Página Inicial » Temas Diversos » Alguns conceitos errados sobre a idolatria dos pagãos de Meca – Muneeb Saeed

Alguns conceitos errados sobre a idolatria dos pagãos de Meca – Muneeb Saeed

 

A crença de acordo o Ahl as-Sunnah wal Jama’at:

Na época de nosso amado mestre, o Profeta Muhammad ﷺ, os pagãos de Makkah costumavam adorar seus ídolos, que eles haviam esculpido com suas próprias mãos. Eles acreditavam que seus ídolos eram deuses por si mesmos e acreditavam que eles tinham poderes independentes.

“Eles adotam outras divindades além de Allah, para que os socorram.” (Alcorão, 36:74)

“E eles atribuem filhas a Allah – exaltado seja Ele – E para eles o que eles desejam (Alcorão, 16:57).

O famoso Mufasir Imam at-Tabari رحمة الله عليه comenta o verso corânico 3:26 da seguinte maneira:

“Os ‘rivais’ que os árabes iletrados consideravam como rabbs.” (Tafsir al-Ṭabari, 5:304). Ao explicar o verso 17:56, ele diz: “Ele, exaltada seja sua menção, está dizendo ao Seu Profeta Muhammad ﷺ: “Diga, Ó Muhammad, aos Mushrikun (idólatras) dentre o seu povo que adoram outro senão Allah da sua criação: Ó gente, quando a calamidade cair sobre vocês, chamem todos considerados rabbs (senhores) e allihah (deuses) além de Allah, e vejam se eles são capazes de repelir essas calamidades de vocês e dirigir a outros.” (Tafsir at-Ṭabari, 14:626).

Explicando o verso 12:106, no qual Allah ﷻ descreve os árabes como mushrikun, o Imam afirma:

“Eles são Mushrikun, em sua adoração de estátuas e ídolos, adotando-os como rabbs além Dele, e em sua crença que Ele tem filhos…” (Tafsir at-Ṭabari, 13:372)

Existem muitos outros versos que mostram que os pagãos de Makkah não possuíam o Tawhid Rububiyyah, que não tinha sido apresentado.

Assim, em última análise = a crença correta a respeito dos pagãos de Makkah era que eles adoravam seus ídolos e não possuíam Tawhid Rububiyyah!

Tawhid Rububiyah (noção do senhorio absoluto de Allah) é a atribuição de todos os atos de Allah ﷻ (Glorificado e Exaltado seja Ele) a ninguém salvo somente a Ele, tais como: criação, trazer algo à existência, conferir o sustento, dar a vida e causar a morte.

Como pode se ver claramente, os pagãos de Makkah não acreditavam nisso.

2)

Agora, em que os salafistas acreditam?

Eles chamam muçulmanos de “mushrikun”, eles tentam seu máximo para atribuir a noção do Tawhid Rububiyyah aos pagãos de Makkah (vejam quão doentia e demente essa ideologia é)!

Em termos básicos, os Wahabbis creem que os pagãos acreditavam que somente Allah ﷻ é o Criador, Mantenedor e Portador de Benefício e Dano, e que essas qualidades não estavam presentes em seus falsos deuses.

Isso é o total oposto da verdadeira posição do Ahl as-Sunna wa Jama’at (como mostrado no início).

Os salafistas utilizam versos como os seguintes para provar sua afirmação… mas saiba que isso é apenas uma afirmação vazia feita pelos pagãos, pois “afirmar” isso para Allah ﷻ não nega sua crença na propriedade de Senhorio para seus falsos deuses:

E se lhes perguntas: Quem criou os céus e a terra e submeteu o sol e a lua? Eles respondem: Allah.” (Alcorão, 29:61)

Os comentadores indicaram que quando os pagãos disseram isso eles na verdade estavam em dúvida.

3)

E aqui é feita a conexão… Por que os Wahabbis querem tanto provar a existência do Tawhid Rububiyyah para os pagão de Makkah?

