Página Inicial » Temas Diversos » Alguns conceitos para aqueles que desejam conhecer a fé Islâmica

Alguns conceitos para aqueles que desejam conhecer a fé Islâmica

Allah Somente é a Verdadeira Divindade (Ahmad Mashhûr al-Haddâd)

O Imâm Ahmad Mashhûr al-Haddâd al-Husainî (que Allah tenha misericórdia dele) disse:
«Allah Somente é A Verdadeira Divindade, O Existente necessário, é O Criador (Al-Khâliq), O que concede a existência (Al-Bâri’) e forma todas as coisas (Al-Musawwir), O que dá a vida e a morte, O que dispõe com sabedoria, que desenvolveu perfeito tudo o que criou e que destacou tudo o que fez, que dirige todas as coisas com uma precisão suprema, que determinou toda coisa que decretou. Somente Ele é O Verdadeiro Deus, Pré-Existente (Azalî) e Eterno (Abadî), digno de adoração interior e exterior, exaltado acima de todo defeito, O que possui os Atributos mais exaltados e os Nomes mais belos. A Ele pertencem o poder e a majestade. Não tem sócio em Sua Essência, Seus Atributos e Seus Atos. Não há deus além d’Ele.

” Sabei que Allah é Uno.” (Sura 4:171)
“Exaltado seja Allah, Verdadeiro, Soberano! Não há mais divindade além d’Ele” (Sura 23:116)
“Porventura, existe outro criador que não seja Allah, Que vos agracia, quer (com coisas) do céu quer da terra? Não há mais divindade além d’Ele!” (Sura 35:3)
“Ele rege todos os assuntos, desde o céu até à terra; logo (tudo) ascenderá a Ele” (Sura 32:5)
“Ele dá a vida e a morte, e a Ele retornareis.” (Sura 10:56)
“Ele é o Originador dos céus e da terra e, quando decreta algo, basta-Lhe dizer: Seja! e é.” (Sura 2:117).

Referência: Miftâh al-Janna – A Chave do Paraíso, do Imâm al-Habîb Ahmad Mashhûr al-Haddâd al-Yamânî (que Allah tenha misericórdia dele).

A Frase do Tauhîd e Seu Sentido (Ahmad Mashhûr al-Haddâd)

O Imâm al-Habîb Ahmad Mashhûr al-Haddâd al-Yamânî (que Allah tenha misericórdia dele) disse:

” ‘Lâ ilâha illAllah’. Uma frase sublime por seu sentido, breve por sua construção, ampla por seus efeitos, nobre por seu nível, brilhante por sua luz e única por seu mérito. Se compõe de quatro palavras sobre as quais se baseiam a fé e se situa a qibla. É a frase dada em cada Livro que Allah fez descer até cada um de Seus nobres mensageiros, e pela qual estamos salvos do fogo [do Inferno] e obtemos a felicidade eterna nos jardins [do Paraíso]. Allah (exaltado seja) disse: ‘Conscientiza-te, portanto, que não há mais divindade, além de Allah’ (Sura 47:19) e ‘Sou Allah. Não há divindade além de Mim. Adora-Me!’ (Sura 20:14). ‘Allah! Não há mais divindade além d’Ele, Vivente (Al-Hayy), Auto-subsistente (Al-Qayyûm)’ (Sura 2:255). ‘Allah! Não há mais divindade além d’Ele! Seus são os mais sublimes atributos’ (Sura 20:8) e ‘Jamais enviamos mensageiro algum, antes de ti, sem que lhe tivéssemos revelado que: Não há outra divindade além de Mim. Adora-Me, e serve-Me!’ (Sura 21:25).

Através da crença e da certeza no seu significado e se submetendo a ela, alcançamos a fé (al-îmân). Se a pronunciamos com sinceridade e se agimos de acordo com ela, resulta o Islã. Alcançando ao mesmo tempo a crença correta e a submissão a Sua autoridade, então aparece no coração a realidade da excelência (al-ihsân).

A frase do tauhîd é também chamada de ‘frase do testemunho’, de sinceridade, de realidade, de verdade, de promessa, de fé, de piedade, ‘a boa palavra’, ‘a palavra durável’, ‘a palavra de Allah mais exaltada’, ‘a palavra de intercessão’, ‘o preço do Paraíso’ e ‘a chave do Paraíso’.

