Página Inicial » Opinião » Reflexão » Eu, um grande muçulmano?

Eu, um grande muçulmano?

“La Ilaha il Allah, Muhammadan Rasul Allah. Essa é a shahada que repito todos os dias durantes meu salats, “Não há outra divindade além de Allah e Muhammad é mensageiro de Allah”. O Alcorão é meu livro sagrado, já o li diversas vezes, sou um muçulmano dedicado. Luto contra a injustiça nesse mundo através das minhas palavras, pois como diz o hadith narrado por Abu Sa’eed al-Khudree:

“Ouvir o Mensageiro de Allah (saws) dizer, “Aquele entre vocês que ver um mal, que o mude com sua mão, e se não for possível, então que o mude com a língua (pela fala), e se não for possível, que o mude com seu coração – e esse é o mais fraco em fé” [40 Hadith Nawawi 34]

Queria Allah que eu pudesse lutar com minhas mãos mas como não posso, luto com minha língua, falo abertamente contra o mal pois esse é meu dever. Além disso faço dawa na internet compartilhando algumas postagens interessantes de páginas Islâmicas além de postar críticas à idolatria, algo que me irrita e que não faz sentido algum para uma pessoa como eu, um muçulmano convertido.

Costumo fazer duras críticas aos líderes Islâmicos mundiais pois afinal, eles são os responsáveis por toda a desgraça que cai sobre nós muçulmanos. Eles não governam pela sharia, o que me dá o direito de chama-los de incrédulos e hipócritas. É inconcebível que Israel ainda exista, os países árabes já deveriam ter invadido e acabado com esse país, o fato de não o fazerem só prova que são a favor desse estado terrorista.”

Muitos muçulmanos ao lerem isso irão se identificar pois de fato representa muitos de nós, e ao menos uma parte daquilo que somos como muçulmanos. A texto acima ao mesmo tempo que mostra nossa força, mostra também a nossa fraqueza. Mas por que mostraria a nossa fraqueza?

Recomendado para você:  Os 7 atos mais amados por Allah

É chocante ver o quão os muçulmanos se encontram envolvidos com a causa palestina, com a causa síria e com os demais acontecimentos mundo afora de injustiça contra os muçulmanos, da suposta “incredulidade” dos líderes Islâmicos mas o quão ao mesmo tempo isso nos leva a apoiarmos práticas contrárias à Sharia ou nos leva a dedicarmos tempo excessivo em determinadas atividades que não beneficiam ou pouco beneficiam a nossa comunidade, não só brasileira como global.

Antes de prosseguirmos no texto vamos nos fazer perguntas simples mas que revelam muito o nosso nível de maturidade como muçulmanos:

  • Nessa semana eu fiz algum tipo de fofoca ou falei mal de alguém pelas costas?
  • Estou brigado com alguém da minha família?
  • Eu perdi tempo excessivo do meu dia com coisas fúteis?
  • Eu tenho ouvido música que é algo proibido no Islam?
  • Eu tenho visto novelas, filmes, com conteúdo haram?
  • Eu estou de papinho com algum irmão ou irmã (do sexo oposto)?
  • Eu raspo minha barba? Eu “faço” minha sobrancelha?
  • Eu busquei conhecimento Islâmico de qualidade nessa última semana?


Depois dessas perguntas aparentemente sem objetivo, caso você tenha respondido mentalmente sim para pelo menos uma pergunta você deve se questionar o que há de errado com você. Afinal, uma pessoa que tem dedicado tanto tempo à falar de acontecimentos mundo afora mas que falha em obrigações básicas precisa primeiro fazer o dever de casa. Claro que todos nós muçulmanos estamos no caminho do aperfeiçoamento mas é justamente nesse falso sentimento de dever cumprido que alguém pode sentir quando fala a favor da Palestina ou quando chama de kaffir um líder de um país Islâmico que mora um grande perigo. Alguns posicionamentos devem ser tomados sem dúvidas mas antes de mais nada, será que estão de acordo com a Sharia e de acordo com o entendimento das 3 primeiras gerações do Islam? Se não estão então muito cuidado.

Será que chamar um líder Islâmico de kaffir ou discutir sobre isso vai lhe beneficiar nas suas obrigações básicas que você não tem cumprido? Obviamente a resposta é não e provavelmente alguém queira refutar essa pergunta mas então eu já adianto outras perguntas como, será que seus vizinhos sabem que você é muçulmano e se sim, você já entregou material para leitura para eles que até de graça hoje está disponível? Talvez você não tenha acesso à esses materiais então será que você não poderia imprimir em folha A4 e distribuir? Quanto você já doou (se é da sua possibilidade) para uma causa de apoio à refugiados sírios, palestinos, africanos? Afinal, isso não é uma obrigação apenas dos ricos líderes do golfo… Você coloca seus conhecimento seculares à disposição da comunidade islâmica? Você participa de algum grupo de dawa? Você ensina o deen ao seu filho, à sua esposa, você os estimula à estudarem?

Recomendado para você:  Quero me converter ao Islam, e agora?

Enfim, dê foco àquilo que vai lhe beneficiar ó muçulmano. Você não é nenhum sábio, e também não é um estudioso, deixe os assuntos dos sábios para os sábios, dos estudiosos para os estudiosos, se atenha aos seus afazeres, faça a sua dawa, gaste pela causa de Allah, se posicione pela causa de Allah e pratique pela causa de Allah. Não seja um papagaio, siga o exemplo dos Profetas (as) e dos companheiros dos Profetas. Allah não falhará com a promessa Dele, seja em punição, seja em boas recompensas, portanto não falhe com sua obrigação como servo.

Sobre Iqara Islam

O Iqara Islam é uma página dedicada a apresentação do Islam Tradicional para muçulmanos e não-muçulmanos que buscam informação e conhecimento de qualidade sobre vários aspectos da religião islâmica, tais como: espiritualidade, jurisprudência, história e cultura. Sendo uma iniciativa independente, não visamos fins lucrativos. Somos totalmente contra a violência injustificada, terrorismo e ditaduras de qualquer natureza.