Página Inicial » Perguntas e Respostas » Podemos celebrar a Isra` wa al-Mi’raj (A Noite da Jornada e Ascensão) e a noite de meados de Sha’ban?

Podemos celebrar a Isra` wa al-Mi’raj (A Noite da Jornada e Ascensão) e a noite de meados de Sha’ban?

Pergunta: 

1. Estamos há muito tempo acostumados a celebrar a noite de meados de Sha’ban reunindo os moradores da aldeia – velhos e jovens, mulheres e crianças – na mesquita para a Oração do Maghrib (Oração do Pôr-do-Sol). Depois, recitamos três vezes Surat Ya Sin, fazemos súplicas do Alcorão e oramos à Allah pelo Islam e pelos muçulmanos depois de cada recitação. No passado, costumávamos fazer as súplicas normalmente feitas na noite de meados de Sha’ban de maneira audível e em uma congregação; entretanto, nós substituímos estas com súplicas do nobre Alcorão. Qual é a opinião da religião a respeito de celebrar a noite de meados de Sha’ban dessa maneira?

2. Nós celebramos diferentes ocasiões religiosas, como Laylat al-Qadr ( A Noite do Decreto), Laylat al-Isra` wa al-Mi’raj (A Noite da Jornada e Ascensão), o nascimento nobre de o Profeta (que a paz e as bençãos de Allah estejam sobre ele), e assim por diante, reunindo um grupo de sheykhs e eruditos para fazer algumas palestras religiosas nessas ocasiões. Também realizamos algumas competições religiosas e litanias, pomos alto-falantes dentro e fora da mesquita e penduramos luzes fora da mesquita para decoração. Às vezes, nós filmamos a celebração; sentam-se os estudiosos atrás de uma mesa de frente para o público na mesquita; oferecemos algumas bebidas e doces; e honramos aqueles que memorizaram o nobre Alcorão, seus professores e os diligentes obreiros da mesquita. Qual é a opinião da religião sobre essa maneira de celebrar?

Resposta: 

Primeiro: a noite de meados de Sha’ban é uma noite abençoada. Existem numerosos hadiths que fortalecem um ao outro (e são [assim] elevados ao grau de sahih e forte) e que estabelecem o mérito desta noite. Portanto, comemorar esta noite é, sem dúvida, legal, independentemente do fato de que esses hadiths podem ser fracos ou fabricados.

Hadiths sobre a virtude da noite de meados de Sha’ban:

Recomendado para você:  Dhul Hijjah chegou! O que devemos fazer?

”Aisha, a Mãe dos Crentes (que Deus esteja satisfeito com ela), disse: “Uma noite, eu não encontrei o Profeta (que a paz e as bênçãos estejam com ele) em sua cama, então eu saí procurando por ele e encontrei-o no cemitério de al-Baqi com a cabeça erguida em direção ao céu. Ele disse: ”Oh Aisha! Você temia que Deus e Seu Mensageiro o tratassem injustamente?” Eu disse: ‘Não, eu pensei que você tinha ido passar a noite com uma de suas [outras] esposas” Ele disse: ‘Deus Todo-Poderoso desce ao céu mais baixo na noite de meados de Sha’ban e perdoa mais pessoas do que o número de pêlos nas peles das ovelhas de Bani Kalb1” (al-Tirmidhi, Ibn Majah e Ahmed).
Mu’adh Ibn Jabal (que Deus esteja satisfeito com ele) narrou que o Profeta (que a paz e as bênçãos estejam com ele) disse: “Na noite de meados de Sha’ban, Deus olha para Sua criação e perdoa todos eles, exceto o politeísta e o briguento “(al-Tabarani e Ibn Hibban declararam-o autêntico).

Ali Ibn Abu Talib (que Deus honre seu semblante) narrou que o Profeta (que a paz e as bênçãos estejam com ele) disse: “Realize as orações da vigília noturna na noite de meados de Sha’ban e jejue o dia [ou seja, o dia anterior porque Deus desce ao céu mais baixo ao pôr-do-sol daquela noite e diz: “Não há ninguém pedindo perdão para que eu possa perdoá-lo? Não há ninguém pedindo por sustento para que eu possa lhe dar sustento? Não há ninguém em dificuldade para que eu possa aliviá-lo? Não existe tal e tal …, não existe tal e tal coisa? E assim por diante até o pico do amanhecer “(Ibn Majah).