É com ela que se entra no Islã e a última coisa com a qual se deixa este mundo, para o Jardim da beatitude eterna. Assim como diz o hadîth, nesse sentido: ‘Aquele cujas últimas palavras nesta vida sejam ‘Lâ ilâha illAllah’ entrará no Paraíso.’ (Abû Dâwûd e Ahmad). É a primeira obrigação e também é a última. Quem quer que a pronuncie sinceramente e morre a seguindo ou fazendo, entrará no Jardim, como afirma o hadîth. Mas aquele que a rechaça com arrogância, seja por rechaço ou por politeísmo, entrará no Fogo, e não existe pior morada que esta.

‘Em verdade, aqueles que se ensoberbecerem, de Me adorarem, entrarão, humilhados, no inferno.’ (Sura 40:60) e ‘quanto àqueles que desdenharem a adoração a Ele e se ensoberbecerem, Ele os castigará dolorosamente e não acharão, além de Allah, protetor, nem defensor algum.’ (Sura 4:173) e ‘A quem atribuir parceiros a Allah, ser-lhe-á vedada a entrada no Paraíso e sua morada será o fogo infernal!’ (Sura 5:72).

‘Lâ ilâha illAllah’ significa que Allah Somente é digno de adoração. Allah é o nome que designa a Esência Mui Santa, O Existente necessário, O que possui todos os atributos de perfeição e de majestade, que é isento de ter sócios, pares ou semelhantes, de todo atributo e estado que não convém a Sua glória e a Sua amplitude. Pois é o Único Deus, o Eterno, O que não engendra e que não foi engendrado, que não tem semelhante. Não há Deus fora d’Ele, louvado seja, além de toda comparação. Não tem sócio em Sua Esência, nem em Seus Atributos, nem em Seus Atos; a Ele pertencem a soberania e todos os louvores, Aquele que é Poderoso sobre todas as coisas.”

Recomendado para você:  Dicas para o Ramadan

Referência: Al-Miftâh al-Janna – do Imâm al-Habîb Ahmad Mashhûr al-Haddâd al-Yamânî (que Allah tenha misericórdia dele)

————————————————————————————————

A importância da compreensão da shahâda e do fato de se despojar de toda má crença (Qâdî ‘Iyâd, Ahmad Mashhûr al-Haddâd e al-Nawawî)

Allah (exaltado seja) diz: “Dize: Ele é Allah, o Único! Allah! O Absoluto! Jamais gerou ou foi gerado! E ninguém é comparável a Ele!”(Sura 112).

A conversão ao Islã de um indivíduo se faz graças ao testemunho de fé muçulmana (al-shahâda), e como disse al-Qâdî ‘Iyâd al-Mâlikî (que Allah tenha misericórdia dele), “deve incluir a crença do coração com a pronúncia da língua”.

E se o fato de que não haja divindade exceto Allah leva rapidamente a se concluir que Ele é Único por Seu número, constatamos que, para muitos, aparece menos claro que também é Único em Sua Essência, Sua “natureza”. Entretanto, a crença na pureza da Essência de Allah (exaltado seja) é primordial para validar o testemunho de fé pela crença do coração evocada mais acima.

Como disse o nobre descendente do Profeta (que a Paz e as Bênçãos de Allah estejam com ele), o Imâm Ahmad Mashhûr al-Haddâd (que Allah tenha misericórdia dele): ” ‘Lâ ilâha illAllah’ significa que Allah Somente é digno de adoração. Allah é o nome que designa a Essência Mui Santa, O Existente primordial, O que possui todos os Atributos de perfeição e de majestade, que é isento de toda transformação, isento de ter sócios, pares ou semelhantes, e de todo atributo que não convém a Sua glória e Sua amplitude. Porque é o Único Deus, O Único, O Eterno, O que não engendra e não foi engendrado, e não há ninguém que se pareça com Ele. Não tem sócio em Sua Essência, nem em Seus Atributos, nem em Seus Atos: a Ele pertencem a soberania e todo o louvor, O que é Poderoso sobre todas as coisas.” [Miftâh al-Janna].

É assim que o Imâm Muhyiddîn Yahyâ al-Nawawî (que Allah tenha misericórdia dele) disse: “E certamente, se um judeu antropomorfista diz ‘Lâ ilâha illAllah – Não há divinidade além de Allah’, não é muçulmano enquanto não se despoja de todo antropomorfismo e declara que nada se Lhe assemelha. E se acrescenta ‘waMuhammadun Rasûlullâh – e Muhammad é Seu Mensageiro’ sabendo que o Profeta Muhammad veio com a negação do antropomorfismo, então se tornou crente. Entretanto, se não é o caso, então é necessário que se despoje de todo antropomorfismo. ” [Raudat al-Tâlibîn].

