Página Inicial » Alcorão » ”E matai-os onde quer que os encontreis” – Explicando os versos do Alcorão que ordenam matar

”E matai-os onde quer que os encontreis” – Explicando os versos do Alcorão que ordenam matar

basmallah

Em nome de Allah, o Clemente, o Misericordioso

Introdução do tradutor (Dante Ibrahim Matta):

O que é muito interessante observar aqui é o fato de que os extremistas e os islamofóbicos têm o mesmo métodos: Negam o contexto da tradição teológica pretendendo interpretar ‘’diretamente’’ o Alcorão, quando na realidade distorcem o Alcorão para servirem a sua própria agenda politica, ou se extraviam por ignorância e orgulho.

Está totalmente proibido interpretar o Alcorão sem ter as qualificações para faze-lo…

Todas as pessoas podem interpretar, porém teem que estudar primeiro. Não há clero no Islam, mas uma hierarquia de estudo e conhecimento. O que garante a competência do professor é o fato de que ele recebeu uma autorização de ensinar por parte de um professor reconhecido pela comunidade (ijaza). O profeta Muhammad disse neste sentido: ‘’Minha comunidade não pode por-se de acordo sobre um erro.’’

A comunidade aqui indica aos sábios da comunidade.

A luz que dão os comentários do sábio somente sobre estes dois versículos indicam a necessidade absolta de estudar o Alcorão com um professor competente e com livros de comentário (tafsir) reconhecidos e variados, também é necessário um bom conhecimento da vida do profeta Muhmmad (que a paz esteja com ele). São ferramentas necessárias para hora de ler o Alcorão para entender-lo corretamente.

Há um abismo entre o que se entende destes versículos sem e com o conhecimento requerido.

Uma regra fundamental para nunca se esquecer:

‘’Os ahadiths (ditos do profeta) sem fiqh (compreensão e jurisprudência) extraviam.’’

A mesma regra se aplica ao Alcorão e talvez mais, porque a Palavra de Deus indica certeza enquanto o hadith, exceto alguns como os hadiths mutawatir que teem muitíssimos narradores diferentes e um mesmo conteúdo, nunca podem chegar a ser considerados 100% autentico, e sempre existe uma duvida.

O teólogo Imam Abu Hamdi Al-Ghazali (século 11) disse:

‘’Quem pretende que os hadiths indicam a certeza tem uma enfermidade mental.’’

Um grupo muito famoso por haver se extraviado com o Alcorão é o grupo dos khawarij (خوارج), que criticaram ao próprio profeta e logo se levantaram contra os companheiros e o familiar do profeta, Ali, e o mataram.

Chegaram tão longe no extravio que mataram membros da própria família do profeta e muitos dos companheiros, em nome do Alcorão.

Como não tinham nenhum tipo de entendimento claro sobre o Alcorão, se dividiram em uma infinidade de grupos, e terminaram por matarem a si mesmos, por que uns se referiam sobre tal parte do Alcorão e os demais sobre outra.

O Alcorão é um livro holístico, que tem que ser aceitado totalmente para ser entendido, e o livro em si o diz: ‘’Credes, acaso, em uma parte do Livro e negais a outra?’’ (2:85)

Este grupo tem descendencias até o dia de hoje, e seu desvio é tão claro que não é necessário indicar aqui seus nomes, o profeta nos advertiu sobre o perigo que constitui este grupo, e disse que : ‘’O Islam deles não irá além de suas gargantas’’, o que signfica que não baixa até o coração, não teem um conhecimento profundo da religião, suas únicas ciencias são a emotividade e a superficialidade. O critério para reconhecer um grupo desviado é escutar o que dizem os sábios da comunidade sobre eles. Os khawarij assim como o Daesh (ISIS) hoje não tem nenhum sábio que reconhece sua legitimidade.

Os Versículos que Ordenam matar no Alcorão      

(uma resposta a extremistas e islamofóbicos)

Por Mufti Siraj Desai

Pergunta:

‘’Recentemente participei em uma discussão religiosa em meu trabalho com um de meus colegas cristãos, e ele me pediu para explicar-lhe um versículo do Alcorão com o qual parecia que tinha um problema.

Se tratava do versículo 89-90 da surah 4, nos quais Allah ordena aos muçulmanos em duas ocasiões matarem os não crentes.

