Página Inicial » Alcorão Sagrado » A História de Moisés de acordo com o Islam

A História de Moisés de acordo com o Islam

Moisés é um profeta importante para o Islam. Sua história é narrada no Alcorão com detalhes que não são apresentados em outros livros sagrados.
  • Moisés é um importante profeta para a fé islâmica e sua história é narrada no Alcorão com muitos detalhes.
  • O Livro Sagrado islâmico também foca em histórias que não são esmiuçadas na Bíblia e narra fatos como, por exemplo, sua criação e sua vida como aprendiz.
  • Apesar da narrativa da libertação dos Filhos de Israel ser parecida com a versão judaico-cristã, alguns detalhes no Alcorão são diferentes.
  • Moisés se manteve obediente a Deus durante toda sua vida, jamais O questionou e muito menos O desobedeceu.

Moisés é bem conhecido na sociedade moderna como uma figura religiosa dentro da fé abraâmica. Da mesma forma, sua história é detalhada no Alcorão, tendo semelhanças, mas com algumas diferenças e novas informações. Este texto mergulha no Alcorão para ver o que Allah diz sobre Seu mensageiro. 

Pré-profetismo 

O Alcorão conta o início da vida de Moisés para mostrar sua moral e como ele estava atento a Allah antes mesmo de obter a profecia. 

A mãe de Moisés 

O Alcorão venera os pais e diz aos crentes que os respeitem. 

“E ordenamos às pessoas que 'honrassem' seus pais. Suas mães as conceberam através de dores e sofrimentos e seu desmame leva dois anos. Portanto, seja grato a Mim e a seus pais. Para Mim é o retorno final.”

(Alcorão 31:14)

A história de Moisés começa com a experiência de sua mãe e como ela inevitavelmente moldou o curso de sua vida. O cenário é no Egito em uma época em que os Filhos de Israel estavam sofrendo nas mãos do Faraó. A tirania do Faraó é apontada várias vezes no Alcorão. 

“De fato, Faraó [arrogantemente] se elevou na terra e dividiu seu povo em grupos [subservientes], um dos quais ele perseguiu, massacrando seus filhos e mantendo suas mulheres. Ele foi realmente um dos corruptores.” [28:4] 

(Alcorão 28:4)

Durante esse tempo, o Faraó estava matando os filhos recém-nascidos dos Filhos de Israel. Visto que a mãe de Moisés era um deles, em sua mente era inevitável que seu filho tivesse o mesmo destino, até Allah a inspirar a cometer uma ação que muitas mães achariam difícil de fazer.

“Nós inspiramos a mãe de Moisés: ‘Amai-o, mas quando você temer por ele, coloque-o no rio e não tenha medo, nem se aflija. Nós certamente o devolveremos a você e o faremos um dos mensageiros.’ ”

(Alcorão 28: 7 )

A mãe de Moisés, com essa inspiração, colocou-o no rio e deixou que as correntes o carregassem até que a esposa do Faraó o encontrasse. Para protegê-lo do Faraó, o bebê foi enviado a ele! 

“E aconteceu que o povo do Faraó o pegou, apenas para se tornar seu inimigo e fonte de dor. Certamente Faraó, Hamân e seus soldados eram pecadores. A esposa do Faraó disse a ele: ‘Este bebê é uma fonte de alegria para mim e para você. Não o mate. Talvez ele possa ser útil para nós ou podemos adotá-lo como um filho.’ Eles não sabiam do que estava por vir. ”

(Alcorão 28:8-9)

A esposa do Faraó, sentindo simpatia pela criança, queria adotá-lo. O Faraó acabou concordando, mas a mãe de Moisés não sabia como perder o filho. Allah fortaleceu seu coração para que ela não revelasse a verdade. 

“E o coração da mãe de Moisés doeu tanto que ela quase entregou sua identidade, se não tivéssemos tranquilizado seu coração para que ela tivesse fé na promessa de Allah.”

