Página Inicial » História Islâmica » O homem que lutou pela independência Uighur há 75 anos

O homem que lutou pela independência Uighur há 75 anos

Em 1940 os Uighurs já lutavam por sua independência. Naquela época, um poeta chamado Lutpulla Mutellip teve um papel importante nesta história.
  • Lutpulla Mutellip foi um poeta e escritor uighur que militou pelo separatismo de Xinjiang nos anos 1940.
  • Inspirado pela Revolução Russa, ele publicou várias matérias em jornais contra o governo chinês, o que resultou em sua perseguição.
  • Foi morto em uma tentativa de rebelião em 1945, aos 23 anos de idade.

A etnia dos Uighur, conhecida por ser um povo muçulmano da China, está desde 2016 sofrendo uma dura repressão do governo do país, que está submetendo estes cidadãos a trabalhos forçados e torturas em locais que o regime chama de “campos de reeducação”. Os ideais separatistas dos perseguidos são vistos pelas autoridades como um ideal terrorista que precisa ser combatido.

Embora o último capítulo desta perseguição seja recente, a luta pelo separatismo Uighur existe há mais de 150 anos e já viveu períodos dramáticos. Um deles foi no ano de 1944, através de um jovem poeta chamado Lutpulla Mutellip, que tentou se rebelar contra os chineses, incitando os uighures à revolução.

A história de Lutpulla Mutellip

Mutellip nasceu em 1922. Embora não haja certeza se o seu local de origem é Xinjiang ou o Cazaquistão, sabe-se que ele cresceu e estudou na província de Xinjiang, que hoje é o palco da perseguição sofrida pelos uighures.

O poeta estudou em uma escola para tártaros, um dos povos que compunham a União Soviética. Por causa disso, ele acabou sendo influenciado pela Revolução Russa e tinha admiração por Joseph Stalin, o então ditador do país socialista.

Os jovens de sua geração encontraram na história soviética um modelo para combater o governo daquele momento. As enormes diferenças culturais entre os uighures e as demais etnias chinesas, além do iminente colapso da república, eram os principais fatores que contribuíam para a revolta.

Além disso, Mutellip sempre se destacou pela maneira habilidosa como escrevia. Seu amplo vocabulário e bela forma de escrever suas frases fez com que ele se tornasse um dos mais importantes poetas da língua uighur. Entre suas obras mais famosas, podemos destacar “Resposta aos anos” (em uighur Yillargha Jawap ) e “Bênçãos pensativas” (em uighur Xiyalchan Tilek ).

Separatismo Uighur

Em 1941, aos 19 anos, Mutellip se mudou para Urumqi, a capital de Xinjiang. Lá, ele começou a escrever para o jornal Xinjiang Daily, onde passou a sofrer perseguição após trazer notícias críticas ao Partido Nacionalista Chinês. Por causa disso, ele se mudou para Aksu, próximo à fronteira com o Quirguistão e Cazaquistão. Ali, começou a ser monitorado pelas autoridades do governo.

Em 1944, foi preso sob a acusação de incitar a revolução. Quando foi solto, ele continuou seus trabalhos em favor da causa separatista.

No ano de 1945, o Exército Nacional da República do Turquistão Oriental entrou na fronteira sul de Xinjiang, perto da cidade de Aksu, e Mutellip planejou uma rebelião junto aos seus companheiros para abrir passagem para o exército. Porém, foi traído e delatado às autoridades do país.

O poeta e o resto do grupo foram presos no dia 18 de setembro e, em seguida, foram executados.

Legado

Lutpulla Mutellip

Embora a história de Mutellip possa ser considerada controversa por alguns, não há dúvidas de que ele foi um homem de seu tempo e agiu de acordo com o que acreditava, e segundo as circunstâncias de sua época. A luta que ele travou, no entanto, segue até os dias atuais, e seu legado é fonte de inspiração para os uighures. 

Por causa de sua história inspiradora, o governo chinês destruiu recentemente o cemitério onde ele está enterrado. O local onde jazia Mutellip não foi o único a ser destruído pelo regime do país: vários espaços que remetem à história local dos muçulmanos estão sendo destruídos em uma tentativa de sufocar o ideal separatista.

O governo, no entanto, alega que o corpo do poeta foi transferido para um túmulo padronizado. No local onde havia o cemitério, atualmente funciona um parque infantil chamado de “Parque da Felicidade”. 

Links para Leitura

Sobre a Redação

A Equipe de Redação do Iqara Islam é multidisciplinar e composta por profissionais da área de Marketing, Ilustração/Design, História, Administração, Gestão de Recursos Humanos, Tradutores Especializados (Árabe e Inglês) e especialistas na Religião Islâmica. Atualmente a equipe é composta por 10 profissionais.