Não há objeção em recitar audivelmente Surat Ya Sin três vezes depois das orações do Magrib na congregação, porque isso é considerado parte da comemoração desta noite. Quanto ao  dhikr (recordação), o assunto é aberto; É permitido designar certos lugares e épocas para realizar regularmente boas ações, desde que isso não seja considerado obrigatório e, portanto, um pecado negligenciá-las. Abdullah Ibn ‘Umar (que Deus esteja satisfeito com os dois) disse: “Todos os sábados, o Profeta costumava ir à mesquita de Quba a pé ou a cavalo” (Bukhari e Muslim). Al-Hafiz Ibn Hajar declarou em al-Fath, “Apesar de ter diferentes cadeias de transmissão, este hadith prova a permissibilidade de designar dias específicos para realizar regularmente certas boas obras.”

Recomendado para você:  O uso do Rosário (tasbih ou masbaha)

Al-Hafiz Ibn Rajab disse em Lata’if al-Ma’arif, “Os estudiosos de Sham diferiam quanto à maneira de celebrar esta noite:

A primeira opinião é que é louvável celebrar esta noite reunindo em mesquitas. Khaled Ibn Ma’dan, Luqman Ibn ‘Amer e outros costumavam usar suas melhores roupas, usar incenso e deliniar seus olhos com kohl para celebrar esta noite na mesquita; Ishaq Ibn Rahawiyah aprovou isso. No que diz respeito a comemorar esta noite em congregação na mesquita, ele disse: “Isto não é uma inovação”. Al-Karmani citou esta opinião em seu Masa’il.
A segunda opinião é que é desaconselhável reunir-se em mesquitas nesta noite para realizar orações [especiais], narrar histórias morais e fazer súplicas. Não é desaconselhável para alguém orar individualmente nesta noite. Esta é a opinião de al-Awza’i, o imam, jurista e estudioso do povo de Sham.

Com base nisso, é permitido celebrar a noite de meados de Sha’ban da maneira mencionada anteriormente; não é uma inovação nem desaconselhável, desde que não seja considerada uma obrigação. No entanto, se for considerado obrigatório ao ponto de obrigar os outros a observá-lo e acusar aqueles que não participam de sua comemoração de cometer um pecado, ela se torna uma inovação porque obriga o que nem Deus nem o Seu Mensageiro tornaram obrigatório. Esta é a razão pela qual houve algumas pessoas entre os predecessores que mantiveram o desencorajamento de comemorar esta noite na congregação. Portanto, se esta obrigação é inexistente, então não há nenhuma restrição  ligada a ela.

Segundo: É louvável celebrar diferentes ocasiões religiosas desde que não incluam nada de ilegal. A ordem para lembrar as pessoas de observar ”os dias de Allah” foi mencionada na Shari’ah: ”… e recorda-lhe os dias de Deus! Nisso há sinais para todo o perseverante, agradecido.” (14: 5). Também está incluído na magnânima Sunnah – foi relatado no Sahih de Muslim que o Profeta costumava jejuar toda segunda-feira. Ele disse: “Eu nasci neste dia”.
Da mesma forma, foi mencionado em Sahih e Bukhari Sahih, que Ibn ‘Abbas (que Deus esteja satisfeito com ambos) narrou:
”Quando o mensageiro de Deus veio a Medina, ele encontrou os judeus em jejum no dia de Ashura. Então ele perguntou: “Qual é o significado deste dia em que vocês estão jejuando?” Eles responderam: “É um dia de grande significado. Neste dia Deus libertou Moisés e seu povo [de seu inimigo] e afogou o faraó e seu exército – então Moisés jejuou neste dia por gratidão a Deus. Portanto, também [nós] jejuamos neste dia. O Mensageiro de Deus então disse: ‘Temos mais direito a Moisés do que vós”. Então o Mensageiro de Deus jejuou neste dia e ordenou aos [muçulmanos] que o jejuassem ”.

Recomendado para você:  De acordo com o Islam, não-muçulmanos irão ao Paraíso? - Imam Abu Hamid al-Ghazali

Com base nisso, é lícito celebrar ocasiões religiosas da maneira mencionada anteriormente – não é desaconselhável nem uma inovação. Pelo contrário, tais celebrações são por meio de honrar os ritos de Deus Todo-Poderoso: “… Contudo, quem enaltecer os símbolos de Deus, saiba que tal (enaltecimento) partirá de quem possuir piedade no coração.” (22:32).

E Deus o Altíssimo sabe melhor.

Fonte: http://eng.dar-alifta.org/foreign/ViewFatwa.aspx?ID=470&text=Isra

Sobre Iqara Islam

O Iqara Islam é uma página dedicada a apresentação do Islam Tradicional para muçulmanos e não-muçulmanos que buscam informação e conhecimento de qualidade sobre vários aspectos da religião islâmica, tais como: espiritualidade, jurisprudência, história e cultura. Sendo uma iniciativa independente, não visamos fins lucrativos. Somos totalmente contra a violência injustificada, terrorismo e ditaduras de qualquer natureza.