(Alcorão 28:10)

Allah devolveu Moisés à sua mãe, impedindo-o de beber leite de qualquer outra pessoa, exceto dela, cumprindo assim sua promessa e mostrando que, se alguém depositar confiança em Allah, Ele cumprirá Sua palavra.. 

“E nós a fizemos recusar todas as amas-de-leite no início, então sua irmã sugeriu: ‘Devo encaminhá-lo a uma família que o criará para você e cuidará bem dele?’ Foi assim que o devolvemos à sua mãe para que seu coração se acalmasse, e não se entristecesse, e para que ela soubesse que a promessa de Allah é sempre verdadeira. Mas a maioria das pessoas não sabe.”

(Alcorão 28:12-13)

A Morte Acidental 

Depois de seu período recém nascido, Moisés foi criado na casa do tirano que estava infligindo mal a seu povo. Já adulto, Moisés foi visitar a cidade e chegou a um conflito. Ele encontrou um de seu povo dos Filhos de Israel lutando com um parente de Faraó. De raiva e para proteger um de sua tribo, ele deu um soco no outro, que acidentalmente matou o homem. 

“Então Moisés o golpeou e matou. Ele disse: ‘Isso é obra de Satanás; ele é um manifesto inimigo enganador.’ Ele disse: ‘Meu Senhor! Eu me prejudiquei, então me perdoe.’ Então Ele o perdoou; Ele é o Indulgente, o Misericordioso. Moisés disse: ‘Meu Senhor! Visto que Você me favoreceu, eu nunca mais serei um defensor do culpado.’ ”

(Alcorão 28:15-17)

Moisés, percebendo o que havia feito, imediatamente pediu perdão a Allah e se arrependeu. Moisés não se culpa, mas culpa Satanás, que está sempre tentando enganar a humanidade. Na manhã seguinte, o mesmo homem pediu-lhe ajuda novamente. Moisés, compreensivelmente, demonstrou desagrado, mas foi ajudá-lo de novo. Quando foi dar um soco no inimigo do homem, ele pensou que Moisés iria socá-lo devido ao desagrado demonstrado anteriormente. 

“Quando estava para atacar o homem que era inimigo de ambos, disse: ‘Ó Moisés! É sua intenção me matar como matou uma pessoa ontem? Sua intenção não é outra senão se tornar um poderoso tirano na terra, e não ser um dos reformadores.’ ” 

(Alcorão 28:19)

Isso levou o homem a revelar que Moisés havia matado um parente do Faraó e todos ouviram. Com a revelação do segredo, a notícia do crime de Moisés se espalhou e a busca por seu corpo começou. Um admoestador veio e aconselhou Moisés a deixar a cidade para que não fosse punido pelas mãos do Faraó. Com este aviso, Moisés saiu, dirigiu-se a Midiã e pediu a orientação de Allah, voltando-se para Ele em seu momento de necessidade.

“Quando ele virou o rosto para Midiã, disse: 'Que meu Senhor me guie para o caminho certo.'”

(Alcorão 28:22)

O abrigo 

Moisés, em sua fuga, encontra duas mulheres com problemas para levar água para seus rebanhos. Ele decide ajudá-las de boa vontade. 

“Quando ele veio para a água de Midiã, encontrou nela um grupo de pessoas dando água a seus rebanhos e viu, além deles, duas mulheres cuidando de seus rebanhos; ele disse: 'Qual é o seu problema?' Elas disseram: 'Não podemos dar água a nossos rebanhos até que os pastores voltem da água e nosso pai é um homem muito velho.' ” 

(Alcorão 28:23)

Depois de cumprir este gesto gentil, ele pede a ajuda de Allah porque não tem abrigo, nem comida. 

