Página Inicial » Hadith e Sunnah » O Significado de Sunnah – Sheykh G.F. Haddad

O Significado de Sunnah – Sheykh G.F. Haddad

“A Sunna no Islã é mais rara e preciosa
do que o Islã é raro e precioso dentre o resto das fés.”
-Abu Bakr ibn ‘Ayyash

“Sunnah significa o caminho que é percorrido (al-tarîq al-maslûk), que implica se ater ao o que quer que o Profeta e seus companheiros bem-guiados tinham de doutrinas, feitos e ditos. Essa é a sunnah perfeita e completa. É por isso que os Salaf do passado se abstiveram de aplicar o nome de Sunnah a qualquer coisa que não atendesse a esses critérios.”
-Ibn Rajab

”A Sunnah é sabedoria e sabedoria é pôr cada coisa no seu contexto correto.”
-Ismâ’îl al-Ansâri

A palavra árabe sunna lexicalmente significa “estrada” ou “prática”. Na linguagem do Profeta e dos Companheiros denota a integralidade das práticas lícitas [legais] seguidas na Religião (dîn), particularmente o caminho pristino (hanîf) dos Profetas, seja pertencente à crença, prática religiosa e social ou ética, genericamente falando.

No seu sentido técnico sunna tem três significados. Na terminologia de hadîth denota qualquer dito (qaul), ação (fi’l), aprovação (taqrîr) ou atributo (sifâ) seja físico (khilqiyya) ou moral (khulûqiyya) atribuído ao (udîfa ilâ) Profeta, seja antes ou depois do início de sua profecia. Assim, as “ciências da Sunna”(‘ulûm al-Sunna) se referem à biografia do Profeta (al-sîra), a crônica de suas batalhas (al-maghâzî), seus ditos e atos cotidianos ou “maneiras” (sunan), suas qualidades pessoais e morais (al-shamâ’il) e é o servidor das ciências auxiliares do hadîth tais como as circunstâncias de ocorrência (asbâb al-wurûd), conhecimento de hadîth ab-rogante e ab-rogado, palavras difíceis (gharîb al-hadîth), crítica dos narradores (al-jarh wal-ta’dîl), biografia dos narradores (al-rijâl) etc., como discutido em grande detalhe nos livros autoritativos de al-Khatîb al-Baghdâdî.

Recomendado para você:  Onde está a misericórdia?

Esse significado é usado em contradistinção à expressões alcorânicas tais como “Alcorão e Sunna” e se aplica ao uso dos sábios de hadîth.

Imâm Ahmad (radiyAllahu anhu) disse: “A Sunnah na nossa definição consiste nos relatos transmitidos do Mensageiro de Allah e a Sunnah é o comentário (tafsîr) do Alcorão e contém suas direções (dalâ’il).”

Os antigos Mestres sunitas tais como Abû Hanîfa, al-Humaidî, Ibn Abî ‘Âsim, Abû Dâwûd e Abû Nasr al-Marwazî também usavam o termo “a Sunnah” no sentido estrito para se referir à Doutrina Sunita em oposição aos credos das outras seitas não sunitas.

Na terminologia do usûl al-fiqh ou princípios da jurisprudência, sunnah denota um dito (qaul), ação (fi’l) ou aprovação (taqrîr) relacionados ao (nuqila ‘an) Profeta ou emitidos (sadara) dele sem ser do Alcorão.

Na terminologia de fiqh ou jurisprudência, sunna denota o que quer que esteja firmemente estabelecido (thabata) como solicitado (matlub) na Religião na base de uma prova legal (dalîl shar’î) mas sem ser obrigatório, o abandono contínuo do que se constitui desprezo (istikhfâf) da Religião – também pecado (ithm) de acordo com alguns juristas – e incorre em culpa (laum, ‘itab, tadlîl) – também punição (‘uqûba) de acordo com alguns juristas. Entretanto, alguns juristas fizeram uma distinção entre o que chamaram de “Sunna Enfatizada” (Sunna mu’akkada) ou “Sunna de Guia” (Sunnah al-huda), tal como o que o Profeta ordenou ou enfatizou em palavra ou feito, e outros tipos de Sunna considerados menos obrigatórios no seu status legal, tais como o que chamaram de “Sunnah Não Enfatizada” (Sunnah ghair mu’akkada) ou “Sunnah de Hábito” (Sunnah al-‘âda).