Que toda pessoa que abrace o Islã se preocupe com o aprendizado e a aquisição do primeiro pilar do Islã que é a shahâda, para que sua fé não seja manchada por nenhuma doutrina inconforme ao Islã. Quanto a quem não sabia disto no momento de sua conversão mas que desde então se despojou de todo antropomorfismo ou de todas as outras doutrinas não islâmicas, que ande agora com serenidade até seu Senhor.

E que Allah nos ajude na nossa busca espiritual e faça de nós povos que obterão Sua Satisfação neste mundo e no Outro, Allâhumma Âmîn.

A Importância da Prática do Islã para Todo Muçulmano (Sayyidunâ Rasûlullâh e al-Tijânî)

Allah (exaltado seja) disse: “Segui o que vos foi revelado por vosso Senhor e não sigais outros protetores em lugar d’Ele!” (Sura 7:3).

E disse também (exaltado seja): “Aceitai, pois, o que vos der o Mensageiro, e abstende-vos de tudo quanto ele vos proíba.” (Sura 59:7).

E também: “Quem obedecer ao Mensageiro obedecerá a Allah” (Sura 4:80).

Mencionemos agora o hadîth relatado pelo Imâm Muhammad al-Bukhârî (que Allah tenha misericórdia dele) no seu Jâmi’ al-Sahîh, segundo Sayyidunâ ‘Umar Ibn al-Khattâb (que Allah esteja satisfeito com ele), no qual o Profeta (que a Paz e as Bênçãos de Allah estejam com ele) disse, nesse sentido: “O Islã está construído sobre cinco bases: o testemunho de que não há deus além de Allah e de que Muhammad é Seu servo e mensageiro, a prática [rigorosa] da reza, o pagamento do zakât, a peregrinação obrigatória (a Meca) e o jejum do ramadã.”

E o Imâm al-Bukhârî (que Allah tenha misericórdia dele) relatou também segundo Sayyidunâ Abû Huraira (que Allah esteja satisfeito com ele) que o Profeta (que a Paz e as Bênçãos de Allah estejam com ele) disse, nesse sentido: “Toda a minha comunidade entrará no Paraíso, exceto o que renuncia a isto.” Os Companheiros presentes se asombraram com isto e perguntaram ao Profeta: “Ó Mensageiro de Allah, quem poderia renunciar ao Paraíso?” Ao que respondeu: “Aquele que me obedeceu entrará no Paraíso, mas o que me desobedeceu terá então renunciado a isto.”

Recomendado para você:  Eu, um grande muçulmano?

Pois é obrigatório para todo muçulmano praticar as obras de adoração impostas pelo Senhor dos mundos, notavelmente as cinco rezas cotidianas, a esmola anual (al-zakât) se sua renda é suficiente, segundo a legislação islâmica, o jejum do mês de ramadã se tem a capacidade física de realizá-lo, a peregrinação pelo menos uma vez em sua vida se os meios físicos e materiais o permitem realizá-la, e também todas as outras obrigações que comporta a religião do Islã. E tudo isto vale também para toda pessoa convertida ao Islã. Não existe no Islã um status de “muçulmano não praticante”, porque o Islã é uma religião com um fundo e uma forma, um espírito e uma letra, uma fé e uma prática, e rechaçar a prática do Islã fingindo fazer parte desta religião é um extravio evidente que põe em questão a fé deste tipo de pessoa não praticante.

É assim que o Imâm Ahmad Ibn Muhammad al-Tijânî (que Allah tenha misericórdia dele) disse:

“Saiba, e que Allah tenha misericórdia de vocês, que os homens não foram criados neste mundo exceto para a adoração de Allah (exaltado seja) e para cumprir com Seus mandamentos, deixando Suas proibições. Certamente o fiel cumprimento dos mandamentos de Allah (exaltado seja) e o respeito de Seu Direito faz parte dos deveres mais essenciais e das mais importantes orientações para Allah (exaltado seja), é assim que foi decretado pela Estação Divina e a lei profética.

De fato, diz (glorificado e exaltado seja): “Não criei os gênios e os humanos, senão para Me adorarem.” (Sura 51:56).

E diz (glorificado e exaltado seja): “Porventura não vos prescrevi, ó filhos de Adão, que não adorásseis Satanás, porque é vosso inimigo declarado? E que Me adorásseis, porque esta é a senda reta?” (Sura 36:60-61).