“Então, ele deu de beber [aos rebanhos] para elas; se virou para a sombra e disse: 'Meu Senhor! Eu preciso de tudo de bom que Você enviaria para mim.' “

(Alcorão 28:24)

Com a graça de Allah, uma das mulheres que ele ajudou o levou para sua casa por ordem de seu pai. Seu pai o contratou por oito anos em troca de abrigo do Faraó. Ele também deu a mão de sua filha em casamento, pois viu que Moisés era confiável. 

“Ele disse: 'Eu gostaria de casar você com uma de minhas duas filhas e, em troca, você se contratar para mim por oito anos, e cabe a você se faria por dez anos, pois eu não quero dificultar para você. Se Deus quiser, você me encontrará como um dos justos.' ” 

(Alcorão 28:27)

Allah revela no Alcorão os primeiros anos de vida de Moisés para mostrar como seu servo se preocupava com Ele em todas as situações. Sua mãe também manteve sua fé em uma circunstância difícil para qualquer mãe. Ter confiança e fé em Allah são atributos que o Alcorão incentiva a humanidade a estabelecer em suas atividades diárias. 

Resgatando os Filhos de Israel 

A missão de Moisés de guiar o Faraó e salvar os filhos de Israel é comumente conhecida. O Alcorão detalha a experiência de Moisés durante sua missão. 

Obtenção da Profecia 

Depois de cumprir o contrato, Moisés e sua família vão embora. Em sua jornada, Moisés encontra Allah e Ele o abençoa com a missão profética e lhe concede dois milagres para mostrar ao Faraó e seus seguidores que Allah é o único Deus. 

“Quando ele chegou ao fogo, foi chamado do lado direito do vale, no lugar abençoado da árvore: 'Ó Moisés! Eu sou Allah, o Senhor de todos os povos. Jogue no chão o seu bastão.' Quando viu o bastão se movendo como uma cobra, ele fugiu sem traçar seus passos. 'Ó Moisés! Aproxime-se e não tema, pois você é um dos seguros. Coloque sua mão em seu peito e ela sairá branca sem dano, e não mostre medo. Estas serão duas provas de seu Senhor ao Faraó e seus chefes, eles são um povo rebelde.' ”

(Alcorão 28: 30-32)

Moisés, temendo que seu crime pudesse atrapalhar sua missão, pede a Allah que seu irmão também seja um mensageiro para ajudá-lo. Ele também pede para remover a gagueira que obteve quando criança para tornar sua tarefa mais fácil. 

“Ele disse: 'Ó meu Senhor! Expanda meu seio, facilite minha tarefa para mim e afrouxe o nó da minha língua para que eles possam entender o que eu digo.' ”

(Alcorão 20:25-28)

“Ele disse: 'Meu Senhor! Eu matei uma pessoa deles e temo que eles vão me matar. Meu irmão Aarão é mais eloquente do que eu, então faça dele um mensageiro comigo - um ajudante para me confirmar. Temo que me acusem de mentir.' ”

(Alcorão 28:33-34)

Confrontando o Faraó 

Moisés retorna ao Faraó e lhe fala sobre Allah, o verdadeiro Senhor dos mundos. Ele pede ao Faraó que deixe os filhos de Israel livres de seu sofrimento. O Faraó questiona quem é esse senhor, ridiculariza e nega o pedido de Moisés. 

“O Faraó disse: 'Quem é o Senhor de todos os povos?' Moisés disse: 'O Senhor dos céus e da terra e de tudo o que há entre eles, se você tiver certeza.' O Faraó disse aos que o cercavam: 'Vocês não ouvem?' Moisés disse: 'Seu Senhor e o Senhor de seus antepassados.' O Faraó disse: 'Seu mensageiro que foi enviado a vocês é um louco.' ”

(26:23-27)

O Faraó ameaça Moisés com a prisão e até chama a si mesmo de deus: 

“Ele (Faraó) disse: 'Se você escolher um deus diferente de mim, eu o prenderei.'” 