As definições jurisprudenciais de Sunnah acima são usadas em contradistinção às outras quatro das cinco categorias legais para ações humanas – fard (obrigatório), sunnah, mubâh (indiferente), makrûh (detestável), harâm (proibido) – e se aplicam no uso dos juristas do segundo século da Hégira para frente. Entretanto, os juristas têm frisado que a base de todos os atos de adoração categorizados como sunna é a “obrigatoriedade” e não a “permissibilidade” (al-asl fî al-sunna al-wujûb lâ al-ibâha). Sunnah é assim definida como a mais forte das categorias quase sinônimas seguintes:

  • “louvável” (mandûb)
  • “desejável” (mustahabb)
  • “voluntário” (tatawwu’)
  • “refinamento” (adab)
  • “obediência” (tâ’a)
  • “super-rogatório” (nafl)
  • “aproximando-se” (qurba)
  • “recomendado” (râghîba, murghab fîh)
  • “excelente” (hasan)
  • “excelência” (ihsân)
  • “meritório” (fadîla)
  • “melhor” (afdal).
Recomendado para você:  Livro: ''O Profeta não fez!'' - Explicando a Falácia da Inovação (Bid'a)

Al-Dhahabî relata de Ishâq ibn Rahuya o dito: “Se al-Thauri, al-Auzâ’i e Mâlik concordam sobre um dado assunto, o assunto é Sunnah.” Al-Dhahabî comenta:

Em vez disso, a Sunna é o que quer que o Profeta tornou Sunna, e os Califas bem guiados depois dele. Quanto ao Consenso (ijmâ’), é o que quer que os ‘ulamâ’ da Comunidade tanto do passado quando os mais recentes unanimemente concordaram, por concordância assumida (zannî) ou tácita (sukutî). Quem quer se desvie de tal consenso entre os Sucessores ou seus sucessores, é tolerado para ele sozinho. Quanto à quem se desvie dos três imâms nomeados acima, então tal não é nomeado um desvio do Consenso, nem da Sunna. Tudo o que Ishâq quis dizer foi que se eles concordam sobre um dado assunto então é muito provavelmente correto, assim como dissemos, hoje, que é quase impossível encontrar a verdade fora do que os Quatro Imâms por empenho erudito concordaram. Dizemos isso ao mesmo tempo em que admitimos que a concordância deles num dado assunto não dita o consenso da Comunidade, mas nos refreamos de afirmar, em relação a um assunto que todos eles concordaram, que a posição correta seria outra.

No sentido mais amplo, “Sunna” denota de fato o conhecimento e prática verdadeiros da Religião e é o antônimo de “inovação” (bid’a), como na expressão “Povo da Sunnah” ou sunitas (Ahl al-Sunna). Al-Junaid disse: “O caminho para Allah está fechado exceto para aqueles que seguem os rastros do Profeta Muhammad e aderem à sua Sunna. Allah (swt) disse: {Realmente, tendes no Mensageiro de Allah um excelente exemplo para aqueles que têm esperança em Allah e no Dia do Juízo Final, e invocam Allah frequentemente.} Sura 33:21”

Recomendado para você:  Hadith fora do contexto nº 1: Teria o profeta batido em Aisha?

GF Haddad ©

Fonte: http://www.livingislam.org/n/ms_e.html

Sobre Iqara Islam

O Iqara Islam é uma página dedicada a apresentação do Islam Tradicional para muçulmanos e não-muçulmanos que buscam informação e conhecimento de qualidade sobre vários aspectos da religião islâmica, tais como: espiritualidade, jurisprudência, história e cultura. Sendo uma iniciativa independente, não visamos fins lucrativos. Somos totalmente contra a violência injustificada, terrorismo e ditaduras de qualquer natureza.