Página Inicial » História Islâmica » Escolas de Jurisprudência » A Mentora Espiritual do Imam Shafi’i
Conheça Sayyida Nafisa, a mentora espiritual de uma das maiores personalidades da história islâmica, o Imam Shafi

A Mentora Espiritual do Imam Shafi’i

A Mentora Espiritual do Imam Shafi’i (RA), Também Conhecida como a “Senhora dos Egípcios”

De “A Luz da Ahl al-Bait” ( descendência da Casa Profética )

Sayyida Nafisa e Imam Shafi’i

Sayyidah Nafisa, ou Senhora Nafisa, sediou a maioria dos estudiosos de sua época, especialistas em jurisprudência, hadith, e explicação Alcorânica. Ela foi famosamente conhecida como al-‘ilmī Nafīsat wal-ma’rifat, (a senhora do conhecimento e da Gnosis), e outros títulos, incluindo: Nafīsat al- Tahira, (a senhora da Pureza) Nafīsat al- ‘Ā’bida (a Lady Venerável)

Associação acadêmica e espiritual do Imam Shafi’i (RA) com Sayyida Nafisa

Imam Shafi’i ficou no Egito por mais de quatro anos, até seu falecimento. Lá, ele classificou seus livros e montou a sua escola de jurisprudência; foi no Egito que ele adquiriu fama e as pessoas passaram a se sentar em seus majlis.

Imam Shafi’i começou a ensinar depois da oração Fajr todos os dias os seus alunos de Alcorão e sua exegese (tafsir) e outros ilustres estudiosos se sentavam para estudar com ele. Imediatamente após o nascer do sol os alunos de hadith chegavam e os alunos de exegese saiam. Depois deles, vinham os alunos de explicação de hadith, seguidos pelo grupo de alunos de filosofia especulativa (Kalam), e pelos estudantes de jurisprudência (fiqh), pouco antes do meio-dia. Assim Imam Shafi’i sentava-se pelo menos seis horas com diferentes grupos de alunos, ensinando um curso após o outro. A fertilidade e fecundidade do fiqh do Imam Shafi’i foi o resultado de seu vasto intelecto e experiência de vida, adquiridos durante suas longas viagens em todas as terras islâmicas, e em seus debates em cursos com outros estudiosos.

Quando o Imam Shafi’i chegou ao Egito, um relacionamento evoluiu com Sayyida Nafisa, com base na adesão à fé e piedade na religião. Ele costumava visitá-la em sua casa para ir e voltar de suas associações no Masjid de ‘Umar ibn al-`Aas, no distrito de al-Fistat.

Recomendado para você:  Como o Islã se disseminou na Índia?

Imam Shafi’i costumava liderar o taraweeh na Masjid em que ela rezava, seguindo-o por todo o Ramadan. Os historiadores dizem que, apesar de sua enorme carga de estudos, Imam Shafi’i costumava visitar Sayyida Nafisa e pedia a ela por invocação (du’a).

Imam Shafi’i também costumava sentar-se com Sayyida Nafisa, aprendendo hadith com ela. Em uma ocasião em que ele estava doente, ele enviava um de seus alunos para se sentar em sua aula. Ele invariavelmente dizia a ela: “Seu primo ash-Shafi’i está doente e pede o seu du’a.” Imediatamente. Sayyida Nafisa levantava as mãos em súplica, pedindo a Allah para curar o Imam ash-Shafi’i. Muitas vezes, no momento em que o mensageiro voltava ao Imam ash-Shafi’i ele já o encontrava curado, por meio do du’a dela.

Uma vez Imam ash-Shafi’i caiu doente e, como de costume enviou o seu mensageiro pedindo o du’a de Sayyida Nafisa. Ela enviou-lhe a mensagem: “Diga a ele que Allah pode fazer do seu encontro com Ele a melhor das reuniões, e Allah pode levantá-lo à Sua proximidade”. Quando o mensageiro voltou com esta mensagem, o imam entendeu que a sua morte era iminente.

