Página Inicial » História Islâmica » Vikings » Os Vikings pelos olhos de um Muçulmano
Os Vikings pelos olhos de um Muçulmano

Os Vikings pelos olhos de um Muçulmano

Ahmad ibn Fadlan, um viajante, comerciante e escritor árabe muçulmano conhecido por escrever diversas cartas com relatos valiosos sobre a sociedade viking do século X. Ibn Fadlan foi enviado por Al-Qahir bi’llah, califa do Califado Abássida, com o propósito de estender uma rede de comércio com os vikings Rus’. Essa viajem foi rica em informações, as cartas de Ibn Fadlan contrasta o enorme choque cultural levado por ele e sua caravana ao presenciarem a sociedade viking. O primeiro dos choques foram raciais; Ibn Fadlan ficou extremamente fascinado pelo fenótipo viking e o relatou: ¨é a beleza mais linda que eu já vira¨, mas em contraste a isso os vikings também admiraram os muçulmanos. Outro relato precioso de Ibn Fadlan é o comportamento dos vikings:

¨Nunca presenciei povos tão nojentos e mundanos em toda minha vida¨.

Ele também salientou os sacrifícios humanos, rituais sórdidos, incesto e até zoofilia, tudo era muito averso à sociedade bem civilizada do Califado Abássida. Mas as diferenças culturais não abalaram nem um pouco os negócios, os abássidas queriam peles e os vikings ouro, esse comércio perdurou por quase um século, quando os vikings Rus’ se disperçaram para vários pontos da Sibéria. Uma aliança entre os dois povos foi vinculada de maneira bem peculiar: uma mulher abássida dada como uma forma de presente ao chefe Rus’ e uma mulher viking dada como forma de presente ao califa Al-Qahir bi’llah.

Fonte: http://www.sammustafa.com/Resources/Fadlan.pdf

Sobre Iqara Islam

O Iqara Islam é uma página dedicada a apresentação do Islam Tradicional para muçulmanos e não-muçulmanos que buscam informação e conhecimento de qualidade sobre vários aspectos da religião islâmica, tais como: espiritualidade, jurisprudência, história e cultura. Sendo uma iniciativa independente, não visamos fins lucrativos. Somos totalmente contra a violência injustificada, terrorismo e ditaduras de qualquer natureza.