Isso ocorre porque eles querem fazer a conexão entre os pagãos de Makkah “que iam a seus ídolos para se aproximar de Allah ﷻ” e os muçulmanos que vão aos túmulos e pedem aos Profetas e Santos por seu du’a!

Recomendado para você:  Allahu Akbar: O que realmente significa

Daí os salafistas dirão:

A única diferença entre vocês (muçulmanos que vão aos túmulos) e os mushrikun é que eles estavam abertamente fazendo o que faziam e chamavam de adoração, daí suas ações de adoração eram direcionadas aos ídolos, mas sua ‘Aqidah (crença) era a mesma que os muçulmanos que vão aos túmulos pedir du’a aos piedosos.

Os salafistas dirão que eles adoravam Allah ﷻ, acreditando em Seu Senhorio sobre todas as coisas e que vocês (muçulmanos que vão aos túmulos e pedem du’a aos piedosos) também adoram Allah ﷻ acreditando em Seu Senhorio (Rububiyyah) quando vão aos túmulos.

Então, o que faz vocês diferentes deles?

Bem, em primeiro lugar, como explicado acima, os pagãos de Makkah de fato adoravam seus ídolos, eles não acreditavam no Tawhid Rububiyah, ao passo que muçulmanos NÃO acreditam que os Profetas/Santos/Mártires são dignos de adoração.

Os pagãos de Makkah acreditavam que os ídolos eram independentes e tinham poder

por si mesmos, enquanto os muçulmanos sunni acreditam que os Profetas/Santos/Mártires são DEPENDENTES de Allah ﷻ. Isso significa:

> Allah ﷻ é aquele que dá a habilidade de intencionar.

> Allah ﷻ é aquele que cria a ação do du’a.

> Allah ﷻ é aquele que aceita o du’a.

Os Profetas/Santos/Mártires não têm nenhum poder efetivo por eles mesmos e não há nenhuma transferência de poder por Allah ﷻ. Em última análise a crença do Ahl as-Sunna é que qualquer ser humano, vivo ou morto, não tem poder efetivo por si mesmo e nada acontece senão da vontade de Allah ﷻ.

Assim, em termos básicos, isso significa que os Profetas/Santos/Mártires nos túmulos não ajudam intrinsecamente por eles mesmos!

Allah ﷻ é aquele que cria, enquanto os Profetas/Santos/Mártires não criam nada!

[essa sentença será explicada usando exemplos no ponto 4]

4)

Ahl us-Sunna acredita que, a respeito dos Profetas/Santos ou qualquer muçulmano que esteja vivo nesse mundo, que Allah ﷻ conferiu a eles a habilidade de ter intenções, já que isso é livre arbítrio. A pessoa tem a intenção, então Allah ﷻ cria a ação para a intenção, e NADA vem da pessoa senão a intenção.

Então, se você estivesse vivo na época do Sheikh Abdul Qadir jilani, رحمة الله عليه, e pedisse a ele:

“Ya Abdul Qadir Jilani, maça du’a para que Allah ﷻ me conceda um filho.”

Sheikh Abdul Qadir Jilani intenciona, i.e. “Ya Allah ﷻ, eu gostaria que Tu desses a essa mulher um filho.”

Ou Allah ﷻ cria a ação do du’a (o movimento da língua para fazer o du’a) ou Ele ﷻ pode simplesmente cumprir a necessidade da intenção de Sheikh Abdul Qadir Jilani, então Allah ﷻ cria a criança no ventre da mãe.

Quando um muçulmano que sabe que Allah ﷻ é o Primeiro e Único Senhor Verdadeiro vai ao túmulo dos Profetas/Santos/Mártires, ele SEMPRE terá a compreensão de que a VERDADEIRA AJUDA está vindo de Allah ﷻ.

Por conta de suas altas estações e níveis, a conexão das almas dos Profetas/Santos e Mártires com seus corpos é muito forte no Barzakh, uma vez que cremos que eles estão VIVOS.