(Alcorão 26:29)

Para ajudar o Faraó a entender quem é seu Senhor, Moisés mostra-lhe os dois milagres: o cajado transformando-se em serpente e a luz cegante de sua mão. Mesmo com essas duas provas, o Faraó as atribui como mágica. 

“Moisés disse: 'Mesmo que eu mostre evidências claras?' O Faraó disse: 'Apresente-as então, se você for um dos verdadeiros.' Então, ele jogou seu cajado no chão, e ele se tornou uma serpente manifesta. Estendeu a mão e, eis! era branco para os observadores. Ele (Faraó) disse aos chefes ao seu redor: 'Este é um mágico talentoso que gostaria de expulsá-los de sua terra com sua magia. Qual é o seu conselho?' "

(Alcorão 26:30-35)

O Faraó marcou uma data para Moisés lutar contra mágicos habilidosos com o intuito de provar ao povo que Moisés e seu irmão não eram nada além de mágicos. Moisés derrotou os mágicos com a ajuda de Allah, provando ser verdadeiro. 

“Moisés disse-lhes: 'Joguem o que vão jogar.' Eles jogaram suas cordas e cajados e disseram: 'Pelo poder do Faraó, seremos os vitoriosos.' Então, Moisés jogou seu cajado no chão, que engoliu o que eles falsamente mostraram.”

(Alcorão 26:43-45)

Os mágicos perceberam que os milagres que Moisés exibia não eram mera mágica, acreditando instantaneamente em Allah. O Faraó, entretanto, continuou a negar Allah, dizendo que Moisés ensinou esses mágicos. Ele os ameaçou de tortura, mas os mágicos não se mexeram. Eles pediram perdão a Allah por seus crimes, pois agora O temiam. 

“Então, os mágicos se prostraram e disseram: “Cremos no Senhor de todos os povos, o Senhor de Moisés e Aarão”.

(Alcorão 26:48)

“O Faraó disse: 'Vocês já acreditaram nele antes de eu lhes dar permissão? Ele deve ser o mestre que lhes ensinou magia, então vocês devem saber. Cortarei suas mãos e pés em lados opostos e crucificarei todos vocês.' Eles disseram: 'Não há mal nenhum, pois voltaremos para o nosso Senhor. Esperamos que nosso Senhor perdoe nossos pecados por sermos os primeiros crentes.' ”

(Alcorão 26:46-51)

Fugindo do Faraó novamente 

Allah disse a Moisés para escapar da cidade com os Filhos de Israel à noite, pois o Faraó ia atacar. Ao escaparem, eles levaram consigo os tesouros do inimigo. 

“Revelamos a Moisés: 'Tire Meus servos à noite; você será perseguido.' Então, o Faraó enviou invocadores às cidades dizendo: 'Este é um pequeno grupo isolado, eles nos irritaram e estamos apreensivos com uma coalizão.' Então, nós os removemos de jardins, fontes, tesouros e uma bela residência, e fizemos com que os Filhos de Israel os herdassem.”

(Alcorão 26:52-59)

O Faraó descobriu que Moisés e seus seguidores estavam fugindo e também saiu com seu exército. O grupo chegou a um beco sem saída, bloqueado pelo mar, e os seguidores de Moisés começaram a entrar em pânico ao ver o grupo do Faraó se aproximando. Moisés os tranquilizou e disse-lhes para terem fé em Allah. 

“Ele disse: 'Nem pensar! Meu Senhor está comigo. Ele vai me mostrar uma saída' ”.

(Alcorão 26:62)

Com a ajuda de Allah, Moisés dividiu o mar à sus frente e seu grupo pôde passar. O Faraó e seu grupo também usaram o mesmo caminho, mas a água caiu sobre eles após a última travessia do grupo de Moisés.

“Revelamos a Moisés: 'Golpeie o mar com seu cajado', então ele se dividiu e cada parte era como uma enorme montanha. Aproximamos os outros (Faraó e seu exército). Salvamos Moisés e todos os que estavam com ele. Então, nós afogamos os outros.”