Lhe disse que como não era um ‘’’expert ‘’ na explicação do Alcorão, iria me informar com meus respeitáveis sábios e que voltaria então a ele a respeito destes versículos. Por favor, Mufti Saheb, poderia me explicar estes versículos e dar-me um comentário (tafsir) detalhado destes versículos para que eu possa contestar a meu colega não-muçulmano de maneira mais correta? Pode também mencionar outros versículos do Alcorão nos quais Allah ordena que os não-crentes sejam bem tratados? ‘’

Resposta:

Recomendado para você:  Consenso sobre algumas questões relacionadas ao Alcorão - Sheykh G. F. Haddad

Explicação dos versículos 89 e 90 da surah 4 (An Nisa, As Mulheres).

Começaremos fazendo uma tradução literal destes versículos:

4:89 :

‘’Anseiam (os hipócritas) que renegueis, como renegaram eles, para que sejais todos iguais. Não tomeis a nenhum deles por confidente, até que tenham migrado pela causa de Deus. Porém, se se rebelarem, capturai-os então, matai-os, onde quer que os acheis, e não tomeis a nenhum deles por confidente nem por socorredor.’’

4:90 :

‘’Exceto àqueles que se refugiarem em um povo, entre o qual e vós exista uma aliança, ou os que, apresentando-se a vós,estejam em dúvida quanto ao combater-vos ou combater a sua própria gente. Se Deus tivesse querido, tê-los-ia feito prevalecer sobre vós e, seguramente, ter-vos-iam combatido; porém, se eles se retirarem, não vos combaterem e vos propuserem a paz, sabei que Deus não vos faculta combatê-los.’’

Desta tradução literal e com uma leitura profunda dos versículos anteriormente mencionado, é mostrada claramente que a ordem de matar é limitada e condicionada a certas circunstancias particulares.

Normalmente, os versículos do Alcorão devem ser entendidos em um certo contexto:

Lidos fora deste contexto, o sentido então é alterado.

Os cristãos (obs: o mufti é da Africa do Sul, onde muitos grupos cristãos se dedicam as polemicas e a produção de panfletos que insultam o Islam) e também outros antagonistas do Islam, interpretam o Alcorão de maneira erronea e deformada, por que ignoram o contexto dos versículos e o fazem por negligencia pura, ou dissimulação voluntária.

Por contexto, entendemos o sentindo comum derivado de um grupo de versículos. Ao invés de tomar um versículo e citar-lo fora de contexto, o procedimento correto consiste em examinar os versículos que se encontram antes e depois com objetivo de obter um significado correto do que realmente diz o Alcorão. Em segundo lugar, para entender certos versículos complexos é necessário que o leitor recorra aos comentários oficiais e autênticos do Alcorão.

Nossos amigos não muçulmanos devem também levar em conta que o Nobre Alcorão contem princípios fundamentais e gerais sobre a maneria de governar, o culto, as transações etc…Porém, os detalhes estão nos ditos (hadiths) do profeta Muhammad (que a paz esteja com ele).

A razão desta diversificação é cuidar para que a nação muçulmana não se limite somente ao Nobre Alcorão para ser guiada, e sim integre também os hadiths. Tornando assim o profeta Muhammad uma figura maior do Islam e uma personalidade que deve ser honrada.

A palavra do profeta Muhammad (ou seja, suas tradições) foram postas de lado e separadas da palavra de Deus (ou seja, o Alcorão) para por em evidência a grande diferença entra a palavra pura de Deus e a apalavra do homem, ao contrário da Bíblia que contem uma mescla entre a palavra de Deus e a palavra do homem. Afinal, torna-se difícil distinguir a diferença. O sistema islâmico protege os muçulmanos para que não se encontrem no mesmo problema.

Nos versículos mencionados anteriormente, há vários indicadores que mostram claramente o contexto e a aplicação do sentido transmitido. A explicação a seguir colocará luz sobre o assunto:

1- Estes versículos foram revelados em Medina, depois que o mensageiro de Allah estabeleceu as fundações do novo Estado islâmico. É neste contexto do jovem Estado islâmico que os versículos mencionados foram revelados. Em consequência, o primeiro principio que aparece é que estes versículos são dirigidos ao Estado islâmico e não aos muçulmanos individualmente.