Nós acreditamos que suas habilidades de intencionar (ter intenções), por conta do livre arbítrio dado por Allah ﷻ, ainda permanece com eles após suas mortes físicas.

Recomendado para você:  Os 7 atos mais amados por Allah

Quanto ao muçulmano normal, essa habilidade é menos provável, mas definitivamente não é impossível, já que Allah ﷻ pode conceder também.

Então, em última análise, quando um muçulmano vai ao túmulo de um piedoso, ele está pedindo ao santo para pedir a Allah ﷻ em seu nome, já que ele tem a ideia de que aqueles piedosos que se foram ainda têm a habilidade de intencionar pedir a Allah em seu nome.

Exemplo 1:

Se um muçulmano comparece ao túmulo de um santo, e quer que Allah ﷻ conceda a ele um filho, o que está acontecendo fundamentalmente é que o muçulmano está pedindo ao santo no túmulo para fazer du’a para Allah ﷻ para que Ele lhe conceda o filho.

Isso significa que o santo irá intencionar (Ya Allah ﷻ, eu quero que Tu dês um filho à

Essa mulher), e Allah ﷻ irá ou criar a ação do du’a (levantar as mãos, movimentar os lábios) ou mesmo apenas cumprir a necessidade da intenção do santo.

O santo está simplesmente pedindo, e Allah ﷻ pode aceitar o du’a se Ele quiser. Ele ﷻ não é obrigado a aceitar o du’a.

Um muçulmano não acredita que o santo está realmente dando ou criando o filho, uma vez que esse é um atributo de Allah ﷻ, que é exclusivo de Allah. Se um muçulmano realmente acredita dessa maneira, isso é SHIRK (idolatria)!

Exemplo 2:

A pessoa comparece ao túmulo do santo, há uma batalha ocorrendo, e ele quer que Allah ﷻ ajude os muçulmanos na batalha:

A pessoa está pedindo ao santo no túmulo para fazer du’a para Allah ﷻ para que Ele crie a situação onde a ajuda é criada, e.g. que o santo venha ao campo de batalha.

Então, novamente, o santo intenciona (Ya Allah ﷻ me faça presente no campo de batalha), Allah pode tanto criar a ação do du’a (levantar as mãos, lábios) ou mesmo apenas cumprir a necessidade da intenção do santo.

O santo está apenas pedindo, e Allah ﷻ pode conceder se Ele quiser assim. Ele ﷻ não é obrigado a aceitar o du’a.

Allah ﷻ pode até mesmo criar um tipo diferente de ajuda, por exemplo, um terremoto para matar todos os inimigos.

Um muçulmano não acredita que Allah ﷻ está fisicamente indo ao campo de batalha para ajudar, pois isso seria Kufr (incredulidade, pois Allah está além das formas e necessidades de ocupar um espaço). Em vez disso, o muçulmano acredita que o santo está pedindo a Allah ﷻ para criar a situação, que nesse caso seria ir ao campo de batalha.

Exemplo 3:

Uma pessoa está emperrada num assunto de Fiqh (jurisprudência), e quer ajuda de Allah ﷻ, i.e., para criar a situação na qual a ajuda é criada. Então, de novo, o que está fundamentalmente acontecendo? A pessoa irá simplesmente pedir ao santo para fazer du’a para que Allah ﷻ crie a situação na qual ele pode vir e ajudar e.g., vir num sonho da pessoa que está com problemas.

Então, novamente, sempre se lembre, o santo intenciona (Ya Allah ﷻ, me permita ir àquela pessoa por sonho) e Allah ﷻ pode tanto criar a ação do du’a (erguer as mãos, lábios) ou mesmo apenas cumprir a ação da intenção do santo.