(Alcorão 26:63-66)

O Alcorão novamente mostra como Allah ajudou Moisés e seus seguidores a cada passo do caminho, dando-lhe Aarão como ajudante, removendo sua gagueira, levantando seu medo, concedendo-lhe milagres, avisando-o de um perigo iminente e dividindo o mar. Moisés depositou sua confiança em Allah antes de se tornar um profeta e ela aumentou ainda mais depois que ele se tornou um.

Jornadas após a salvação 

A história de Moisés não termina com sua fuga do Faraó. Ele agora tinha que garantir que seu povo permanecesse no caminho certo, ensinando-os sobre seu Senhor. O Alcorão tem algumas histórias sobre a desobediência dos Filhos de Israel. Apenas algumas serão discutidas aqui, incluindo uma história em que Moisés ensina a si mesmo. 

As Tábuas e o Bezerro de Ouro 

Agora livre de perigo, Allah ordenou a Moisés que subisse a montanha para uma reunião. Ele pediu a seu irmão Aarão para cuidar do povo.

“Designamos para Moisés trinta noites e depois as completamos com outras dez, de modo que o tempo designado de seu Senhor foi completado para quarenta noites. Moisés disse a seu irmão Aarão: 'Tome meu lugar entre meu povo, aja corretamente e não siga o caminho dos corruptos.' ”

(Alcorão 7:142)

Ao chegar ao local da reunião, Moisés perguntou se poderia ver seu senhor. Allah disse a ele que ele não. Moisés desmaiou quando Allah tentou Se revelar. Ele acordou e pediu perdão porque o pedido foi longe demais. 

“Quando Moisés veio ao nosso encontro e seu Senhor falou, ele disse: 'Meu Senhor, permite-me ver-Te.' Ele disse: 'Você não me verá, mas olhe para a montanha, se permanecer firme, você Me verá.' Quando seu Senhor se manifestou na montanha, Ele a transformou em pó e Moisés desmaiou. Quando recobrou a consciência, disse: 'Glória a Você! Eu me arrependo para Você e sou o primeiro dos crentes.' ”

(Alcorão 7:143)

Moisés permaneceu na montanha por 40 dias e recebeu tábuas que continham leis e decisões para os Filhos de Israel seguirem. 

“Escrevemos para ele nas Tábuas uma advertência a respeito de tudo e um detalhamento de tudo. Dissemos a ele: 'Aceite-as com firmeza e ordene a seu povo que observe seus ensinamentos mais excelentes. Eu vou te mostrar a morada dos ímpios.' ” 

(Alcorão 7:145)

Depois de se encontrar com Allah, ele voltou para seus seguidores e os encontrou adorando um bezerro feito de ouro que haviam tirado do povo do Faraó. Allah admoestou o grupo por adorar algo que não pode fazer nada por eles, condenando a adoração de ídolos. 

“O povo de Moisés tomou para si [como um deus] depois dele um bezerro corpóreo baixo, feito de seus ornamentos. Não viram que não lhes falava e não os guiava no caminho? Eles pegaram e foram malfeitores.”

(Alcorão 7:148)

Moisés ficou zangado com seu povo pela ingratidão a Allah e com seu irmão por não cuidar deles adequadamente. Em sua raiva, culpou o irmão e ia puni-lo. Mais tarde, ele se acalmou e repensou a situação. 

Ele disse: “Meu Senhor! Perdoe a mim e a meu irmão e admita-nos em Sua misericórdia; Você é o mais misericordioso dos misericordiosos.” 

(Alcorão 7:151)

Moisés começou a escolher as pessoas que não adoravam o bezerro quando a terra, de repente, começou a tremer. Moisés orou a Allah para ser salvo do castigo. 