E diz (glorificado e exaltado seja): “Esta vossa comunidade é uma comunidade única, e Eu sou o vosso Senhor. Adorai-Me, portanto (e a nenhum outro)!” (Sura 21:92).

E diz (glorificado e exaltado seja): “Obedecei a Allah e ao Mensageiro, a fim de que obtenhais a misericórdia.” (Sura 3:132).

E diz (glorificado e exaltado seja): “Tais são os preceitos de Allah. Àqueles que obedecerem a Allah e ao Seu Mensageiro, Ele os introduzirá em jardins, abaixo dos quais correm os rios, onde morarão eternamente. Tal será o magnífico benefício. Ao contrário, quem desobedecer a Allah e ao Seu Mensageiro, profanando os Seus preceitos, Ele o introduzirá no fogo infernal, onde permanecerá eternamente, e sofrerá um castigo humilhante.” (Sura 4:13 -14).

E muitos outros versículos seguem esta incitação sobre o assunto.” [Jawâhir al-Ma’ânî].

————————————————————————————————

A Obrigação da Shahâda para Ser Muçulmano (Ahmad Mashhûr al-Haddâd)

Al-shahâda se traduz literalmente por “o testemunho”. O testemunho do qual se trata aqui é o testemunho supremo, a essência da existência e do êxito, a verdade pura e a melhor das palavras:

Não há divindade além de Allah, Único e sem sócio, e Muhammad é Seu servo e mensageiro.

Lâ Ilâha illAllâh, wahdahu lâ sharîka lah, waMuhammadun ‘abduhu wa rasûluhu.

Se o fato de crer em um Deus, Único por Seu número e por Sua Essência, é uma condição obrigatória para ser Crente, também é obrigatório dar fé a tudo o que se revelou. Sendo que o Profeta Muhammad é o Selo dos Profetas (que Allah os abençoe a todos com abundância) e que é o que transmitiu o Selo dos Livros Revelados: Al-Qur’ân (o Alcorão), a última Mensagem Divina antes do fim do mundo, e é obrigatório reconhecer sua profecia e seu status ante Allah (exaltado seja) para todos os que se afiliam ao Islã, a religião da submisão total a um Deus Único, Poderoso e Majestoso.

O Shaikh al-Habîb Ahmad Mashhûr al-Haddâd (que Allah tenha misericórdia dele) falou sobre isso em seu Miftâh al-Janna:

“Nenhuma das decisões que procedem da boa palavra nesta vida e na outra pode ser obtida se não acrescentarmos a afirmação da profecia e a missão que está investida no Selo dos Profetas e dos Mensageiros, Sayyidunâ Muhammad (que as Bênçãos e a Paz de Allah estejam con ele e com sua família). Quem quer que afirme a Unicidade de Allah mas rechace a missão de Muhammad (que as Bênçãos e a Paz de Allah estejam com ele e com sua família) não faz parte do Ahl al-Tauhîd (povo do tauhîd), senão que é um negador de Allah tanto como o que rechaça o tauhîd (a palavra “lâ ilâha illAllâh”), já que rechaça o que Allah proclamou a respeito de Seu Mensageiro, e rechaça Seu mandamento segundo o qual devemos testemunhar a Mensagem, afirmá-lo, obedecê-lo e segui-lo, tomar o caminho do Mensageiro, e também rechaça sua admoestação de não contradizer Seus mandamentos.

Recomendado para você:  Julay'beeb, o amado pelo Profeta Muhammad

Disse (exaltado seja): “Muhammad é o Mensageiro de Allah” (Sura 48:29) (…) “Ó Profeta, em verdade, enviamos-te como testemunha, alvissareiro e admoestador! E, como convocador (dos humanos) a Allah, com Sua anuência, e como uma lâmpada luminosa.” (Sura 33:45-46); e “Ó crentes, obedecei a Allah, ao Mensageiro…” (Sura 4:59); e “Se verdadeiramente amais a Allah, segui-me” (Sura 3:31); e “Que temam, aqueles que desobedecem às ordens do Mensageiro, que lhes sobrevenha uma provação ou lhes açoite um doloroso castigo.” (Sura 24:63). E existem muitos outros versículos a respeito.

