tesouro porque o procurou.' Esta frase me impressionou muito. Então, a convite de Bayru, vim para Konya (província central da Turquia) em dezembro de 2005 e assisti às cerimônias de Seb-i Arus ", acrescentou Fenter.

Fenter também disse que sentiu algo "especial" ao observar os dervixes rodopiantes, observando que eles também foram ao Museu Mevlana quando ele estava em Konya.

Meu coração se abriu

Em Konya, Fenter também teve aulas de islamismo e sufismo com Nadir Karnibuyuk, um professor sufi que conheceu nas cerimônias.

"Eu parei e o observei (Karnibuyuk) e olhei em volta enquanto ele estava orando. (…) Então ele me chamou para orar (também). Sem saber o que fazer, eu caminhei em direção à 'Niyaz penceresi' (janela dos desejos)", disse Fenter, acrescentando que ele começou a orar.

"Então, algo aconteceu. Não sei o que foii, mas fiquei chocado. Senti como se meu coração se partisse e eu estivesse chorando (...). Senti como se Rumi estivesse me chamando. Chorei por horas."

Naquele momento, Fenter disse que sentiu que aquele lugar era onde ele precisava estar.

“O jeito de Rumi é o jeito do Profeta Muhammad, eu sabia que essa era a verdade. Me tornei muçulmano no ano seguinte”, acrescentou.

Ele então visitou Konya todos os anos, pois acreditava que este era o lugar certo para aprender mais sobre Rumi.

Seguir o caminho de Rumi é diferente de morar nos Estados Unidos, ele frisou, dizendo que decidiu então se mudar para Konya, após conversar com um jovem.

“Uma noite, um jovem dervixe (seguidor de Rumi) perguntou sobre minha família e eu disse: 'Meus pais morreram.' Ele olhou para mim e disse: 'Nós somos sua família.'

"Essa foi uma das coisas mais importantes que alguém já me disse. É por isso que continuei vindo para Konya e depois me estabeleci lá", acrescentou.

Via: Agência Anadolu

Links Para Leitura

Sobre a Redação

A Equipe de Redação do Iqara Islam é multidisciplinar e composta por especialistas na Religião Islâmica, profissionais da área de Marketing, Ilustração/Design, História, Administração, Tradutores Especializados (Árabe e Inglês). Acesse nosso Quem Somos.