Toda pessoa inteligente compreenderá que o poder dado a um Estado ou a uma administração é muito mais firme, global e amplo que o poder de um individuo. Porém, dentro destas regras, o Estado islâmico não recebeu ‘’via livre’’ para matar não-crentes segundo sua livre vontade, como será explicado.

2- A parte ‘’até que tenham migrado pela causa de Deus’’ nos dá uma outra indicação sobre a aplicação deste versículo.

O versículo não pode estar se referindo aos não muçulmanos porque a migração pelo caminho de Allah (se trata do exílio dos muçulmanos de Meca para Medina, devido as perseguições que viveram sob domínio dos árabes politeístas ) não é um ato que os não-muçulmanos ou os incrédulos possam fazer. Em nenhuma parte do Alcorão se pede aos não-muçulmanos que emigrem ou deixem sua cidade natal. É então evidente que ‘’até que tenham migrado pela causa de Deus’’ faz referencia a pessoas que supostamente se fingiam de muçulmanos. Isso faz então referencia aos hipócritas, ou seja, as pessoas do tempo do profeta Muhammad que proclamavam exteriormente serem muçulmanas, porém, interiormente não eram. Estes traidores também foram culpados por incitar outras comunidades e nações a atacarem os muçulmanos, como é mencionado em vários livros de história.

O versículo antes deste, que é o versículo 88 que estupula claramente :‘’Por que vos dividistes em dois grupos a respeito dos hipócritas, uma vez que Deus os reprovou pelo que perpetraram?’’ O contexto desta seção do capitlo nos mostra claramente que o versículo 89 faz referencia aos hipócritas e não aos não-muçulmanos, como os judeus, cristãos ou árabes pagãos.

3- O versículo 89 diz: ‘’Porém, se se rebelarem,,,’’, esta instrução significa que si estes hipócritas, depois de haverem abraçado a fé islâmica, renunciam a religião e se rebelam contra a comunidade muçulmana. então devem ser capturados, ou seja presos, e mortos.

(ndt: o que corresponde em direito moderno a alta traição contra o Estado, se refere a atos como espionagem para forças hostis a nação ou atos de terrorismo, estes atos são punidos pelo maior castigo legal possível em todos os países do mundo. Porém não se trata de uma execução sumária. Os comentários estipulam que serão presos, julgados e (somente) se são reconhecidos culpados,serão executados. Serão executados porque cometeram o pecado imperdoável da traição, o que, em todos os governos ou países, é um crime grave punido com a morte, ou prisão perpetua).

Esta lei se aplica somente ao Estado islâmico e não é nenhuma autorização dada a todos os muçulmanos de irem matar não-muçulmanos (ndt: os quais nem são mencionados no versículo em questão). Alguns podem argumentar que estes detalhes não estão mencionados no Alcorão, e que então os muçulmanos que leem o Alcorão poderiam ser levados a equivocar-se e crerem que toda pessoa pode ir e matar qualquer um que abandonar sua fé. É claro que deve ser entendido que estes detalhes são dados ás comunidades muçulmanas por vários meios, como as madrassas (escolas religiosas), os sites islâmicos na internet de perguntas e respostas, conferencias públicas, folhetos, artigos e boletins de informações publicados de maneira regular.

Os muçulmanos são então bem inteirados destas regras e como se aplicam e é por isso que não se encontram muçulmanos fazendo tais coisas exceto os vários incidentes conhecidos de supostos muçulmanos que se desviam do Islam.

4- A frase ‘’onde quer que os acheis’’ deve ser tomada em conjunto com as duas palavras citadas anteriormente, ‘’capturai-os então, matai-os’’. Isto significa que os que se encontram culpados de traição devem ser perseguidos e capturados em qualquer lugar onde se ocultem, e que a pena de morte deve ser pronunciada. Se trata de fomentar um governo competente que pode aplicar a lei. Qualquer governo dever ter a capacidade e a habilidade permitindo-se perseguir os grandes criminosos que se ocultam entre suas estruturas (ndt: trata-se de contra espionagem)  Uma administração que não está em capacidade de alcançar este objetivo, perde totalmente sua credibilidade no mundo inteiro.

5- O versículo 90 é outra indicação clara da justiça e da equidade defendida pelo Islam, e refuta a noção que os não-muçulmanos falsamente deduziram do versículo anterior, como que de alguma forma os muçulmanos são ordenados a matar aos não-crentes onde quer que se encontrem. Este versículo ordena ao governo muçulmano seguir as seguintes diretivas:

Honrar os tratados, pactos e comprimissos feitos com outras nações.