“Ele disse: 'Meu Senhor! Se Você tivesse desejado, poderia ter matado a eles e a mim antes. Você nos mataria pelo que os tolos entre nós fizeram? Isto não é senão a Tua provação, a qual envias a quem queres e guia quem queres. Você é Nosso guardião, então perdoe-nos e tenha misericórdia de nós, e Você é o melhor dos perdoadores”.

(Alcorão 7:155)

Allah respondeu graciosamente ao chamado de Moisés e perdoou aqueles que acreditaram em Seus sinais. 

“Ele disse: 'Eu atingirei com Meu tormento quem eu quiser e Minha misericórdia abrange tudo, então vou escrever para aqueles que são piedosos, dão esmolas e acreditam em Nossos sinais.' ”

(Alcorão 7:156)

Aqui, o Alcorão diz aos leitores que não se deve adorar ídolos ou outro deus além dele. A raiva demonstrada por Allah e Moisés mostra o quão grave é essa ação. Mesmo após a desobediência, Allah mostra misericórdia e perdoa aqueles que pedem com sinceridade.

Falha em reivindicar a Terra Santa 

Na busca por um lugar para se estabelecer, Allah revela a Moisés que a Terra Santa é para os Filhos de Israel reivindicarem. Moisés, percebendo que Allah estava dando a seu povo outro favor, lembrou-lhes das muitas bênçãos que Allah lhes havia concedido. 

“Quando Moisés disse ao seu povo: 'Ó meu povo! Lembrem-se do favor de Deus para com vocês quando Ele fez profetas entre vocês e os fez reis e deu a vocês o que Ele não deu a nenhum dos outros povos. Ó meu povo! Entrem na terra sagrada que Allah decretou para vocês e não voltem para trás, caso contrário, vocês se tornariam perdedores.' ”

(Alcorão 5:20-21)

Embora a terra fosse deles para reivindicar, Allah a colocou como um teste para ver quem tinha fé. A terra foi ocupada por uma nação poderosa, mas Allah disse que ela estava lá, então tudo que eles tinham que fazer era tentar. Temendo pelo poder desta nação, muitos não obedeceram. 

“Eles disseram: 'Ó Moisés! Há um povo poderoso nela. Não entraremos até que saiam dali. Se eles saírem, nós entraremos.' ”

(Alcorão 5:22)

Outros tiveram fé e tentaram encorajar seu povo. 

“Então, dois homens que temem [a Deus], ​​a quem Allah deu o favor, disseram: 'Entrem pela porta. Depois de entrar, vocês serão vitoriosos. Coloquem sua confiança em Allah se forem crentes.' ”

(Alcorão 5:23)

Novamente, seu povo negou e até disse a Moisés para ir lutar contra a nação com Allah enquanto eles se sentavam. 

“Eles disseram: 'Ó Moisés! Nunca entraremos enquanto eles estiverem lá. Vá você e seu Senhor e lutem. Vamos sentar aqui.’ ”

(Alcorão 5:24)

Devido à teimosia de seu povo, Allah os proibiu de entrar na terra e agora tinham que vagar sem um lugar para se estabelecer. 

“Ele disse: 'Meu Senhor! Eu não controlo outro senão a mim mesmo e meu irmão, então nos separe do povo rebelde’. Ele disse: ‘Então será proibido para eles por quarenta anos em que vagarão na terra, então não sofram pelo povo rebelde.' ”

(Alcorão 5:26)

O Alcorão mostra o benefício de quem tem fé em Allah, como Moisés e sua mãe. Da mesma forma, esta história mostra que perder a confiança em Allah só prejudica a pessoa, pois ela perde a ajuda que teria recebido. 

Moisés, o Aluno 

Em algum momento durante a missão profética de Moisés, Allah quis ensinar a Moisés, embora ele fosse um profeta, que o conhecimento é algo que Allah pode conceder a qualquer pessoa. Allah disse a Moisés que existia uma pessoa com mais conhecimento, então Moisés foi aprender com ele. 