Afirmar a missão de Muhammad (que as Bênçãos e a Paz de Allah estejam com ele e com sua família) não é uma coisa completa enquanto não temos a certeza de que sua missão engloba a totalidade da criação, os árabes e os não árabes, os seres humanos e os gênios. Disse (exaltado seja): “E não te enviamos, senão como misericórdia para a humanidade.” (Sura 21:107); e “E não te enviamos, senão como universal (Mensageiro), alvissareiro e admoestador para os humanos” (Sura 34:28); e “Dize: Ó humanos, sou o Mensageiro de Allah, para todos vós” (Sura 7:158).

Pois quem quer que rechace a universalidade de sua mensagem ou diz que é um Mensageiro somente para os árabes, é culpado de incredulidade, como o mostram os versículos mais acima, que são muito explícitos a respeito da dimensão universal de sua missão. Disse (que as Bênçãos e a Paz de Allah estejam com ele e com sua família), nesse sentido: “Fui enviado à humanidade inteira.” [al-Bukhârî e al-Tirmidhî]. Assim, mandou cartas aos reis deste mundo para chamá-los ao Islã. A chamada ao Islã se difundiu em todos os países da terra e alcançou as diversas nações, que responderam massivamente, com intenções sinceras e corações abertos.

Desde este ponto de vista, alguns versos de um poema que escrevi um dia, sobre sua missão (que as Bênçãos e a Paz de Allah estejam com ele e sua família) me vêm à mente:

Baixaste sobre a terra dos homens para ensinar
Como a chuva que cobre toda sua longitude e sua amplitude.

Como um sol brilhante no resplendor da manhã
Que não deixa nem noite, nem estrela, nem luminária para distrair.

Deixaste (a religião) tolerante, radiante de luz,
Puxando a sua cauda através da duna do céu supremo.

Girou com os dias e as noites, e mandou
As tropas da Verdade se desafogando em torrentes abundantes.

Seu emissário é o Alcorão que guia ao caminho os mais retos
A via mais poderosa, a palavra melhor. »

————————————————————————————————

Acerca do Certificado de Conversão ao Islã 
Obter um certificado que atesta que uma pessoa se converteu ao Islã não é, de nenhum modo, uma obrigação e tampoco é uma etapa que valida ou invalida uma conversão ao Islã. Entretanto, sua aquisição é primordial para poder realizar a peregrinação já que as cidades sagradas do Islã (Meca e Medina) são proibidas de entrada para os não muçulmanos, tal como foi ensinado pelo Alcorão e a Sunna do Mensageiro de Allah (que a Paz e as Bênçãos de Allah estejam com ele).

Allah (exaltado seja) disse: “Ó crentes, em verdade os idólatras são impuros. Que depois deste seu ano não se aproximem da Sagrada Mesquita!” (Sura 9:28).

E o Imâm Mâlik Ibn Anas (que Allah tenha misericórdia dele) relatou em seu Muwattâ’ segundo Sayyidunâ Abû Huraira (que Allah esteja satisfeito com ele) que o Profeta (que a Paz e as Bênçãos de Allah estejam com ele) disse, nesse sentido: “O espaço situado entre as duas extremidades de Medina é sagrado.”

E o Imâm Jalâluddîn al-Suyûtî (que Allah tenha misericórdia dele) disse: “Os politeístas são impuros devido à mancha que é sua fé interior.” [Tafsîr al-Jalâlain]. E segundo o Imâm ‘Umar Ibn ‘Abd al-‘Azîz e o Imâm Mâlik Ibn Anas (que Allah tenha misericórdia deles), por analogia, este versículo se aplica a toda pessoa que não é de fé islâmica, incluindo os judeus e os cristãos. Quanto aos ateus, seu caso é logicamente similar.

Esta é a razão pela qual seria importante obter um certificado de conversão ao Islã mais cedo ou mais tarde, para poder realizar a peregrinação. Mas como foi dito precedentemente, este certificado não é de nenhum modo uma condição de validação ou de invalidação de uma conversão ao Islã.
______________________________________________________
Fonte: http://fiqh-maliki.blogspot.com.br/2010/11/la-reconversion-al-islam.html

Sobre Iqara Islam

O Iqara Islam é uma página dedicada a apresentação do Islam Tradicional para muçulmanos e não-muçulmanos que buscam informação e conhecimento de qualidade sobre vários aspectos da religião islâmica, tais como: espiritualidade, jurisprudência, história e cultura. Sendo uma iniciativa independente, não visamos fins lucrativos. Somos totalmente contra a violência injustificada, terrorismo e ditaduras de qualquer natureza.