Recomendado para você:  Confiança em Allah - Taqdeer e Tawakkul

Curiosamente, é mencionado no fim do capítulo 3 do Kitab ar-Ruh, de Ibn al Qayyim: “Muitas pessoas viram o hafidh Ibn Taymiyyah depois da morte dele em seus sonhos e perguntaram a ele muitas questões difíceis sobre Fiqh Massa’il, e ele respondia todas as perguntas. Apenas as pessoas que são ignorantes do status dos espíritos (Arwah) podem rejeitar isso”.

5)

Como vocês podem ver, os muçulmanos SEMPRE sabem que Allah ﷻ é quem está concedendo a VERDADEIRA AJUDA.

Dessa forma, também é claro que a prática do TAWASSUL bil ISTIGHATA (pedir ajuda a Allah através do intermédio dos Profetas e Santos, respectivamente) não tem nenhuma similaridade com a prática dos idólatras, já que eles não acreditavam no Tawhid Rububiyyah e adoravam seus ídolos, enquanto os muçulmanos acreditam na UNICIDADE de Allah ﷻ e não acreditam que os piedosos são dignos de adoração.

Essa é a razão do porquê é tão estúpido e idiótico chamar essa prática de shirk, não faz sentido fazê-lo. É IMPOSSÍVEL que isso seja chamado shirk.

Com isso, os salafistas também tentarão utilizar versos revelados para os mushrikun e aplicá-los aos muçulmanos para tentar chamar as ações de “Tawassul bi Istighata” shirk, e.g. “Não chamem por outros seres senão por Allah. Eles não são capazes de trazer benefícios ou dano” [Alcorão 10:106].

Não deixe os truques deles lhe enganar, já que não faz sentido usá-los aqui, enquanto o conhecedor entende que essa questão recai sobre a crença dos politeístas de Makkah.

É um dos traços malignos dos khawarij aplicar para os muçulmanos os versos revelados para os mushrikun.

É mencionado no Sahih Bukhari que nosso mestre Ibn Umar رضي الله عنه considerava os Khawarij as piores das criaturas de Allah e disse o seguinte:

“Em verdade, eles pegam versos que foram revelados sobre os descrentes e usam-nos contra os crentes.”

Alguém pode perguntar, “por que simplesmente não fazer du’a sem wasilah?”

Por favor, entenda que essa não é uma discussão sobre a permissibilidade do Tawassul bil Istighata. Nós definitivamente não estamos dizendo que você não pode fazer du’a sem wasilah, mas em vez disso, estamos dizendo que sustentar que essa prática seja shirk é uma posição desviante e idiótica, que faz com que você seja desencaminhado.

Nota – Mesmo se uma pessoa sustente que essa prática não seja shirk, isso não faz automaticamente essa pessoa do Ahl us-Sunnah wa Jama’at. Por exemplo, os rawafid Shi’a sustentam que Tawassul bil Istighata é permitido, mas isso não significa que eles estão guiados, longe disso.

Nota 2 – Esse assunto também não tem nada a ver com a construção de mausoléus e estruturas sobre os túmulos dos piedosos, porque esse é também um outro assunto de Fiqh. Até mesmo porque a pessoa nem mesmo precisa ir a um túmulo para fazer Tawassul bi Istighata.

Sumário:

Dada a instância idiótica da declaração de que os pagãos de Makkah possuíam o Tawhid Rububiyyah, os salafistas fazem takfir (acusação de apostasia) em massa dos muçulmanos.

E o sucesso é apenas e sempre foi com Allah سبحانه وتعالى.

Por: Muneeb Saeed

Sobre Iqara Islam

O Iqara Islam é uma página dedicada a apresentação do Islam Tradicional para muçulmanos e não-muçulmanos que buscam informação e conhecimento de qualidade sobre vários aspectos da religião islâmica, tais como: espiritualidade, jurisprudência, história e cultura. Sendo uma iniciativa independente, não visamos fins lucrativos. Somos totalmente contra a violência injustificada, terrorismo e ditaduras de qualquer natureza.