“Moisés perguntou-lhe: 'Posso segui-lo, desde que me ensine algumas das orientações corretas que lhe foram ensinadas?'”

(Alcorão 18:66)

Este servo avisou a Moisés que não teria paciência com ele porque não tinha o conhecimento para entender suas ações. 

“Ele disse: 'Você certamente não pode ser paciente o suficiente comigo. E como você pode ser paciente com o que está além do seu [domínio de] conhecimento?' ” 

(Alcorão 18:67-68)

Moisés, ansioso por aprender, garante-lhe que será paciente, se Allah assim o desejar. 

“Moisés garantiu [a ele]: 'Você vai me achar paciente, se Deus quiser, e não vou desobedecer a nenhuma de suas ordens.' ”

(Alcorão 18:69)

Três eventos aconteceram e, compreensivelmente, Moisés ficou com raiva. O servo fez um buraco no navio das pessoas que lhes deram carona, matou uma criança e consertou um muro em uma cidade onde os moradores não lhes prestaram assistência. Moisés reagiu a cada evento, enquanto o servo reiterava que Moisés não conseguiu manter sua paciência com ele.

“Então, eles partiram, mas depois de embarcarem em um navio, o homem fez um buraco nele. Moisés protestou: ‘Você fez isso para afogar seu povo? Você certamente fez uma coisa terrível!' ”

(Alcorão 18:71)

“Então, eles prosseguiram até que encontraram um menino, e o homem o matou. Moisés protestou: 'Você matou uma alma inocente, que não matou ninguém? Você certamente fez uma coisa horrível.' ”

(Alcorão 18:74)

“Então, eles seguiram em frente até chegarem ao povo de uma cidade. Pediram comida, mas o povo recusou-se a recebê-los. Lá eles encontraram uma parede prestes a desabar, então o homem a consertou. Moisés protestou: 'Se você quisesse, poderia ter exigido uma taxa por isso.' ”

(Alcorão 18:77)

O servo, depois de dar a Moisés algumas chances, disse a ele que se separariam e decidiu contar a Moisés o raciocínio por trás de suas ações anormais. Depois de descobrir o raciocínio, o servo certamente não estava causando corrupção, mas sim o contrário. 

“Quanto ao navio, era de uns pobres que trabalhavam no mar. Então, eu pretendia danificá-lo porque havia um rei [tirano] à frente deles que tomava todos os bons navios à força. E quanto ao menino, seus pais eram verdadeiros crentes, e temíamos que ele os pressionasse a desafiar e descrer.”

(Alcorão 18:79-80)

“E quanto ao muro, pertencia a dois meninos órfãos da cidade, debaixo dele havia um tesouro que lhes pertencia e seu pai era um homem justo. Portanto, seu Senhor desejou que essas crianças atingissem a maioridade e recuperassem seu tesouro, como uma misericórdia de seu Senhor. Eu não fiz isso tudo sozinho. Esta é a explicação do que você não poderia suportar pacientemente.”

(Alcorão 18:82)

Esta história do Alcorão demonstra aos crentes que o infortúnio pode cair sobre eles, mas isso pode ser bom. Mesmo um profeta não poderia ver os benefícios dessas ações, o que mostra que o conhecimento de Allah é insondável. Ensina a ter paciência em tempos de dificuldade, pois Allah sabe melhor. 

Conclusão 

O Alcorão contém muitas experiências de Moisés, muitas das quais foram descritas neste texto. O Alcorão também contém mais informações sobre os Filhos de Israel e Moisés. Cada pedaço da história contém uma lição para o leitor, portanto, sempre analise mais a fundo! 

Fonte

GetQuranic

Links para Leitura

Sobre a Redação

A Equipe de Redação do Iqara Islam é multidisciplinar e composta por especialistas na Religião Islâmica, profissionais da área de Marketing, Ilustração/Design, História, Administração, Tradutores Especializados (Árabe e Inglês). Acesse nosso Quem Somos.