Página Inicial » Notícias » Agência de saúde Inglesa admite divulgar dados falsos sobre Muçulmanos

Agência de saúde Inglesa admite divulgar dados falsos sobre Muçulmanos

A Public Health England afirmou, sem nenhuma comprovação, que os paquistaneses formam o maior número de casos de coronavírus importados na Inglaterra.
  • A agência de saúde inglesa Public Health England afirmou que os paquistaneses são responsáveis por 50% dos casos de coronavírus importados no Reino Unido.
  • Porém, de acordo com a investigação de um jornal paquistanês, esses dados não possuem comprovação. 
  • A Public Health England recebe financiamento do governo britânico, e seus dados foram usados para fomentar a intolerância na Inglaterra.

Uma investigação feita pelo jornal paquistanês The News apurou na última sexta-feira (10/07) que a agência de saúde inglesa Public Health England (PHE), que recebe investimentos do governo do país europeu, divulgou dados distorcidos sobre casos importados de coronavírus na Inglaterra. 

De acordo com as informações repassadas pela agência ao jornal britânico The Telegraph, e replicadas pelos jornais The Sun e The Daily Mail, os paquistaneses eram responsáveis por 50% dos casos de transmissão da COVID-19 no país. 

No entanto, ao serem questionados pelo jornal paquistanês a respeito dos números, a agência afirmou que fez o levantamento baseado em apenas 30 casos vindos do Paquistão desde o dia 4 de junho. Além disso, a PHE teria confirmado que os dados comparativos com outros países do sul da Ásia não estão disponíveis no momento.

Segundo uma estimativa feita pelo jornal The News, cerca de 50 mil paquistaneses teriam desembarcado na Inglaterra desde o dia 4 do mês passado. Este número seria quase cinco vezes menor se comparado à quantidade de indianos que viajaram para o país europeu no mesmo período (aproximadamente 220 mil). Esses voos foram fretados pelo governo britânico devido ao bloqueio enfrentado no país.

Embora os paquistaneses não tenham sido os estrangeiros que mais desembarcaram na Inglaterra, a agência que levanta dados sobre a saúde pública no país optou por divulgar somente o número de casos vindos do Paquistão.

Resposta da agência de saúde

A Public Health Service teria respondido ao The News que possui dados de casos vindos de todos os países, no entanto, não informou o motivo de ter repassado apenas os números oriundos do Paquistão. A agência afirmou que pretende divulgar essas informações futuramente.

Sobre a reportagem publicada em primeira mão pelo The Telegraph, a PHE informou que o jornal obteve informações de outras fontes internacionais e que a notícia foi publicada independente do envolvimento da agência de saúde.

No entanto, em resposta ao jornal The News, um porta-voz da Public Health England teria confirmado ter transmitido a informação ao The Telegraph de que os paquistaneses são responsáveis por 50% dos casos importados de coronavírus na Inglaterra, embora a agência de saúde não tenha conseguido comprovar este dado.

Repercussão

Veículos de mídia ligados à extrema-direita usaram o levantamento da PHE para endossar pautas racistas e anti-islâmicas na Grã-Bretanha. Em Leicester, onde há uma grande presença da comunidade paquistanesa, os imigrantes foram acusados de serem os grandes culpados pelo surto da doença na região.

Os parlamentares Naz Shah e Afzal Khan, que são ligados à comunidade paquistanesa,escreveram aos editores dessas publicações exigindo que as histórias falsas fossem removidas. No entanto, somente as manchetes foram alteradas pela imprensa.

Links para Leitura

Sobre a Redação

A Equipe de Redação do Iqara Islam é multidisciplinar e composta por profissionais da área de Marketing, Ilustração/Design, História, Administração, Gestão de Recursos Humanos, Tradutores Especializados (Árabe e Inglês) e especialistas na Religião Islâmica. Atualmente a equipe é composta por 10 profissionais.