Sayyida Nafisa também executou a sua vontade. Incapacitada devido a sua constante adoração, eles trouxeram o corpo do imam da casa dele no distrito de al-Fistat para a sua casa. Lá, ela fez a oração fúnebre (salat al-Janaza) sobre ele a partir da seção das mulheres, na sequência de Imam al-Buwaiti que liderou a oração.

Sayyidah Nafisa, ou Senhora Nafisa, foi a grande-grande neta do profeta Muhammad (saws). Quando ela nasceu em Makkah, o pai dela Sayyid Hassan al-Anwar a levou para o santuário do Profeta (saws), e depois levantou-a com uma extensa educação islâmica. Ela acompanhou seu pai para Madina, e teve aulas religiosas, visitou locais religiosos, e esteve envolvida em inúmeras festividades. Ela memorizou todo o Alcorão e aprendeu sibre Hadith, enquanto estudava jurisprudência islâmica em profundidade. Sendo extremamente inteligente, ela tornou-se apta a explicar o Alcorão, apesar de sua pouca idade.

Recomendado para você:  5 invenções Islâmicas que mudaram o mundo

Mais tarde na vida, ela estendeu seus conhecimentos para a sua comunidade e se dedicou à instrução religiosa para mulheres e meninas.

Ela se casou com Isaq Ibn Jaafar e foi para o Egito com ele, e deu à luz dois filhos al-Qasim e Umm Kulthum. Ela tornou-se famosa por sua abstinência (zuhd) e piedade (taqwa), pelo jejum do dia, por passar as noites em oração e por sua devoção excessiva para adorar Allah (SWT). Ela mudou-se de Medina para o Egito com o marido Isaq Ibn Jaafar.

Sayyida Nafisa costumava rezar as cinco orações regularmente atrás de seu pai, em Masjidan-Nabawi (s) a partir dos seis anos de idade. Seu pai costumava levá-la pela mão e, com ela, entrava dentro do quarto do túmulo do Santo Profeta (s), que é a casa de Sayyida ‘Ayesha (r). Ele se dirigia diretamente ao Profeta (s) dizendo: “Ya !, Rasullullah O amado profeta de Allah Estou satisfeito com a minha filha Nafisa!” Ele continuou repetidamente estas visitas, até que um dia, o Profeta (s) lhe apareceu em sonho dizendo a ele, “Ya Hasan, estou favorecido com a sua filha Nafisa porque você está satisfeito.”

Quando ela começou a sentir sua morte se aproximando, Nafisa cavou sua sepultura com as próprias mãos dentro de sua casa. Todos os dias ela entrava no túmulo e nele adorava, como um lembrete da vida após a morte. Ela costumava rezar todas as suas orações extras dentro desse túmulo.

“Ela era uma senhora rica, fez um monte de favores para as pessoas, especialmente os que eram paralisados e aqueles com doença grave, e para outras pessoas doentes. Ela era uma devota, ascética, e de virtude abundante.”
(Imam Ibn Kathir (RA))

Recomendado para você:  Imam Maliki, o Estudioso de Medina

Muitos muçulmanos admiravam piedade constante e conhecimento abrangente dela, e se referiam a ela com muitos outros nomes: Nafisat al-‘ilmi wal-ma’rifat, (a Senhora rara do Conhecimento e da Gnosis) por causa de seu conhecimento da família do Profeta; Sahibat al-Karamat, a “Senhora dos Milagres”; Sayyidat Ahl al-Fatwa, a “protagonista na derivação de decisões e sentenças”; e Nafisat al-Masriyyin, a “Senhora rara dos egípcios”, por causa do intenso amor do povo egípcio para com ela e do amor dela por eles.

Há uma bela mesquita com o seu nome no Cairo, Egito (Mesquita de Sayyida Nafisa).

Fonte: https://www.facebook.com/shafiibrasil

Sobre Umm Salam Kulthum