Respeitar os amigos das nações com as quais existe um pacto ou tratado.

Quanto aos renegados e os traidores, devem ser perdoados e honrados se estão em ligação de amizade com uma nação que tem um pacto com os muçulmanos

Não combater ou matar os que vivem com intenções pacificas e oferecem sua amizade

Está proibido aos muçulmanos combaterem as pessoas que propõem uma trégua.

Se pode recorrer ao combate unicamente quando um ato de violência ou de agressão vem da outra parte.

Os elementos anteriormente mencionados, fazem parte da justiça divina, conceito muito importante no Islam. Sobre esta base, as criticas dirigidas ao Islam por parte de seus antagonistas são totalmente abusivas, injustificadas e são o produto da ignorância do significado verdadeiro do Alcorão.

6- No versículo seguinte (91), outra regra clara é mencionada:

‘’Se não ficarem neutros, em relação a vós, nem vos propuserem a paz, nem tampouco contiverem as suas mãos, capturai-os e matai-os, onde quer que os acheis.’’

Recomendado para você:  Como sabemos que o Alcorão nunca foi modificado?

Esta ordem confirma o anteriormente dito, que até os hipócritas e os renegados devem receber paz sob a condição de se controlarem e de não cometerem nenhum ato de agressão ou violência. Novamente, esta ordem está destinada a um Estado, o qual o dever é de manter a lei e a ordem e proteger os direitos dos cidadãos.

Versículos do Alcorão que Ordenam o Bom Trato de Não-Muçulmanos

1.‘’E tolera tudo quanto te digam, e afasta-te dignamente deles.’’ (73:10)

2.‘’E não criamos os céus e a terra e tudo quanto existe entre ambos, senão com justa finalidade, e sabei que a Hora éinfalível; mas tu (ó Mensageiro) perdoa-os generosamente.’’ (15:85)

3.‘’E não disputeis com os adeptos do Livro, senão da melhor forma..’’ (29:46)

4.‘’Convoca (os humanos) à senda do teu Senhor com sabedoria e uma bela exortação; dialoga com eles de maneira benevolente’’ (16:125)

5.‘’E não vires o rosto às gentes, nem andes insolentemente pala terra, porque Deus não estima arrogante e jactancioso algum.’’ (31:18)

6.‘’Deus nada vos proíbe, quanto àquelas que não nos combateram pela causa da religião e não vos expulsaram dos vossos lares, nem que lideis com eles com gentileza e equidade, porque Deus aprecia os equitativos.’’ (60:8)

7.‘E combatei-os até terminar a perseguição e prevalecer a religião de Deus. Porém, se desistirem, não haverá mais hostilidades, senão contra os iníquos.’’ (2:193)

8.‘Se eles se inclinam à paz, inclina-te tu também a ela, e encomenda-te a Deus, porque Ele é o Oniouvinte, o Sapientíssimo. (8:61)

9.‘’Se alguns dos idólatras procurar a tua proteção, ampara-o, para que escute a palavra de Deus e, então, escolta-o até que chegue ao seu lar, porque (os idólatras) são insipientes.’’ (9:6)

Estes são unicamente alguns dos versículos entre muitos que ordenam que tenhamos uma relação cordial com os não muçulmanos amantes da paz e também com os que demonstram inimizade.

O mensageiro de Allah, Muhammad (que a paz esteja com ele) disse:

Recomendado para você:  Alcorão transcrito mais antigo do mundo foi encontrado

‘’Um crente verdadeiro, é aquele o qual a humanidade está salva de suas mãos e de sua língua.’’ (Bukhari e Muslim)

Mufti Siraj Desai

Tradução : Dante Ibrahim Matta

Fonte: http://www.sunnismo.com/los-versiacuteculos-que-ordenan-matar8203-en-el-coraacuten—mufti-siraj-desai.html

Sobre Iqara Islam

O Iqara Islam é uma página dedicada a apresentação do Islam Tradicional para muçulmanos e não-muçulmanos que buscam informação e conhecimento de qualidade sobre vários aspectos da religião islâmica, tais como: espiritualidade, jurisprudência, história e cultura. Sendo uma iniciativa independente, não visamos fins lucrativos. Somos totalmente contra a violência injustificada, terrorismo e ditaduras de qualquer natureza.